Torneios Continentais do Voleibol – resumo parte 2

Thiago MacielOutubro 1, 20214min0

Torneios Continentais do Voleibol – resumo parte 2

Thiago MacielOutubro 1, 20214min0
Neste artigo, finalizo os últimos torneios continentais disputados no mês de setembro, que definiram as vagas do Mundial 2022.

Depois de termos falado de alguns dos torneios internacionais de voleibol, é altura de irmos à segunda metade e perceber o que ficou decidido quer na Europa ou América do Sul.

Campeonato Europeu de Vôlei (Masculino)

Status: Encerrado

Como no feminino a Itália sagrou-se campeã europeia de voleibol masculino. Este foi o sétimo título da equipe Azzurra no Europeu, quebrando um jejum de 16 anos desde o último título conquistado, em 2005. A Itália só está atrás da extinta União Soviética, que ganhou 12 taças. A Eslovênia segue atrás do primeiro troféu. Daniele Lavia fez 21 pontos e foi o maior pontuador dos campeões. Alen Pajenk fez 16 pontos para os eslovenos.

O título contempla uma nova geração que recoloca a Azzurra como protagonista, logo na primeira competição após a aposentadoria de Juantorena, o afastamento de Zaytsev por lesão, sem contar as ausências de Vettori, Colacci, Lanza, entre outros nomes bem conhecidos dos últimos ciclos.

torneios
Itália quebra jejum de 16 anos (Foto: Getty Images)

Campeonato Sul-Americano (Feminino)

Status: Encerrado

Com um torneio disputado por apenas cinco seleções, o Brasil era amplo favorito a ganhar todos os jogos.

Para conquistar o 22° título sul-americano, a equipe comandada por José Roberto Guimarães chegou à rodada final do Sul-Americano, disputado na própria Colômbia, precisando vencer apenas um set contra as anfitriãs para levantar a taça. Com apoio da torcida no ginásio da cidade de Barrancabermeja, as colombianas surpreenderam e ganharam as duas primeiras parciais (25/19 e 25/23), o que já garantiu o time da casa no Mundial do ano que vem.

O Brasil acordou no terceiro set e levou a melhor, mesmo com sofrimento (26/24), assegurando o título. Mas o nível da atuação seguiu abaixo do apresentado na Olimpíada, quando o time ficou com a medalha de prata. A Colômbia aproveitou para vencer o quarto set (25/23) e conquistar um triunfo inédito na história do confronto pelo Sul-Americano.

22° título das brasileiras (Foto: Getty Images)

Torneio continental da Ásia (Masculino)

Status: Encerrado

O Irã defendeu com sucesso o título do campeonato Asiático de vôlei masculino conquistado em 2019.
A equipe do oriente médio não teve facilidades, apesar do 3-0 sobre o Japão, donos da casa, os sets foram muito equilibrados e dois deles não acabaram nos 25 pontos. Entretanto, os iranianos levaram a melhor e ganharam com parciais de 27-25, 25-22 e 31-29 em 113 minutos de jogo.

Irá mantém o domínio na Ásia (Foto: Getty Images)

Torneio continental da Ásia (Feminino)

Status: Adiado

O Campeonato Asiático Feminino, inicialmente marcado para acontecer entre 29 de agosto e 5 de setembro, será realizado apenas em maio de 2022. A Confederação Asiática de Vôlei adiou o evento devido às restrições impostas pela pandemia do Coronavírus. A consequência mais importante da mudança de data é que as duas vagas para o Campeonato Mundial de Voleibol de 2022, que seriam oferecidas aos finalistas do torneio, serão atribuídas pelo ranking da Federação Internacional. Assim, China e Japão já estão garantidas.

Outros campeões

Norceca Masculino – Porto Rico
Torneio Africano Masculino – Tunísia
Torneio Africano Feminino – Camarões

Finalizando este artigo dos campeões continentais de vôlei faço uma menção a Pri Rivera, atleta da República Dominicana que foi campeã, mais uma vez, da Copa Pan-Americana.

A ponteira de 36 anos fez sua última partida da carreira. Antes de a partida acabar, ela já estava com lágrimas nos olhos. Chamada de “MVPri”, a jogadora foi abraçada pelas companheiras em um momento de maior emoção. Ela ainda recebeu uma camisa 14, enquadrada e autografada por todo o time. Políticos, personalidades do país e ex-atletas também foram chamadas para homenagear Rivera.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter