Fechamento da época 2021 no Campeonato Brasileiro

Fair PlayDezembro 12, 20217min0

Fechamento da época 2021 no Campeonato Brasileiro

Fair PlayDezembro 12, 20217min0
O Atlético Mineiro foi campeão brasileiro depois de 50 anos, e os colunistas do Fair Play analisam o melhor e o pior desta edição!

Chegamos à esperada fim de época no Brasil em 2021. Faltando apenas a decisão da Copa do Brasil deste ano (entre Atlético Mineiro e Athletico Paranaense), as demais competições já tiveram seus campeões. No Brasileirão 2021, foi o Atlético Mineiro. E os colunistas do futebol brasileiro aqui no Fair Play analisam o fechamento do Brasileirão e quais foram as surpresas positivas e negativas nesta edição. Confira o que pensam Renato Salgado, Marcial Cortez, João Sundfeld e Rafa Ribeiro sobre a ordem de chegada das equipas no Brasileirão.

O Campeão Atlético

Para Renato Salgado, o Campeonato Brasileiro de 2021 não teve muitas surpresas na disputa do título. Como previsto no começo da época, Atlético-MG, Flamengo e Palmeiras lutaram para ver quem seria o campeão. E deu Galo! Após 50 anos de espera, o clube mineiro quebrou o tabu e se sagrou bicampeão nacional.

Marcial Cortez concorda: “Conforme já era previsto, Atlético MG, Flamengo e Palmeiras brigaram pela Taça. O Galo fez valer o investimento e, ao contrário dos anos anteriores, manteve a liderança até o final do certame. O Atlético se consolida como uma das principais forças do futebol brasileiro, pois ainda pode nesta mesma época conquistar a Copa do Brasil.”

Para João Sundfeld, a conquista do Atlético-MG não é surpresa para ninguém, os que tentaram atrapalhar também não. O Galo se reforçou muito bem e teve uma regularidade ímpar ao longo da competição. Surpreende, sim, a ausência dos grandes gaúchos e do São Paulo nessa disputa, que fizeram um campeonato muito aquém.

Rafa Ribeiro completa: “O fato de muitos grandes nomes juntos foi a receita que o Galo viu dar certo no Flamengo recente. Com altos investimentos, e também altas dívidas que podem ter consequência no futuro, o Atlético Mineiro teve seu ano de all-in compensado pelo título brasileiro, depois de 50 anos, sob a batuta de Cuca, que conseguiu minimamente construir o time em cima das principais estrelas. E continua como um dos principais candidatos a outros títulos em 2022, a ver ainda quem mais pode chegar.”

Atlético Mineiro bicampeão brasileiro (71/21) continua no topo dos times nacionais (Foto: Uarlen Valério)

A briga pelas vagas na Libertadores

Renato nos conta que o time Rubro-negro e o Alviverde e o Fortaleza completam os respectivos segundo, terceiro e quarto lugar. Também se classificaram diretamente para a fase de grupos da Libertadores, Corinthians e Red Bull Bragantino. Fluminense e América-MG completam a lista de classificados, mas ambas equipas terão que jogar a Pré-Libertadores. Resultado surpreendente do time mineiro, que garantiu sua vaga na última jornada ao vencer o São Paulo por 2-0.

Marcial Cortez: “a briga por vagas na Libertadores foi muito acirrada. O Corinthians, que era uma das equipas candidatas ao rebaixamento, conseguiu mudar o rumo durante o campeonato e garantiu sua vaga direta. Destaques para o América MG e o Red Bull Bragantino. As decepções foram Inter, Santos e São Paulo, que mesmo com 9 vagas para times brasileiros, não conseguiram atingir o objetivo.”

João Sundfeld complementa: “com tantas e tantas vagas, a disputa pela Libertadores se perde um pouco. No entanto, isso deixa a competição ano que vem mais interessante – contando com times como América-MG e Red Bull Bragantino. Isso também não desmerece a qualidade daqueles que conseguiram chegar ao torneio continental. Fortaleza, por exemplo, foi a grata surpresa do campeonato, jogando bem e conseguindo fazer história.”

Rafa concorda ao citar os feitos de Red Bull Bragantino e América-MG, para ele os principais destaques dessa lista, seguidos de perto pelo Fluminense. As duas primeiras equipas mostram que planejamento, contas em dia e investimentos pensados e inseridos no lugar certo dão resultado, coisa que muitas grandes equipas não conseguem fazer, mesmo com mais camisa, estrutura e dinheiro.

Leia em artigo de Marcial Cortez, como Maurício Galiotte finalizou sua excelente gestão a frente do Palmeiras, clicando aqui.

A tristeza do rebaixamento

Para Renato, já na parte de baixo da tabela, na luta pelo rebaixamento, os rebaixados Chapecoense, Sport, Grêmio e Bahia mereceram o descenso. Se na parte de cima da tabela, a grande surpresa foi o Fortaleza, na parte de baixo as grandes decepções foram os tricolores paulista e gaúcho! Por muita sorte e incompetência dos rivais rebaixados, o São Paulo não jogará a série B em 2022. Já o gaúcho não conseguiu se livrar.

Marcial Cortez detalha a situação: “a fuga das últimas quatro vagas foi decidida na última jornada. Sem dúvidas foi a disputa mais acirrada da tabela do campeonato. Apesar da Chapecoense ter feito a pior campanha do último lugar da história do Brasileirão de pontos corridos, as outras três vagas foram disputadas ponto a ponto. Como manda a tradição, mais um gigante do futebol vai disputar a Série B: o Grêmio ficou 37 das 38 rodadas na zona da degola, e não conseguiu escapar dessa situação ao fim do certame. Destaque para o Juventude, que conseguiu se garantir por mais um ano na Série A, ao vencer o Corinthians nos minutos finais do jogo da última jornada.”

De fato a briga contra o rebaixamento foi a mais interessante do campeonato, responde João Sundfeld. “E com a participação constante de três grandes brasileiros, sendo estes Grêmio, São Paulo e Santos. O Imortal, porém, não conseguiu se salvar, amargando o terceiro descenso da sua história de maneira merecida, afinal não demonstrou qualquer capacidade de reação ao longo do ano. Também tivemos a pior campanha da história do Brasileirão de pontos corridos, com a Chapecoense. Espero que o time se recupere e volta a nos encantar como foi com o eterno esquadrão de 2016.”

Rafa Ribeiro lembra que o primeiro time fora da zona do rebaixamento, o Juventude, fez 46 pontos para se livrar, mas o primeiro dentro do Z4, o Grêmio, fez apenas 43. O que significa que 44 pontos já seriam suficientes para não cair neste ano, mostrando o (baixo) equilíbrio na parte de baixo da tabela, onde muitas equipas tiveram desempenhos muito ruins ao longo da competição. Mesmo times que foram muito mal, como São Paulo (13º), Athletico (14º), Cuiabá (15º) e Juventude (16º) conseguiram se livrar.

Chape campeã da Série B em 2020, rebaixada com o pior desempenho na história em 2021 (foto: Divulgação/Chapecoense)

Clique aqui para ver como foi a premiação do Campeonato Brasileiro pela CBF, em texto do ge.globo.

E você, caro leitor, o que achou da época 2021 do Brasileirão? Não esqueça de curtir as publicações do Fair Play nas redes sociais, compartilhar com seus amigos e deixar seus comentários acerca da opinião de nossos colunistas. Traremos novos conteúdos sobre o agito do mercado entre temporadas e também como as equipas irão se preparar para mais uma emocionante época, agora em 2022!


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter