5 curiosidades/pormenores/factos sobre José Mourinho

Francisco IsaacSetembro 10, 20218min0

5 curiosidades/pormenores/factos sobre José Mourinho

Francisco IsaacSetembro 10, 20218min0
Um treinador apaixonado pelo futebol e pelas vitórias que vai chegar ao jogo 1000 na carreira. José Mourinho em 5 destaques especiais

Venceu em quase todos os clubes pelo qual foi treinador, motivou ódios e paixões, deixou marcas profundas na cidade do Porto, Londres, Milão e Madrid, e é considerado um dos melhores técnicos do século XXI… este é José Mourinho, o treinador português que vai chegar ao jogo 1000 na carreira.

O PRIMEIRO TROFÉU

José Mourinho conquistou, até às data, 25 troféus, tendo ganho prata pelo FC Porto, FC Chelsea, Inter de Milão, Real Madrid e Manchester United (o último treinador a levantar uma taça no emblema que joga em Old Trafford), tendo só não ganho pelo SL Benfica, União de Leiria e Tottenham. A primeira conquista do agora treinador da AS Roma foi pelo FC Porto em 2003, mas sabem dizer qual foi? Entre o campeonato nacional, Taça UEFA e Taça de Portugal, todos estas competições foram decididas quase no mesmo espaço temporal, sendo que uma delas chegou primeiro, que foi… A SuperLiga.

A 5 de Maio de 2003, os azuis-e-brancos receberam e golearam o CD Santa Clara por 5-0 (golos de Maniche, Derlei bisou, Deco e Hélder Postiga), com o Sporting CP a dar uma ligeira ajuda já que derrotaram o 2° classificado SL Benfica no Estádio Nacional, pondo o Estádio das Antas ao rubro que após três temporadas sem o título de campeão, puderam novamente festejá-lo. Curiosidade para esse primeiro título foi o facto do treinador ter cumprido castigo e celebrado o título a partir da bancada junto da massa adepta do FC Porto. A 21 do mesmo chegou a Taça UEFA, numa vitória imprópria para cardíacos frente ao Celtic; um mês e uns dias depois, foi a vez da Taça de Portugal, obtendo o triplete que se tornaria ainda mais especial na época seguinte.

Relembrar as palavras do treinador na altura da confirmação do título em 2003,

Como tive a sorte de ganhar quatro títulos como adjunto, se calhar não estou bem com o sentimento de primeira vez, mas apenas com um sentimento diferente. De facto, não estou com aquela euforia que seria natural, também porque ainda tenho muito para ganhar este ano. O balão não esvaziou por completo, porque ainda faltam duas finais.

COM QUEM MAIS MOURINHO GANHOU?

Em que clube teve José Mourinho maior taxa de sucesso em termos de percentagem de vitórias? A esmagadora maioria diria que teria sido durante o seu tempo no FC Porto e outros apontavam para quando serviu os nerazzurri de Milão. Porém, foi em Madrid que mais vezes celebrou, com um percentil de 71,91% (128 vitórias em 178 jogos, com 21 empates e 22 derrotas), tendo nas Antas/Dragão celebrado por 71,65% (91 conquistas em 127 jogos, com 15 desaires e 21 igualdades).

No total de todas as passagens pelos diferentes emblemas que treinou, José Mourinho só registou um índice de vitórias abaixo dos 51%, com essa única ocasião a ter sido durante a curta passagem por Leiria, clube pelo qual só ganhou por 9 vezes em 20 ocasiões. A primeira vitória foi enquanto treinador do SL Benfica, a 15 de Novembro de 2000 frente ao CF “Os Belenenses” e a última na goleada da AS Roma por 4-0 no reduto da Salernitana. Em 999 jogos como treinador, venceu por 637 ocasiões, perdeu em 158 e consentiu 204 empates, fechando para já numa percentagem de 63,76% de vitórias.

OS JOGADORES DA GUARDA PESSOAL DE MOU

Cerca de quatro jogadores atingiram a marca de 200 jogos oficiais enquanto treinados por José Mourinho, com apenas um a ter sido utilizado em três clubes diferentes também como atleta do treinador português. Conseguem adivinhar de quem se trata? Ricardo Carvalho. O antigo central atingiu 292 encontros espalhados por FC Porto, FC Chelsea e Real Madrid em 10 épocas diferentes, tendo sido o atleta que mais vezes o técnico utilizou no total destas duas décadas, existindo uma clara ligação especial que surgiu aquando se encontraram pela primeira vez na cidade da Invicta. Em 2º e 3º lugar surgem duas lendas do FC Chelsea, Frank Lampard e John Terry, com 215 e 266 jogos respectivamente, tendo sido peças basilares para os campeonatos conquistados durante as duas passagens de Mourinho por Stamford Bridge.

O último jogador que atingiu o número dourado dos 200 jogos foi Paulo Ferreira, que com 215 encontros oficiais expandidos por seis temporadas ajudou também a marcar uma era no Porto e em Londres. Cristiano Ronaldo surge na lista dos 150 jogos, sendo o atleta que mais vezes foi requisitado em apenas três temporadas e que mais golos marcou por equipas treinadas por José Mourinho (cerca de 168 golos em 164 jogos), apesar dos confrontos verbais ocorridos após a passagem pelo Real Madrid.

AS CONTRATAÇÕES MILIONÁRIAS DE MOURINHO

Comecemos antes por vermos as primeiras contratações realizadas em alguns dos clubes pelo qual o treinador passou, a começar no FC Porto. Nos azuis-e-brancos o primeiro jogador contratado (não contamos com os retornos de Jorge Costa, por exemplo) foi Maniche, que chegou às Antas no dia 1 de Julho de 2002, ficando para sempre como um dos médios mais emblemáticos da história recente dos dragões; E no FC Chelsea arriscam em quem? Paulo Ferreira, Arjen Robben ou Tiago Mendes? Nenhum destes, pois o primeiro atleta a assinar contrato com os blues de Londres foi o português Nuno Morais, que chegou ao emblema inglês no dia 1 de Julho de 2004, no mesmo dia de Paulo Ferreira (20M€), mas umas horas antes; já em Milão, foi Luis Jimenez, médio-ofensivo chileno, como o primeiro reforço de Mou em terras italianas, custando 11M€ aos cofres do clube então dirigido por Massimo Moratti; chegando à passagem pelo Real Madrid, quem fez a estreia de mercado foi Ángel Di Maria, que depois de algumas épocas a brilhar no SL Benfica, acabou como reforço dos merengues a mando de José Mourinho, cumprindo uma série de temporadas ao mais alto nível; retorno ao Chelsea significou mais contratações e o primeiro a passar a porta dos reforços foi o já reformado internacional alemão, André Schürrle a troco de 22M€; por fim, ao serviço do Manchester United, uma das maiores contratações também foi a primeira de Mourinho, de seu nome Zlatan Ibrahimovic, que custou cerca de zero euros tendo marcado por 29 ocasiões em 51 jogos, valendo uma Liga Europa pelo caminho.

Posto de lado as “primeiras” contratações, o top-3 das mais caras são estas, por ordem: Paul Pogba por 105M€ (Agosto de 2016), Romelu Lukaku por 84M€ (10 de Julho de 2017) e Fred por 59M€ (1 de Julho de 2018). O português mais caro da lista das várias contratações de José Mourinho é partilhado por dois jogadores, Fábio Coentrão (Real Madrid) e Ricardo Carvalho (FC Chelsea), ambos por 30M€.

O HOMEM QUE FOI INSPIRADO POR ROBSON E QUE INSPIROU OUTROS

José Mourinho foi um dos principais adjuntos de Bobby Robson, tendo partilhado o banco de suplentes do já falecido treinador por 80 ocasiões entre Sporting CP, FC Porto e FC Barcelona, abrindo caminho para uma amizade especial e que ficou sempre bem vincada no futebol. O técnico inglês ajudou a construir o caminho inicial do treinador português, influenciando ligeiramente na forma de trabalhar e a paixão autêntica e intensa pelo futebol (algo que já trazia de “casa”, pois o seu pai, Félix Mourinho, foi uma das suas primeiras inspirações), algo que transmitiu a centenas de atletas profissionais que passaram pelas suas mãos, com alguns destes a optarem pela carreira de treinador talvez motivados pelas lições e partilhas com Mourinho. Costinha, Jorge Costa, Nuno Espírito Santo, Mário Silva, Sérgio Conceição, Frank Lampard, Capucho, Pedro Emanuel, Tiago, Scott Parker, Hernán Crespo, são alguns dos nomes que foram tocadas leve ou profundamente pelo treinador da AS Roma, numa clara demonstração que José Mourinho deixou e vai continuar a deixar marca e escola no futebol mundial.

Hernán Crespo, num entrevista para a Sky Sports, falou da importância de Mourinho para a sua formação,

“José Mourinho ensinou-me que para ser um treinador de topo não posso só me preocupar com o 11 inicial, pois tenho de entender tudo, os 360 graus todos, seja na comunicação com a imprensa, administração, jogadores, treinadores ou staff, pois tu estás no meio disso tudo.”


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter