Top 5 – Dos melhores filmes sobre esportes

Thiago MacielAbril 10, 20215min0

Top 5 – Dos melhores filmes sobre esportes

Thiago MacielAbril 10, 20215min0
O prêmio Oscar ocorre no próximo dia 25 de abril, e faço neste artigo um top 5 de filmes baseado em esportes.

Uma das minhas paixões é sem dúvida o esporte, seja futebol, vôlei, basquete entre tantos outros. Mas outra paixão minha é o cinema. E quando junta os dois você já pode imaginar.
Com o Oscar e outros prêmios do cinema ocorrendo nesse período, pensei num top 5 de filmes que envolvem esportes e foram marcantes, pelo menos pra mim, nas salas de cinema.

1. “Coach Carter: Treino para a Vida” (Coach Carter)

O longa, lançado em 2005, é baseado em fatos e conta a história de Ken Carter (Samuel L. Jackson), um dono de loja de artigos esportivos que aceita treinar o time de basquete da escola onde estudou na infância. Os métodos utilizados pelo treinador impressionam a todos e fazem os atletas agirem como um time. Um filme de rara beleza, atuação de Samuel L. Jackson é de aplaudir de pé, digno de uma indicação ao Oscar, o filme expressa a sensibilidade de uma forma cruel, pois na dor que se consegue os objetivos e mostra amplamente a força da classe pobre americana.

Coach Carter

2. “Invictus”

É possível deixar as diferenças de lado em prol de um único objetivo? O filme “Invictus” (2009) mostra Nelson Mandela (Morgan Freeman), liberto após 27 anos da prisão e sendo eleito presidente da África do Sul quatro anos depois. Ele percebe que o povo negro torce contra a nação em eventos esportivos e busca, através do Rúgbi, fazer o país se unir como um só povo. Após o apartheid, era comum a população negra torcer pro futebol e ser contra o Rúgby, por ter predominantemente jogadores brancos. Invictus é o nome de um poema escrito por William Ernst Henley, em 1875, quando estava no hospital prestes a ter sua perna amputada. Nelson Mandela já foi ouvido dizendo trechos deste poema.

3. “Menina de Ouro”(Million Dollar Baby)

O terceiro filme neste Top 5 é Menina de Ouro. Frankie Dunn (Clint Eastwood) passou a vida nos ringues, tendo agenciado e treinado grandes boxeadores. Frankie costuma passar aos lutadores com quem trabalha a mesma lição que segue para sua vida: antes de tudo, se proteja. Magoado com o afastamento de sua filha, Frankie é uma pessoa fechada e que apenas se relaciona com Scrap (Morgan Freeman), seu único amigo, que cuida também de seu ginásio. Até que surge em sua vida Maggie Fitzgerald (Hilary Swank), uma jovem determinada que possui um dom ainda não lapidado para lutar boxe. Maggie quer que Frankie a treine, mas ele não aceita treinar mulheres e, além do mais, acredita que ela esteja velha demais para iniciar uma carreira no boxe. Apesar da negativa de Frankie, Maggie decide treinar diariamente no ginásio. Ela recebe o apoio de Scrap, que a encoraja a seguir adiante. Vencido pela determinação de Maggie, Frankie enfim aceita ser seu treinador. Um esporte violento, mas tratado com uma leveza. O filme é conduzido perfeitamente por Hillary Swank, vencedora do Oscar de 2005 de melhor atriz. O filme ainda faturou melhor direção, ator coadjuvante e Melhor Filme.

top 3

4. “O Homem Que Mudou o Jogo” (Moneyball)

Baseado no livro “Moneyball: The Art of Winning an Unfair Game”, de Michael Lewis, o filme prometia contar a mesma história já vista em várias produções sobre times esportivos, em que um sujeito, contra tudo e contra todos, adota uma tática pouco ortodoxa para obter sucesso no jogo. O esporte da vez é o baseball, o que por si só já é outro defeito para muitos, afinal somos, salvo exceções, completamente ignorantes com relação as regras e as competições. Felizmente, o longa é tudo, menos ordinário. Por mais que traga alguns clichês do gênero, consegue desviar o foco da história, saindo do baseball para a figura do manager Billy Beane – interpretado pelo sempre competente Brad Pitt. Ao estudar este indivíduo, o filme consegue, inclusive, despertar o interesse no esporte, afinal a paixão e os receios dele são reflexos dos anos vividos dentro do campo.

top 5

5. “Rush: No Limite da Emoção” (Rush)

Anos 1970. O mundo sexy e glamouroso da Fórmula 1 é mobilizado principalmente pela rivalidade existente entre os pilotos Niki Lauda (Daniel Brühl) e James Hunt (Chris Hemsworth). Eles possuíam características bem distintas: enquanto Lauda era metódico e brilhante, Hunt adotava um estilo mais despojado, típico de um playboy. A disputa entre os dois chegou ao seu auge em 1976, quando ambos correram vários riscos dentro do cockpit para que pudessem se sagrar campeão mundial de Fórmula 1. Não é apenas, mais um filme de corrida, ou de uma rivalidade Histórica entre Niki Lauda e James Hunt, mas a formação de uma amizade construída por uma competição que irá definir ambos dentro e fora da Fórmula 1. Fechando o nosso Top 5.

top 5

Bônus

Quando se faz um top 5, acaba-se cometendo muitas injustiças. Então segue abaixo uma menção honrosa de alguns filmes. Manda nos comentários se você sentiu falta de algum.

• Ponto Cego
• Desafiando Gigantes
• Eu, Tonya
• Invencível
• Somos Marshall
• Um homem entre gigantes


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter