Final do Brasileirão Feminino amplia rivalidade do maior clássico do Brasil

Marcial CortezSetembro 13, 20216min0

Final do Brasileirão Feminino amplia rivalidade do maior clássico do Brasil

Marcial CortezSetembro 13, 20216min0
Corinthians e Palmeiras decidem a final do Brasileirão Feminino Neoenergia 2021 e carregam consigo toda a rivalidade histórica do confronto. Ao contrário do masculino, o retrospecto é todo favorável ao Timão, mas o Verdão promete surpreender.

São Paulo, setembro de 2021. O Brasileirão Feminino entra na fase de decisão. Palmeiras e Corinthians chegam, pela primeira vez na História, em igualdade de condições para a disputa do título. Toda a carga de rivalidade e peso do confronto masculino é transferida para a decisão feminina. Quem levará a melhor?

Classificados para a Libertadores Feminina em 2021, Timão e Verdão prometem grandes emoções não só para a finalíssima, mas também para os anos futuros. Pra se ter uma ideia, entre as partidas de primeira e segunda mãos das finais, as duas equipas irão se enfrentar pelo Paulistão 2021. Ou seja, teremos três confrontos em seqüência.

Como se tudo isso não bastasse, ainda teremos o Derby no masculino, entrelaçado a estas datas. É muita emoção pra tão pouco tempo. Confira como será o calendário dos próximos dias:

12/09 – Final Brasileirão Feminino – primeira mão

22/09 – Paulistão Feminino – Primeira Fase

25/09 – Brasileirão Masculino – 22a Jornada

26/09 – Final do Brasileirão Feminino – segunda mão

Como vimos, os adeptos do Alvinegro e do Alviverde não terão do que reclamar. Mas como o tema de hoje é a final do Feminino, vamos fazer um retrospecto de como estas equipas chegaram até aqui.

A campanha do Corinthians

A defesa Érica voa em comemoração a um dos gols que levou o Corinthians à final Foto: Rebeca Reis e Cristiane Mattos / Staff Images Woman / CBF

O Corinthians começou a fase de grupos em altíssimo nível, como já era de se esperar. A estreia foi em abril, contra a equipa do Napoli de Caçador (SC), e a vitória acachapante por 3-0 já dava sinais que o Timão vinha pra garantir mais uma Taça. O Corinthians tem tradição no futebol feminino e já acumula vários títulos, entre eles dois Paulistas, dois Brasileiros, duas Libertadores e uma Copa do Brasil, tudo isso conquistado nos últimos cinco anos!

O Timão chegou em primeiro na classificação geral, com 38 pontos em 15 jogos, o que lhe garantiu o direito de decidir em casa nos confrontos decisivos. Assim, fez valer a vantagem e praticamente massacrou seus rivais nas fases seguintes. Foram duas goleadas (4-1 e 6-0) contra o Avai Kindermann nas quartas de final, e mais duas decisões com placar elástico de 3-1 contra a Ferroviária nas meias-finais.

Com esse retrospecto, o Timão chega como favorito à conquista do tricampeonato Brasileiro. Porém, nem sempre boas campanhas e ótimo retrospecto ganham jogos, então vamos ver como foi a vida do rival.

A campanha do Palmeiras

Chú comemora gol contra o Inter na meia-final. Foto: Rebeca Reis e Cristiane Mattos / Staff Images Woman / CBF

O Verdão iniciou a primeira fase com um empate contra a toda poderosa Ferroviária, até então a principal equipa a rivalizar com a supercampeã Corinthians. A igualdade de 2-2 no placar já mostrava que o Palmeiras havia subido alguns degraus no cenário do futebol feminino profissional do Brasil. Na sexta jornada, no mês de maio, as duas equipas finalistas se encontraram e o resultado foi um empate por 1-1, considerado histórico pelos adeptos alviverdes. Era um pequeno tempero do que estava por vir.

O Verdão chegou em segundo na classificação geral, com 37 pontos em 15 jogos e uma campanha invicta até então. Porém, no confronto da primeira mão dos quartos de final, o Alviverde conheceu sua primeira derrota, ao perder das gaúchas do Grêmio pelo placar de 2-1. Na segunda mão, no entanto, o Palmeiras ignorou o Imortal e cravou 4-1 no placar, garantindo a vaga na meia-final contra as gaúchas do Internacional. A vaga para a finalíssima veio após duas vitórias, uma por 1-0 em Porto Alegre e uma nova goleada no Allianz Parque por 4-1.

Transmissão, VAR e consolidação

A transmissão dos jogos do Brasileirão Feminino Neoenergia nas redes sociais, em TV aberta e nos canais por assinatura ampliou o interesse dos adeptos no certame e, por conseguinte, nas outras competições da categoria. Antes relegado apenas aos curiosos e experts, hoje o futebol feminino é assunto de discussão nos programas esportivos e nos grupos de WhatsApp (no Brasil, o aplicativo de mensagens é extremamente popular). Nas redes sociais, o número de seguidores das páginas oficiais do certame e dos clubes participantes cresce a cada dia.

Além disso, o VAR passou a ser utilizado nas fases finais da competição, o que aumentou a segurança dos adeptos com relação ao campeonato. O recurso do vídeo foi utilizado no jogo da primeira mão, com a anulação de um gol do Corinthians ainda no primeiro tempo da partida.

Com todas estas inovações, o futebol feminino se consolida a cada dia no país com a promessa de grandes emoções para 2022, com a chegada das equipas já consagradas no futebol masculino e o aumento dos investimentos nas bases das equipas. Eu ainda sonho com o dia em que teremos uma partida do masculino a abrir o jogo principal do feminino, o que poderia ter ocorrido hoje em situações fora da pandemia. A equipa masculina enfrentou o Flamengo no Allianz Parque, e na sequência tivemos o jogo de primeira mão da finalíssima do Brasileirão Feminino. Não fosse a terrível doença, poderíamos ter uma tarde e noite repletas de futebol do mais alto nível aos adeptos alviverdes.

Porém, isso ainda é um sonho. Temos que conviver com as restrições que a moléstia nos impõe, mas com o olhar otimista no horizonte e o coração a acreditar que esse dia em breve irá chegar.

Chamada para a final do Brasileirão Feminino Neoenergia 2021. Detalhe para a transmissão em TV aberta e também por assinatura, além das redes sociais. Foto: Reprodução Instagram

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter