Bola de Xeque #2 – Efeitos Coronavírus no mundo do Voleibol

Thiago MacielAbril 4, 20207min0

Bola de Xeque #2 – Efeitos Coronavírus no mundo do Voleibol

Thiago MacielAbril 4, 20207min0
Os eventos de voleibol estão paralisados devido ao Coronavírus, mas nem por isso deixamos de ter novidades. E aqui na segunda edição do Bola de Xeque você se atualiza de tudo que foi relevante no mundo do vôlei.

A Organização Mundial de Saúde declarou que estamos em uma situação de Pandemia em todo o mundo devido a situação do Convid 19, causada pelo novo Coronavírus. Como não poderia deixar de ser a maioria dos eventos esportivos estão sendo muito afetados. Praticamente todas as modalidades, da Fórmula 1 a NBA, estão sofrendo com adiamentos ou cancelamentos de suas competições. E o voleibol não fica de fora deste contexto, com todas as suas competições paralisadas e algumas até canceladas. E com o recente adiamento dos Jogos Olímpicos do Japão, o que ocorre pela primeira vez na história – anteriormente, já houve cancelamentos por causa das 1° e 2° guerras. E aqui na segunda edição do Bola de Xeque você acompanha os fatos mais relevantes que ocorreram no mundo do voleibol e o reflexo do Coronavírus nas suas competições.

 

Liga das Nações 2020

Federação Internacional de Vôlei (FIVB) anunciou o adiamento da Liga das Nações deste ano, por conta da pandemia do Coronavírus.

A competição foi adiada, e assim não será disputada neste primeiro semestre (começaria em maio) e provavelmente será remarcada para o segundo semestre deste ano. Ela ainda não está cancelada na atual temporada.

Em nota oficial a FIVB se pronunciou da seguinte forma:

“A decisão de adiar o VNL garantirá que os atletas possam se concentrar em cuidar de sua saúde e condicionamento físico e permitirá que as ligas nacionais, que atualmente precisam suspender os eventos, concluam suas temporadas quando a situação melhorar. A FIVB está, é claro, olhando para o futuro com otimismo e está trabalhando em estreita colaboração com as Federações Nacionais e os organizadores de eventos relevantes para encontrar uma data apropriada para sediar a VNL após os Jogos Olímpicos”.

Com a confirmação do adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio, o Comitê Olímpico Internacional (COI) definiu que a competição começará em 23 de julho e terminará em 8 de agosto do ano que vem. Poderemos ter, assim, duas Liga das Nações antes dos jogos, uma neste segundo semestre e outra a partir de maio de 2021.

A Liga das Nações é um importante evento que serve como preparação para os jogos, e se tudo for confirmado, no caso, haverá duas edições antes das Olimpíadas, e quando da oficialização das datas permitirá um avanço no planejamento das equipes envolvidas.

Vôlei de Praia

Em relação ao vôlei de praia, devido à natureza de seu calendário de eventos, foi acordado que, nesta fase, a FIVB continuará a avaliar o status de cada evento caso a caso. A corrida olímpica por vagas está aberta em muitos países e seria encerrada com etapas do Circuito Mundial nos próximos dois meses. A FIVB está constantemente em contato com o Comitê Olímpico Internacional (COI) para uma possível revisão do sistema de classificação para os Jogos, entretanto as duplas já classificadas, como as brasileiras por exemplo, estão confirmadas para os jogos.

 

Torneios europeus não voltam antes de meados de maio

A Confederação Europeia de Vôlei (CEV) anunciou novas determinações diante da pandemia de Coronavírus. Na mais relevante delas, a confirmação de que os torneios continentais (Champions League, Copa CEV e Copa Challenge) não serão reiniciados antes de meados de maio.

A única exceção foi o duelo das semifinais da Copa CEV entre os russos Zenit São Petersburgo x Lokomotiv Novosibirsk, que foi disputada, no dia 19 de março, sem presença de público e com vitória por 3×1 para o Lokomotiv.

Além disso, a CEV também adiou competições de categorias de base, vôlei de praia e vôlei na neve. A esperança é retomá-los quando a curva de contaminação de Coronavírus diminuir no continente.

Torneios cancelados

A Federação Russa de Vôlei anunciou o encerramento da temporada no país por conta do Coronavírus. E decretou o Dínamo Kazan, no feminino, e o Lokomotiv Novosibirsk, no masculino, como os campeões, por terem terminado na primeira colocação ao fim da temporada regular. É o primeiro título nacional do Lokomotiv Novosibirsk, enquanto Kazan volta a ser o vencedor do campeonato local depois de quatro anos de domínio do Dínamo Moscou.

No Brasil, a Superliga Liga feminina, na sua temporada 2019/2020, está oficialmente encerrada. E diferentemente dos torneios russos não terá uma campeã. Apesar da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) ter definido que o Praia Clube será o representante tanto da Supercopa do Brasil quanto no Sul-americano de clubes de 2021. Seis clubes e a Comissão de Atletas votaram pelo fim do campeonato, contra dois votos contrários.

Já Superliga Liga masculina não foi encerrada. Na reunião entre a Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) e os clubes, na tarde desta quinta-feira, a decisão foi aguardar mais 30 dias e analisar o cenário do Coronavírus.

FIVB libera jogos

A FIVB divulgou também que, a partir do dia 23/03, vai transmitir, em seu canal no youtube, vários jogos de competições organizadas pela entidade tanto na quadra quanto na praia enquanto durar o confinamento. Os jogos ficarão sendo transmitidos durante todo o dia.

Confira abaixo os horários e os confrontos na quadra e na praia programados para esta semana pela Federação Internacional:

Mercado

A Federação Polonesa de Vôlei divulgou, nesta segunda-feira, uma nota oficial sobre a situação do técnico Vital Heynen. Alguns veículos do país publicaram no fim de semana reportagens sobre a falta de um contrato em vigor atrapalhar a preparação olímpica. Segundo a entidade, o belga está garantido no comando da seleção masculina do país até o fim da participação nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em agosto de 2021.

O polonês Mariusz Wlazly anunciou o fim da sua trajetória pelo Skra Belchatow, após 17 anos de clube. Wlazly não revelou seus planos para o futuro e com a suspensão da temporada, é provável que não se despeça do seu clube.

Outro grande jogador que já organiza uma volta pra casa é Bruninho, com a sensação do dever cumprido na Itália, por ganhar todos os títulos possíveis com o Lube Civitanova, e o desejo de estar mais perto da família, o levantador brasileiro vai retornar para o vôlei brasileiro na temporada 2020/2021 e  jogará pelo EMS Taubaté.

EMS Taubaté que contará com um novo treinador, o argentino Javier Weber, que após 13 anos deixa a equipe do Bolívar(ARG) e chega para substituir Renan dal Zotto, que vai assumir uma função de coordenação no clube.

Levantador Bruninho de volta ao Brasil na próxima temporada.

Craque Recuperado

Earvin Ngapeth deixou, dia 23/03, o hospital em Kazan, na Rússia.  Pelas redes sociais, o ponteiro francês publicou um agradecimento aos médicos e ao Zenit Kazan, seu clube, pelo apoio dado nas últimas semanas durante o tratamento contra o Coronavírus.

Depois de 15 dias internado, a expectativa é de que ele retorne para a França e passe pela quarentena obrigatória antes de voltar para a Rússia.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter