Covid atinge Djokovic e deixa sérvio no olho do furacão

André Dias PereiraJunho 24, 20202min0

Covid atinge Djokovic e deixa sérvio no olho do furacão

André Dias PereiraJunho 24, 20202min0

Novak Djokovic, Borna Coric, Grigor Dimitrov e Vicktor Troicki. Quatro tenistas do circuito profissional de ténis testaram positivo para o Covid-19. Os jogadores terão contraído a doença na sequência da Adria Tour, torneio beneficente organizado na Sérvia e Croácia por Djokovic.

O objetivo era promover o ténis no leste europeu, tendo os tenistas participado sem cachet. Djokovic garantiu que todas as medidas de segurança seriam tomadas, mesmo com público para garantir algum ambiente. A final já não chegou a acontecer.

O torneio foi alvo de críticas, por decorrer num período tão sensível da doença. Djokovic está assintomático e sua mulher Jelena também foi diagnosticada com o vírus. Os dois ficarão isolados por 14 dias. Antes deles, o preparador físico do sérvio também testara positivo para a doença.

O presidente da ATP, Andrea Gaudenzi, comparou a organização da prova a uma criança que quer aprender a andar de bicicleta sem proteção. O número 1 mundial alega que a Adria Tour tinha boas intenções e defende que decorreu num período de enfraquecimento do vírus, lamentando pelo sucedido.

Sérvio critica medidas de segurança para US Open

Este episódio é apenas mais um no rol de polémicas que têm envolvido o sérvio nos últimos meses. Enquanto presidente Presidente do Conselho dos Jogadores, tentou planos de apoio junto da ATP para tenistas em dificuldade, mas também se manifestou contra a vacinação obrigatória.

Uma das críticas veio de Rafa Nadal. “Cada um é livre e eu não sou ninguém para exigir nada a ninguém, mas se você participa do circuito, precisa se orientar pelas normas que há nele. Se nos obrigarem a tomar a vacina, Djokovic terá que se vacinar se quiser continuar a jogar ténis”.

Ainda sobre o Coronavirus, Novak Djokovic tinha sido um dos tenistas que se posicionaram contra o “excesso de medidas” tomadas pela ATP.  Com o US Open agendado para 31 de agosto, é crível que a ATP aperte ainda mais as medidas de segurança. Uma delas é a impossibilidade de os jogadores deixarem o complexo para rumarem a Manhattan. Outra medida é dormir no aeroporto para que os tenistas sejam testados várias vezes por semana, para além de poderem levar apenas uma pessoa para o clube.

Djokovic nunca foi um dos mais populares tenistas do circuito. E a verdade é que nos últimos meses pouco tem feito para mudar isso. O torneio US Open vai, por isso, ser não apenas um bom teste para a ATP mas também para o número 1 mundial.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter