20 Jun, 2018

Brasileirão 2018 – Antevisão

Rafael RibeiroAbril 22, 20187min0

Brasileirão 2018 – Antevisão

Rafael RibeiroAbril 22, 20187min0
O Brasileirão 2018 já começou e o Fair Play te apresenta as principais novidades de um dos campeonatos mais disputados do mundo!

Mais um Campeonato Brasileiro deu seu pontapé inicial para escrever imprevisíveis histórias ao longo da competição. Se pelo menos cinco times aparecem como postulantes ao título, o Fair Play conta também as disputas por vagas em competições continentais e a sempre quente briga pela fuga do rebaixamento.

Em ano de Copa do Mundo, parece ser costumeira a falta de datas no calendário para o preenchimento de todas as competições em que os times brasileiros participam. Praticamente sem pausa (os jogos do Brasileirão irão parar na semana anterior ao início da Copa na Rússia, e já retomarão na semana seguinte ao término), muitos times poderão sofrer com desfalques de jogadores em suas seleções, mostrando um claro empobrecimento da competição, aliado a falta de um melhor planejamento ao já apertado calendário.

Além disso, uma importante votação dos clubes definiu previamente que o VAR (árbitro de vídeo) não seria colocado em prática nesta edição, uma vez que os clubes alegaram alto custo para sua implementação (curiosamente a CBF jogou o custo exclusivamente para os clubes, o que pode ter sido decisivo para o voto contra da maioria deles). Já o mando de campo (quando o time decide mandar seu jogo fora de seus domínios) e o uso de grama sintética ao invés de natural (como acontece no estádio do Atlético-PR) foram liberados.

Os que correm pelo título

Se na época passada Palmeiras e Flamengo eram os principais candidatos, para 2018 a única característica que os une ainda é o elenco recheado de bons nomes, apesar do desempenho abaixo do esperado para os 11 inicial. O Palmeiras corrigiu algumas carências do elenco, trazendo bons nomes como Marcos Rocha (ex-Atlético MG) e Diogo Barbosa (ex-Cruzeiro) para as laterais, Lucas Lima (ex-Santos) e Gustavo Scarpa (ex-Fluminense) para o meio campo. Este último, ainda com problemas jurídicos com o ex-clube, não está apto a atuar pelo alviverde. Já o Flamengo viu seus jovens assumirem certo protagonismo, como Vinícius Jr. e Lucas Paquetá, já que importantes nomes não estão rendendo o esperado, como Diego, Éverton Ribeiro e Guerrero (este último ainda cumprindo punição por doping até a Copa do Mundo).

Lucas Lima saiu do Santos para comandar o meio de campo do Palmeiras (Foto: Fellipe Lucena)

Para se juntarem a estes dois, o Corinthians (atual campeão brasileiro), que costuma acertar nos últimos anos ao manter sua base de elenco e seu técnico (nestes últimos dois anos o eficiente Fabio Carille) continua como candidato. Sem a força de nomes como Jô e Guilherme Arana, perdidos na janela de inverno, a aposta é em jogadores já do elenco, como Jadson e Rodriguinho, além da recente chegada de Roger (ex-Botafogo e Inter) para ser a referência do ataque. O Cruzeiro completa a lista ao lado do Grêmio. O time de Minas Gerais vem mostrando bom retrospecto e, comandado por Mano Menezes, promete brigar por conquistas maiores neste ano, mesmo já sofrendo uma baixa importante: o atacante Fred trocou o Atlético MG pelo Cruzeiro, porém antes do Brasileirão já sofreu uma lesão no joelho que pode ter encerrado sua temporada previamente. Já o Porto Alegrense Grêmio, campeão da Libertadores em 2017, também deve voltar suas atenções ao Brasileiro neste semestre pré-Copa. Renato Gaúcho e Luan comandam o barco, já que o jogador ainda não deixou o time rumo a Europa.

Depois de uma boa passagem pelo Botafogo e uma ruim pelo Internacional, Roger está no Corinthians (Foto: Agência Corinthians)

Os que correm pela Libertadores

O Atlético-MG é outro time que podemos destacar. Se não ficar com o título, é provável que receba uma vaga na Libertadores 2019. Ao ter feito a final do Campeonato Mineiro com o Cruzeiro (perdendo a final no placar agregado) mostrou a força do elenco neste ano. Otero, Cazares e o atacante Ricardo Oliveira (artilheiro do Mineiro) farão o trio base do técnico estreante Thiago Larghi. O São Paulo fez para este ano um dos maiores investimentos entre os clubes brasileiros (quase R$50 milhões). Tudo para tentar neste ano resultados melhores que as péssimas campanhas dos últimos anos (ano passado brigou por boa parte do campeonato para não ser rebaixado). O ano já não começou bem, com desempenho ruim no Paulistão, eliminação precoce na Copa do Brasil e demissão do técnico Dorival Jr. O time terá que mostrar mais força se quiser brigar por uma vaga na Libertadores, e contará com Diego Souza (ex-Sport), Nenê (ex-Vasco) e Éverton (ex-Flamengo) como principais armas, ao lado do novo técnico Diego Aguirre.

Será que Diego Souza e Nenê ajudarão o São Paulo a brigar por títulos? (Foto: Gazeta Press)

O Santos é outro time paulista que pode conseguir esta vaga. Pela bela campanha ano passado com o Botafogo, Jair Ventura se transferiu ao time praiano para novos desafios. A arma deste ano é o retorno de Gabriel Barbosa, o Gabigol, que após tentativas frustradas na Itália e em Portugal, tentará reerguer sua carreira levando o Santos novamente a Libertadores. Como grata surpresa, Rodrygo é o jogador da base que está chamando a atenção. Por fim, o Atlético Paranaense pode surgir como desafiante, já que o time vem fazendo um planejamento diferenciado para o time principal. Sem jogar o campeonato estadual (disputado pelo Atlético-PR com jogadores da base) o time principal vem descansado para a disputa das competições nacionais. O time de Fernando Diniz eliminou o São Paulo na Copa do Brasil e poderá brigar de igual pela vaga continental, contando com a liderança de Lucho González, Paulo André e Thiago Heleno.

Os que correm do rebaixamento

Em um campeonato disputado e imprevisível, os times que voltam a série A têm por principal meta a manutenção na primeira divisão. Mesmo que haja mudança neste cenário, com times grandes em crise ameaçados de rebaixamento e até mesmo times menores tentando vagas na Copa Sulamericana por exemplo, América-MG, Paraná e Ceará são os times que terão que brigar por esta continuidade. Destacamos também a dupla Bahia e Vitória, que mostram menor potencial técnico e precisarão de cuidados, assim como a Chapecoense. O Internacional é aquele que foge a regra, já que mesmo retornando a série A este ano, parece ter tido uma boa lição no começo do ano, já que não conseguiu avançar no campeonato gáucho após uma campanha ruim e a eliminação para o próprio Grêmio na fase Quartas de final. Está fazendo apostas em jogadores já consagrados no time, como D’Alessandro, na manutenção de jogadores como Leandro Damião e Nico López, além de estruturar sua equipe e permanecer na série A (prova disso é contratação de Zeca, bom lateral que estava com problemas judiciais com o Santos).

Zeca tentou ação na justiça contra o Santos, mas removeu para acertar com o Internacional (Foto: Reprodução TV)


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter