Arquivo de GP de França - Fair Play

destaque-1.jpg?fit=1200%2C675&ssl=1
Luís PereiraJunho 21, 20214min0

Max Verstappen venceu o Grande Prémio de França, depois de uma estratégia mais arrojada da Red Bull, isto depois do piloto holandês ter dado a imagem que iria ter vida fácil em França após ter conquistado a pole para a corrida, só que no arranque cometeu um erro na curva 2, entregando a liderança da corrida a Lewis Hamilton.

Com este arranque Verstappen via-se sanduichado entre os Mercedes de Hamilton e de Bottas, em terceiro. O ritmo manteve-se constante durante a primeira parte da corrida, com os Mercedes a parecerem os mais rápidos e, a certa altura, para tentar obrigar a Red Bull a agir, a Mercedes decidiu arriscar. A marca alemã mandou Valtteri Bottas parar, para forçar alguma reação da parte da Red Bull, que não tardou muito a aparecer, com Max Verstappen a parar imediatamente logo a seguir.

Com estas paragens Verstappen continuou na frente de Bottas, ficando agora a Mercedes a ter de reagir para ver o que fazer com Hamilton. A solução foi tentar executar a mesma estratégia, agora com Hamilton, com o piloto britânico a entrar nas boxes. Tudo parecia que iria correr bem para a Mercedes, mas surgiu um Verstappen a um ritmo incrível, acabando o neerlandês por resgatar o 1º lugar, com este cenário a forçar Hamilton a ter de correr atrás do prejuízo! Hamilton bem tentava forçar o ritmo, apertando com Verstappen, mas o piloto da Red Bull aguentava e mantinha-se no controlo.

Só que este ritmo do piloto da Red Bull estava a destruir os pneus mais depressa do que gostariam, emergindo algumas dúvidas se conseguia ou não manter o 1º lugar da classificativa. E, então, a Red Bull teve uma reação imediata e ganhadora, já que mandou Verstappen parar imediatamente, evitando o undercut da Mercedes. Com a mudança de estratégia da Red Bull, para duas paragens, a Mercedes viu-se na situação em que não conseguia alterar a posição e tinham agora de fazer a estratégia de uma paragem funcionar.

Agora cabia a Verstappen conseguir ter andamento suficiente para ir atrás dos Mercedes e, claro, ultrapassá-los. Com apenas dez voltas para o final, o actual 1º classificado do Campeonato do Mundo chegou-se a Bottas e facilmente ultrapassou-o, sendo isto um duro golpe para a Mercedes, porque a equipa germânica esperava que o finlandês servisse, pelo menos temporariamente, de escudo ao seu colega de equipa.

Uma vez que Bottas nem uma volta aguentou ao ataque de Verstappen, Hamilton via cada vez mais a sua liderança ser encurtada. Apesar da postura sem erros de Hamilton, Verstappen também conseguiu ultrapassar, a duas voltas do fim, demonstrando que a estratégia da Red Bull tinha funcionado na perfeição, e não só “ofereceu” a vitória da corrida ao seu piloto como possibilitou a Sergio Perez de chegar ao pódio, pois o mexicano deixou Bottas para trás a quatro voltas do fim.

Com este resultado Verstappen vê a sua liderança no mundial reforçada, e logo numa pista onde se esperava que fosse a Mercedes a ficar por cima. Hamilton tentou de tudo, mas não foi suficiente para parar a combinação da Red Bull, enquanto Bottas ficou muito desiludido por ter ficado fora do pódio, ainda mais quando ambos os pilotos pediram para a estratégia ser de duas paragens.

O melhor dos restantes foi, mais uma vez, Lando Norris que está em boa forma, e é o único piloto este ano a terminar nos pontos em todas as corridas e apenas por uma vez foi fora do top 5. Ricciardo ficou logo atrás do colega de equipa, em sexto, naquela que foi a melhor corrida que fez pela McLaren. Foi um excelente resultado de equipa, possibilitando à McLaren a voltar ao terceiro lugar no campeonato.

Gasly voltou a fazer uma boa corrida e teve de puxar dos galões para ficar na frente de Alonso, com a dupla da Aston Martin, Vettel e Stroll a fechar o top 10.

GRANDE PRÉMIO DE FRANÇA

CAMPEONATO DO MUNDO DE PILOTOS / CAMPEONATO DO MUNDO DE CONSTRUTORES

destaque-1.jpg?fit=1200%2C675&ssl=1
Luís PereiraJunho 23, 20192min0

Lewis Hamilton voltou a mostrar que está em plena forma, dominando completamente o Grande Prémio de França.

Lewis Hamilton começou o domínio logo em qualificação, com a pole, qualificação essa que faria adivinhar todo o domínio que iria ser trazido para a pista durante a corrida.

Numa corrida com poucos incidentes, Hamilton dominou do início ao fim, numa corrida onde nunca se duvidou quem seria o vencedor no final. Ainda para mais, numa altura em que Hamilton não tem mostrado falhas ou erros cometidos.

Atrás de Hamilton ficou Bottas, que cada vez mais parece ter perdido a forma do início da temporada. Parece que Bottas começa a ficar cada vez mais ciente de que Hamilton está imbatível e cada vez mais longe.

Em 3º ficou Leclerc, o melhor dos Ferrari, ficou num distante terceiro lugar do pódio. Apesar de boa resposta dos Ferrari no Canadá, em França não tiveram sequer hipotese de levar a luta aos Mercedes.

Verstappen fez uma sólida e solitária corrida até ao 4º lugar, à frente de Vettel. Vettel começou na 7ª posiçao da grelha e o melhor que conseguiu foi o 5º lugar, bem longe das posições cimeiras.

Em 6º lugar, melhor dos “restantes” ficou Carlos Sainz. Foi uma forte prestação dos McLaren, com uma forte qualificação e forte corrida. Norris terminou na 9ª posiçao e teria terminado em 7º não fosse um problema de fiabilidade na direção do seu carro.

Foi uma corrida com muita pouca ação, mas que mostrou mais uma vez a enorme superioridade da Mercedes e de Hamilton. Hamilton atingiu assim a sua 6ª vitória em 8 corridas, a 79ª da carreira e parece que não vai ficar por aqui.

A F1 volta agora com p GP da Áustria, onde se espera por mais domínio da Mercedes.

GRANDE PRÉMIO DE FRANÇA

(foto: formula1.com)

CAMPEONATO DO MUNDO DE PILOTOS

(foto: formula1.com)
desstaque.jpg?fit=1200%2C800&ssl=1
Luís PereiraJunho 26, 20183min0

Lewis Hamilton venceu, sem grandes dificuldades, o GP de França. O piloto britânico da Mercedes aproveitou a já muito desejada melhoria do motor para responder a Vettel e conseguir assim a sua terceira vitória da temporada.

Hamilton conseguiu largar da pole, sem oposição e beneficiou ainda do choque entre Vettel e Bottas. A partir daí a sua única preocupação seria Verstappen, mas o piloto da Red Bull nunca conseguiu ser sequer uma ameaça.

Verstappen beneficiou bastante do incidente da primeira curva, entre Vettel e Bottas. Vettel arrancou bem e tentou passar ambos os Mercedes, mas tocou em Bottas e estragou a corrida de ambos. Bottas teve um furo e Vettel a asa partida.

Com isso também Raikkonen teve direito a terminar no pódio, no 3º lugar, à frente de Ricciardo, que não conseguiu aguentar a carga do finlandês. Com isto, as três equipas mais fortes conseguiram colocar um dos seus pilotos no pódio, o que diz muito da competitividade que tem existido este ano.

Vettel, depois do erro cometido na primeira curva, teve de fazer uma corrida de recuperação. Apesar de ter ficado nas últimas posições depois de repor uma asa nova, Vettel conseguiu utilizar o bom andamento do seu Ferrari e recuperar até ao 5º posto! Tendo em conta as dificuldades que se tem sentido para ultrapassar nas últimas corridas, é uma condução de louvar.

Já Bottas não teve tanta sorte. Apesar de também ter tido alguma recuperação, não conseguiu ir além do 7º lugar, atrás de Magnussen. Foi uma daquelas situações onde o culpado, neste caso Vettel, acabou por sair por cima do prejudicado Bottas.

Um dos destaques da corrida tem de ser a péssima prestação da McLaren. Este ano a McLaren apostou nos motores Renault e acreditava-se que iriam conseguir lutar mais próximos da frente. A verdade é que a McLaren não tem mostrado um andamento competitivo e já se começa a ver alguma contestação nas posições mais altas da hierarquia de Woking. A McLaren precisa urgentemente de resolver os problemas se quer voltar a ser uma força de destaque na F1 e desta vez já não tem a Honda para servir de bode expiatório.

Com esta vitória Hamilton voltou a ficar na liderança do campeonato, ainda que o pêndulo da competitividade esteja ainda bem equilibrado! Vettel voltou a cometer um erro que lhe custou caro, apesar que desta vez não tenha sido isso a entregar a vitória a Hamilton, mas entregou alguma vantagem pontual, que é agora de 14 pontos. Hamilton e Vettel são claramente os favoritos ao título e cada erro pode custar caro no final.

A próxima corrida, na Áustria, vai ser mais um passo importante para o novo pentacampeão da Fórmula 1, seja ele Hamilton ou Vettel.

GRANDE PRÉMIO DE FRANÇA

(foto: f1.com)

 

CAMPEONATO MUNDIAL DE PILOTOS

(foto: f1.com)

Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS