18 Dez, 2017

Os “reforços” de janeiro já cá estão?

Diogo AlvesDezembro 6, 20175min0

Os “reforços” de janeiro já cá estão?

Diogo AlvesDezembro 6, 20175min0
Deve o FC Porto olhar para dentro de Portas e, mais uma vez, os "reforços" serem já atletas FC Porto?

O mês de Janeiro está aí à porta, e, como é habitual todos os clubes procuram fazer uns retoques e afinações nos seus elencos para os últimos 4 meses da temporada. Como tal, o FC Porto não está imune e o próximo defeso poderá trazer boas novidades para o plantel de Sérgio Conceição, o mesmo já abordou o tema e não recusa uma ou duas entradas. Portanto, estando o FC Porto como é sabido com limitações financeiras, devido ao FPF da UEFA, os reforços poderão já estar dentro de portas (equipa B) ou vindo de fora, mas já com contrato arquivado no Dragão (emprestados).

Sérgio Conceição já afirmou – em conferência de imprensa – que os jogadores emprestados estão a ser avaliados e pode existir regressos já no primeiro dia do ano de 2018. E nesse campo há dois jogadores que vieram à tona, o jovem Rui Pedro e Gonçalo Paciência. Os dois avançados viriam para suprimir a falta de mais uma unidade no centro do ataque azul e branco, onde são residentes Aboubakar, Soares e Marega.

As lesões de Soares e Marega abriram espaço à discussão, a reboque veio também o rendimento de Gonçalo nas margens do Sado, o que poderia levar ao regresso do filho de Domingo ao Dragão. Já Rui Pedro, não vem sendo feliz no Bessa, e apesar de ter começado bem com Jorge Simão (titularidade e 1 golo), o novo treinador axadrezado já veio criticar o rendimento do jovem jogador. Posto isto, entre um e outro, eventualmente Gonçalo terá as melhores condições para regressar, sendo que, Rui Pedro pode regressar, mas, para ser reabilitado na B por António Folha. 

Dentro de portas, André Pereira ou Galeno poderão ser os atacantes que Sérgio Conceição recorrerá para suprimir ausências ou menores rendimentos. Ambos já treinam na equipa principal, ainda que a espaços, e já contam minutos na mesma. André Pereira, inclusive, até já tem o seu nome tatuado num momento épico desta época, assistência para Brahimi na famosa reviravolta com o Portimonense para a Taça de Portugal. Já Galeno, embora seja até mais utilizado que o companheiro da equipa secundária, não tem tido um desempenho superlativo, deixando no ar alguma intranquilidade no momento da decisão. Pese todo isto, os dois jovens jogadores poderão ser os “reforços” de janeiro e fixarem-se na equipa principal.

No sector intermédio e defensivo, haverá também jogadores em análise, desde logo o de João Carlos Teixeira que está no SC Braga e tem mostrado um rendimento muito positivo às ordens de Abel Ferreira, um admirador das qualidades do médio. Vindo da Colômbia, de Medellín, chegará Juan Fernando Quintero, um dos talentos que o FC Porto contratou em 2013/14, mas que, nunca rendeu o prometido, terá ele a última chance com Sérgio Conceição? O médio criativo, um “10” à moda Sul-Americana de bom toque de bola, imaginação e “pausa”, fez uma época superlativa no Independiente de Medellín e chega com a confiança nos píncaros, por isso Sérgio Conceição poderá dar-lhe uma singela oportunidade.

Da casta de Lopetegui, há Fede Varela, o jovem médio veio com o atual selecionador de Espanha, e tem demostrado credenciais de qualidade. O argentino fez a pré-época com a equipa principal, mas não ficou como residente, baixando assim aos B’s. Onde tem demostrado muita qualidade e rendimento, figurando assim como um dos potenciais craques a fixar-se na equipa principal. Também Luizão, médio defensivo vindo do São Paulo, poderá ser um elemento a considerar, uma vez que, Danilo Pereira (único “6” do plantel) não tem substituto direto, a menos que Diego Reyes seja (re)adaptado a “6”, posição que bem conhece da seleção do México, mas também dos tempos do América. Havendo ainda Hector Herrera e André André como alternativas remotas, tal e qual, como Rui Pires. 

Por fim, no eixo da defesa reside o impasse sobre a renovação do supracitado Diego Reyes e Ivan Marcano, pelo que será sempre necessário um 4º elemento para compor o sector. Jorge Fernandes tem assumido o papel de um 4º central figurando no plantel, mas jogando pela B, o que permite ao jovem defesa ter minutos e evoluir a jogar. Estando no último estágio antes de chegar em definitivo à A. Da geração de 1999, surgem dois nomes em destaque, o de Diogo Queirós e seu homónimo Diogo Leite. Os dois são considerados como os “centrais do futuro”, esta dupla vem jogando junta há longos anos e até nas seleções jovens fazem dupla. Pelo que poderá estar aqui um dos “reforços” de janeiro, subir já um destes jovens talento para começar a preparar terreno e uma possível sucessão a Felipe ou Marcano.

Numa última pincelada, destacar ainda Diogo Dalot, o promissor lateral já um efetivo entre a equipa principal, poderá ter em janeiro um papel mais ativo caso haja alguma saída de Layún ou Maxi Pereira. O FC Porto prova aqui que, mais uma vez, em caso de necessidade já tem dentro de portas o futuro assegurado a curto ou médio-longo prazo. Não descartando ainda uma ida “a sério” ao mercado para contratar um jogador-chave que seja fulcral na esquematização tática de Sérgio Conceição e ele entenda que não o tenha dentro de portas.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS




Posts recentes



Newsletter


Categorias


newsletter