Arquivo de GP dos EUA - Fair Play

destaque.jpg?fit=1200%2C675&ssl=1
Luís PereiraNovembro 3, 20192min0

Lewis Hamilton é pela sexta vez Campeão do Mundo de Fórmula 1. Bottas venceu o GP do EUA, mas não foi o suficiente para tirar de Hamilton o título de campeão. Hamilton volta a mostrar que o seu lugar na história está assegurado e apenas Michael Schumacher tem mais títulos do que o britânico.

Lewis Hamilton precisava de assegurar apenas a oitava posição em caso de vitória de Bottas, o que o deixava numa posição confortável. Só que as coisas na qualificação não correram bem, ficando Hamilton na quinta posição da grelha de partida.

Já Bottas fez o que tinha a fazer e garantiu a pole, na frente de Vettel. No arranque, Bottas manteve a posição, arrancando para uma liderança segura. Por sua vez, Hamilton ganhou alguns lugares, chegando-se à frente dos Ferraris, para a terceira posição.

Com o decorrer da corrida dava para entender que Bottas estava a gerir o ritmo, com Verstappen a não se conseguir chegar ao finlandês, mas a manter-se afastado de Hamilton.

Hamilton sabia que a posição era suficiente para o título, mas queria festejar com uma vitória, numa pista onde tanto gosta de vencer. Para tal, a Mercedes decidiu apostar numa estratégia alternativa, com menos uma paragem que os restantes.

Essa estratégia deixou Hamilton a liderar a corrida até Às últimas voltas, mas os pneus mais frescos de Bottas foram o suficiente para conseguir ultrapassar Hamilton, apesar da eximia defesa do britânico.

Ainda assim, foi o suficiente para conseguir manter a segunda posição, e dar mais uma dobradinha à Mercedes, a nona da época. Com isto, Bottas conseguiu vencer o GP dos EUA, estragando um pouco a festa de Hamilton, que mesmo assim tem tudo para festejar.

Hamilton consegue atingir assim o seu sexto título de Campeão, apenas Schumacher tem mais, numa fase em que o britânico admitiu que ainda tem fome de conquista.

A F1 já entregou os títulos este ano, mas ainda tem dois Grandes Prémios pela frente, o próximo daqui a duas semanas, no Brasil.

GRANDE PRÉMIO DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

(foto: formula1.com)

PILOTOS COM MAIS CAMPEONATOS DO MUNDO DE F1

(foto: formula1.com)
DESTAQUE.jpg?fit=1200%2C800&ssl=1
Luís PereiraOutubro 22, 20182min0

Kimi Raikkonen venceu o GP dos EUA e a decisão do título fica adiada para o México.

Foi uma emocionante corrida em Austin. O título estava em jogo e Hamilton precisava de ganhar 8 pontos da vantagem a Vettel. Hamilton conquistou a pole e parecia que estava bem encaminhado para mais uma vitória. Só que o arranque não foi de feição e Hamilton foi batido por Raikkonen.

Raikkonen conseguiu um andamento para se manter afastado de Hamilton e a Mercedes começou a pensar em estratégias alternativas. Enquanto isso, atrás deles, Vettel tentava chegar mais à frente e numa tentativa de ultrapassagem a Ricciardo tocaram-se e Vettel deu um pião.

Tudo parecia perdido para o alemão, mas depois Vettel colocou o pé no acelerador e começou a galgar lugares, até ficar em 5º lugar, atrás de Bottas.

A Mercedes tentava pensar em alternativas para não ficar atrás de Raikkonen e mandou parar Hamilton cedo. Parecia a decisão correta, Hamilton estava na frente e o título matematicamente assegurado, mas os pneus do Mercedes de Hamilton decidiram que não era a hora e Hamilton teve de fazer uma segunda paragem.

Isso deixou Hamilton não só atrás de Raikkonen como do Verstappen. Verstappen estava a fazer uma estupenda corrida, começando do 18º lugar, mas estava a lutar pela vitória.

Hamilton precisava de passar Verstappen, lutou imenso e chegou perto do holandês. Quando viu Verstappen cometer um erro, Hamilton lançou-se, mas Verstappen , mostrou a sua fibra habitual e não deu espaço a Hamilton.

Hamilton perdeu essa luta e teve de se contentar com o 3º lugar. Enquanto isso, Vettel também dissipava todas as dúvidas, passando Bottas, para o 4º lugar, deixando a matemática para o México.

O mais feliz foi então Raikkonen, que finalmente voltou a vencer nesta segunda passagem pela Ferrari. Raikkonen já não vencia desde 2013 e pela Ferrari desde 2009!

Os olhos agora vão estar postos no México, uma corrida que não costuma ser fácil para Hamilton, mas onde lhe basta o 7º lugar para ser Campeão. Vettel ainda mantem as esperanças, depois de sair vivo da América.

GRANDE PRÉMIO DOS EUA

(foto: formula1.com)

CAMPEONATO DO MUNDO DE PILOTOS

(foto: formula1.com)
DNALH3kW4AA7gW7.jpg?fit=1200%2C800&ssl=1
Luís PereiraOutubro 25, 20174min0

Lewis Hamilton vence GP dos EUA, aproximando-se muito do título; título pode acontecer já no México, bastando um 5º lugar; Vettel, em 2º, ainda tem esperança; Verstappen foi estrela da corrida, mas estragaram-lhe o final; Mercedes alcança o Campeonato Mundial de Construtores.

Hamilton domina, Mercedes Campeões do Mundo

Lewis Hamilton está cada vez mais perto do título de Campeão do Mundo de F1. Hamilton teve uma das melhores corridas da temporada e bateu de forma convincente Vettel. Hamilton esteve confortável todo o fim de semana do GP e facilmente chegou à pole, ainda que sem grande vantagem para Vettel.

Mas aos sábados não se ganham pontos, e ultimamente a Ferrari havia tido um carro mais rápido aos domingos. No arranque, Vettel sai melhor e passa para a liderança. Nada disso afetou Hamilton.

Hamilton, bastante confiante, como tem estado desde a pausa de verão, atacou e ultrapassou Vettel. Depois, foi ver Hamilton dominar as ocorrências a seu belo prazer, sempre a controlar ritmo e corrida. Hamilton venceu assim a corrida, coisa que tem sido habito na pista texana.

Para voltar a ser campeão do mundo, Hamilton agora só precisa de terminar em 5º na próxima corrida, no México. Numa forma bastante competitiva, Hamilton sabe que pode acabar com o assunto já na próxima corrida.

Com este resultado a Mercedes conquistou também o Mundial de Construtores, pelo 4º ano consecutivo, reforçando o domínio que tem apresentado desde 2014. A Mercedes tem dominado a era híbrida, que começou em 2014, e não apresenta sinais de abrandar.

Derrota pesada para Vettel

Vettel saiu vivo dos EUA. Saiu vivo, mas sem muitas esperanças. Vettel sabe que Hamilton está bastante perto de ser campeão, mas pior que isso foi a “derrota” que sofreu nesta corrida. A Ferrari tem tido, ultimamente, um carro mais rápido que os Mercedes. Essa rapidez não se traduziu em resultados por erros próprios e por questões de fiabilidade. Apesar disso, Vettel esperava que essa maior rapidez em pista se fosse traduzir em resultados. O problema foi que isso não aconteceu nos EUA.

Vettel até arrancou bem, para a liderança. Mas não durou muito. Cedo se notou que Hamilton estava mais rápido, e cedo ultrapassou o rival. Vettel ainda tentou uma estratégia alternativa, de parar mais uma vez para troca de pneus, mas nunca teve o andamento para ser uma ameaça.

Vettel sabe que matematicamente ainda pode chegar ao título, mas também sabe que só uma enorme maré de azar é que pode parar Hamilton de amealhar os pontos suficientes para chegar ao desejado 4º título.

Verstappen, a estrela da corrida

Enquanto toda a gente se focava nas contas do título, durante a corrida havia um miúdo que brilhava e ultrapassava, Max Verstappen. Verstappen não é nenhum desconhecido nestas andanças, mas o jovem piloto gosta de mostrar as suas habilidades, tal como fez nos EUA.

O “miúdo” saiu da 16ª posição, devido a uma penalidade por troca de motor, mas isso só o fez brilhar mais. Ultrapassagem, atrás de ultrapassagem fê-lo chegar à 6ª posição pela volta 10, com muita energia ainda para mais.

O brilhante ritmo de corrida fez Verstappen depressa apanhar os líderes, com o pódio ali na mira. Facilmente passou um desinspirado Bottas, e estava agora fizado no 3º lugar de Raikkonen. Na última volta, Verstappen conseguiu, estava o pódio alcançado. Só que não. Verstappen foi penalizado por ter cortado a curva durante a ultrapassagem, devolvendo o 3º lugar a Raikkonen. Foi uma penalização dura, mas justa. Apesar de ser ter ficado pelo 4º lugar, Verstappen foi, sem dúvida, a animação da corrida.

O que se segue?

Hamilton tem agora de pontuar pelo menos um 5º lugar nas últimas três corridas que se seguem. Apesar de isso parecer uma questão de tempo, na F1 sabe-se que se deve esperar até que a bandeira de xadrez esteja a dançar para se poder festejar.

Agora a F1 vai para o México, onde se vai ver se Vettel volta a sair vivo ou se Hamilton vai mesmo conseguir finalizar o 2º “match point”.

GRANDE PRÉMIO DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

(foto: f1.com)

CAMPEONATO DO MUNDO DE PILOTOS

(foto: f1.com)

MERCEDES, CAMPEÕES MUNDIAIS DE CONSTRUTORES

(foto: f1.com)

 


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS