27 Abr, 2018

Andujar ressurge na terra batida de Marraquexe

André Dias PereiraAbril 16, 20182min0

Andujar ressurge na terra batida de Marraquexe

André Dias PereiraAbril 16, 20182min0

Pablo Andujar conquistou este domingo o torneio ATP 250 Marraquexe, depois de vencer na final o britânico Kyle Edmund, por duplo 6-2. Mas esta não foi uma vitória qualquer. Foi o seu quarto título na carreira e o primeiro nos últimos quatro anos (Gstaad, 2014).

Andujar, que já esteve entre o top-40 e hoje em 355, estava, há poucas semanas, fora do top-1800. A queda deveu-se, em grande parte, a uma lesão no cotovelo que o levou a fazer três cirurgias. Agora, o espanhol parece estar de volta apresentando-se em grande forma em Marraquexe. “Sempre acreditei que poderia regressar. Caso contrário não estaria aqui a fazer nada”, disse.

Na final, Andujar esmagou nada menos que Kyle Edmund. O britânico é 26º do mundo, foi semi-finalista no Australian Open e estará no Estoril a partir do próximo dia 28. Foi a terceira vez que o espanhol venceu em Marrocos. As outras vitórias foram em 2011 e 2012.

Sousa subirá seis lugares

Andujar deixou para trás Ilya Ivashka (6-3 e 7-5), Andrea Arnaboldi (6-0 e 6-2) e Alexey Vatutin (6-4, 5-7 e 6-3). Nas meias-finais, levou a melhor sobre João Sousa, por duplo 6-4. Sousa jogou as meias-finais após eliminar Pedro Martinez (Esp), Mirza Basic (Bos) e Nikoloz Basilashvili (Geo). Apesar da derrota, o português subiu, esta segunda-feira, seis lugares no ranking, sendo agora 64º.

Sousa, que não jogará Monte Carlo, vai disputar a partir de dia 23 o ATP 500 Barcelona. Já Pablo Andujar, que venceu recentemente o Challanger de Alicante, poderá subir mais de 200 lugares no ranking.

Com 10 vitórias consecutivas, Andujar tornou-se o primeiro jogador desde Ryan Harrison, em 2017, a ganhar um torneio Challanger e um torneio ATP em duas semanas. O outro jogador a conseguir o mesmo feito foi David Goffin.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter