Arquivo de GP do Canadá - Fair Play

destaque-1.jpg?fit=1200%2C675&ssl=1
Luís PereiraJunho 22, 20222min0

Max Verstappen continua em boa forma, ao vencer o GP do Canadá, na frente de Carlos Sainz, que ainda pressionou no final.

Foi uma corrida sem grandes incidentes, ainda menos para o piloto neerlandês, que mostrou o porquê de estar a comandar o campeonato. Fez uma qualificação impecável, em condições muito difíceis, mas onde nunca pareceu que a pole iria fugir.

Também na corrida nunca pareceu que a vitória iria fugir ao piloto da Red Bull, dominando desde o arranque, e nem um virtual safety car no final, que favoreceu a estratégia de Carlos Sainz, o abalou.

Carlos Sainz foi o melhor Ferrari do fim de semana, uma vez que Leclerc teve de mudar componentes, o que o tirou da luta. O espanhol assumiu o desafio, puxou dos galões e pressionou bastante para chegar à vitória na parte final da corrida, mas sem sucesso. Verstappen não cometeu qualquer erro, não colocou nenhuma roda mal, e por muito andamento que tivesse, Sainz só conseguia chegar-se perto do Red Bull, mas nunca foi uma real ameaça.

Posto disto, não deixou de ser um bom resultado para Sainz, mas o espanhol vai sentir-se desiludido por ainda não ter sido desta a chegar à vitória. Quem também fez uma boa corrida foi Lewis Hamilton, que obteve o apenas segundo pódio do ano. A Mercedes que tem tido grandes problemas este ano, espera que este tenha sido uma corrida onde começam a ficar mais próximos da luta pelos lugares dianteiros.

Logo atrás de Hamilton ficou Russell, que desta vez se viu batido pelo ilustre colega, mas ainda assim é mais uma corrida no top5, numa grande época do britânico.

A completar o top5 ficou Leclerc, que recuperou bastantes lugares, mas começa a ver Verstappen demasiado distante, o que irá dificultar imenso a luta pelo título.

Logo a seguir veio da dupla da Alpine, com Ocon à frente de Alonso. Alonso que partiu da linha da frente, mas uma estratégia conservadora e problemas com o componente elétrico da unidade motriz, levaram ao espanhol a terminar bem longe do pódio.

A Alfa Romeo também conseguiu pontuar com ambos os pilotos e a fechar o top10 ficou o Aston Martin de Stroll.

Max Verstappen conseguiu não só estender a vantagem que leva na liderança do campeonato, como também conseguiu vencer pela primeira vez no Canadá. Segue-se Silverstone, numa corrida onde os britânicos não irão querer muito ver nem os Red Bull, nem os Ferrari a vencer.

GRANDE PRÉMIO DO CANADÁ

CAMPEONATO DO MUNDO DE PILOTOS E CONSTRUTORES

destaque.jpg?fit=1200%2C675&ssl=1
Luís PereiraJunho 10, 20193min0

Hamilton venceu o GP do Canadá, numa corrida que ficou marcada pela polémica penalização de Sebastian Vettel.

Lewis Hamilton venceu o GP do Canadá, mas não foi ele que cruzou a linha da meta em 1º. Foi Sebastian Vettel quem cruzou a linha em 1º lugar, mas a vitória não foi sua.

Parecia que iria ser desta que as vitórias iriam regressar à Ferrari, até pela brilhante qualificação de Vettel. Vettel conseguiu conquistar a pole, na frente de Hamilton, pela primeira vez este ano.

Até o arranque parecia mostrar que o destino estava lançado para uma vitória da Ferrari, com Vettel a manter a liderança, apesar do bom arranque de Hamilton.

Durante a corrida, e já depois das paragens de pneus, Hamilton tentava pressionar Vettel. Apesar de bom andamento, Vettel parecia manter-se seguro, mas cometeu um erro, saindo de pista, para a relva, entrando imediatamente de seguida em pista, quase embatendo em Lewis Hamilton.

Por sorte os dois pilotos não se tocaram, só que este acontecimento alertou os comissários, que investigaram o acontecimento.

Depois de alguma deliberação, foi decisão deles que Vettel teria entrado em pista de forma imprudente, obrigando outro piloto a medidas extremas para evitar colisão. Por esse motivo penalizaram Vettel em 5 segundos, que seriam retirados no final da corrida.

Esta penalização deixou Vettel furioso, pois sabia que não conseguiria manter Hamilton a mais do que 5 segundos.

No meio disso, Hamilton forçava para tentar ultrapassar Vettel, mas sem conseguir. No final, Vettel passou a linha em 1º lugar, mas a vitória era de Hamilton.

No final Vettel estava tão furioso que estava para não aparecer na cerimónia do pódio, mas foi convencido de que seria melhor.

Vettel acabou por ir, mas pouco resignado com o que tinha acabado de acontecer.

Por sua vez, Hamilton estava contente com uma vitória com a qual já não contava, a sua 3ª seguida e a 5ª da época, apesar de dizer que não era daquela forma que gostaria de ter vencido.

O pódio foi completado por Leclerc, que ficou em 3º. Bottas chegou ao quarto lugar e conquistou um ponto de bónus pela volta mais rápida.

Max Verstappen recuperou até ao quinto lugar, depois de ter arrancado de nono, na frente de Ricciardo. Hulkenberg foi setimo, com Pierre Gasly apenas em oitavo, no segundo Red Bull, isto depois de ter começado a corrida em quinto.

O top 10 foi completado por Lance Stroll e Daniil Kvyat.

A Fórmula 1 vai ter muita tinta a correr durante estes dias, com muita discórdia no paddock devido à penalização a Vettel. Foram os comissários muito duros, ou simplesmente justos?

GRANDE PRÉMIO DO CANADÁ

(foto: formula1.com)

CAMPEONATO DO MUNDO DE PILOTOS

(foto: formula1.com)
DfatAydWAAMzsAn.jpg?fit=1200%2C800&ssl=1
Luís PereiraJunho 13, 20183min0

Vettel dominou e venceu o GP do Canadá. Vettel foi tão dominador que a bandeira de xadrez foi mostrada uma volta antes da corrida ter terminado.

Vettel não deu hipotese na qualificação, conquistando a pole, e na corrida foi igual. O piloto da Ferrari nunca perdeu a liderança da corrida e tornou-se no primeiro piloto a vencer três corridas, este ano.

Esta vitória, num circuito onde se esperava que os Mercedes fossem dominar, foi um bom impulso psicológico para a Ferrari e também deu a liderança do Campeonato a Vettel.

O melhor dos Mercedes este fim de semana foi Bottas. O finlandês foi quem mais perto se manteve de Vettel, mas teve de se preocupar mais em defender-se de Verstappen do que em atacar o alemão.

Verstappen ficou no 3º lugar do pódio, numa corrida (finalmente!!!) limpa do jovem piloto da Red Bull. Pode ser que o Canadá tenha sido o ponto de viragem para Verstappen voltar a mostrar a qualidade que lhe é reconhecida, mas sem os erros persistentes deste ano.

Ricciardo desta vez não foi o melhor dos Red Bull e terminou em 4º, aproveitando da melhor forma os vários problemas de Lewis Hamilton. Hamilton terminou em 5º, depois de problemas na qualificação e tambem na corrida. Hamilton chegou a temer que o seu motor fosse dar as últimas durante esta corrida, mas chegou para terminar em 5º. Ainda assim, Hamilton deverá sentir uma enorme desilusão, já que o GP do Canadá é a sua corrida de eleição.

Atrás de Hamilton terminou Raikkonen que fez mais uma corrida no esquecimento. Raikkonen não conseguiu aproveitar o menor rendimento de Hamilton nesta corrida e fez mais uma corrida bem distante dos pilotos da frente.

Bom resultado para a Renault, que conseguiu ter ambos os carros nos lugares de “best of the rest”, na 7ª e 8ª posição. Mostrando que, num circuito onde a potência importa muito, que a unidade motriz da Renault não tem assim tanta falta de performance.

A completar os lugares pontuáveis estiveram Ocon, com o Force India, e o já impressionante Leclerc com o Alfa Romeo-Sauber. Leclerc tem recebido muitos elogios neste início de temporada e no Canadá voltou a mostrar porquê.

No geral foi uma corrida pacata, muito pouco comum no GP do Canadá, com poucas ultrapassagens e emoção.

O grande vencedor foi, sem dúvida, Vettel, não só pela vitória, mas também pela ascensão à liderança do Campeonato, ainda que só com 1 ponto de vantagem para Hamilton.

Agora resta ver qual das equipas vai responder melhor, numa época onde ainda ninguém se conseguiu distanciar da concorrência, mantendo sempre no ar “Quem irá vencer este fim de semana?”

CAMPEONATO MUNDIAL DE PILOTOS

(foto: f1.com)

Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS