Rugby Português “lá fora”: José Conde em grande na Division de Honor

Francisco IsaacOutubro 5, 20216min0

Rugby Português “lá fora”: José Conde em grande na Division de Honor

Francisco IsaacOutubro 5, 20216min0
O pilar português marcou dois ensaios na vitória do Santboiana e é o destaque principal da semana. Fica a saber como jogou José Conde e outros portugueses

Num fim-de-semana de descanso para a ProD2, a Division de Honor está de regresso com alguns atletas portugueses a participar, nomeadamente José Conde, o pilar português que acabou por marcar dois ensaios nesta sua 3ª época por terras espanholas. Fica a saber o que se passou com os nossos internacionais portugueses por lá.

O DESTAQUE DA SEMANA: JOSÉ CONDE E UM INÍCIO EM ALTA

O UE Santboiana entrou a ganhar na Division de Honor (principal divisão da modalidade em Espanha) e José Conde foi um dos MVP’s do encontro frente ao Gernika, não só pelos dois ensaios marcados, como pelo trabalho excelente na formação-ordenada, nos rucks e no oferecer uma solução de ataque viável e de bom impacto, que deu outro fôlego ao emblema catalão quando estavam a ser pressionados pelo emblema basco. O pilar jogou cerca de 55 minutos saindo após conquistar uma penalidade numa formação-ordenada, forçando ao seu adversário directo a levantar e a ceder perante um excelente trabalho de tração e força, mostrando toda a sua categoria nesta fase-estática, algo repetido durante todo o encontro.

Se o 2º ensaio foi por via de um maul dinâmico, podendo levar ao debate de que é mais um esforço colectivo do que uma situação individual, já o segundo foi diferente, pois José Conde viu bem onde estava o espaço na defesa basca, acelerando no momento certo para entrar pela linha-de-defesa e sair em rompante até à área de validação, oferecendo um excelente pormenor da combinação de técnica de corrida, acutilância mental e sentido de oportunidade.

Naquela que é a sua terceira temporada a jogar na primeira divisão de rugby espanhola, o atleta formado no GDS Cascais procura se estabilizar como um dos melhores jogadores na sua posição, um objectivo bem possível de alcançar se mantiver este tipo de exibições, como se viu frente ao Gernika na 1ª jornada. O Fair Play entrevistou o internacional português, e realizou três questões sobre o jogo e carreira,

José, retorno da Division de Honor e começas não só com dois ensaios, como foste responsável por duas penalidades na formação ordenada para a tua equipa. Como te sentiste?

Sim, finalmente estamos de volta à competição. Senti-me muito bem dentro de campo, e felizmente estive no sitio certo por 2 vezes que me permitiram marcar 2 ensaios. Na formação ordenada as penalidades ganhas foram em zonas importantes do campo o que nos permitiu ganhar alguma vantagem.

Traçaste objectivos para esta temporada? Quais são?

Tracei objectivos claros esta época. O primeiro é ser um pilar referência dentro do meu clube e poder ajudar o clube ao máximo. O segundo é ser um jogador que marque a diferença nesta liga espanhola. E o terceiro, mas não menos importante, é continuar focado a trabalhar para receber uma chamada de outro nível.

Em que áreas do jogo sentiste que estiveste a um grande nível? E duas em que achas que podias ter estado melhor?

Sinto que estive bem nas fases estáticas e no ataque, no entanto há sempre pontos táticos que podem ser trabalhados e melhorados.

NOTÍCIAS DE OUTROS JOGADORES

Mike Tadjer e o seu Perpignan sofreram uma derrota por 29-14, na recepção ao Section Paloise para mais uma jornada do Top14. O talonador não comprometeu no seu trabalho individual, colocando 4 bolas certeiras no alinhamento, sendo que a nível da defesa só falhou uma placagem em 5 tentativas, arrancou uma mão cheia de metros em trabalho curto, sendo que foi na formação-ordenada onde chegaram as piores notícias, com duas penalidades cometidas – mais uma segunda-parte, mas já sem o português em campo.

Vasco Baptista alinhou pelo Alcobendas e rubricou uma boa exibição, num encontro em que a sua equipa viu-se reduzida a 14 elementos a partir dos 25 minutos de jogo, forçando uma alteração de estratégia, ante a equipa de Ciencias Enerside (Francisco Henriques não jogou). O asa completou 9 placagens, 1 penalidade conquistada no breakdown, sendo que foi mais no trabalho de apoio e suporte ao portador de bola ou ruck que foi mais necessário na vitória do Alcobendas.

O pilar luso do US Dax, Diogo Hasse Ferreira, esteve em campo durante 55 minutos num jogo que acabou por terminar numa derrota para o emblema do internacional português, tendo o 1ª linha realizado uma prestação ao nível das rubricadas em semanas anteriores: boa presença no jogo corrido, agressividade constante no contacto, defesa dura e dominante, e um excelente trabalho nas formações-ordenadas, categorizando-se como um dos principais nomes nesta equipa do Nationale.

Melhor sorte teve Lionel Campergue, o nº2 do Bassin D’Arcachon, que se apresentou em boa forma na vitória do seu clube para a Féderale 1, estando ainda invictos neste início de campeonato. Boas introduções de bolas (8 em 9), mobilidade de qualidade e uma fisicalidade bem impactante foram alguns dos elementos que o internacional português trouxe para dentro de campo frente ao Périgueux.

Mais um jogo capitaneado pelo 2ª linha Éric dos Santos, mais uma vitória para o Anglet, estando, neste momento, no 2º lugar do seu grupo (4). Poucas informações conseguimos recolher da prestação do 2ª linha, sendo que na sua maioria foram no sentido de uma exibição galvanizante, com excelentes placagens e uma voz de comando astuta e fundamental nesta vitória por 32-09, frente ao Nafarroa.

Luigi Dias saiu do banco de suplentes na segunda metade da vitória “gorda” do Marmande frente ao Céret, com o polivalente avançado a realizar uma prestação competente, estando na luta por garantir um lugar no XV inicial.

Hugo Mendes foi titular na derrota do Marcq Rugby Lille Métropole, tendo actuado 58 minutos neste encontro para a Féderale 1. Na quase uma hora de jogo realizada, o pilar não comprometeu no trabalho na formação-ordenada e mostrou bons indíceis de trabalho, especialmente na defesa curta e no ir ao contacto.

Derrota amarga para o Rumilly de Loic Bournonville, com um 11-12 final que podia até terminado em vitória caso tivessem feito bom uso de uma de duas oportunidades nos últimos 10 minutos de jogo, sendo que o Stade Métropolitain marcou um ensaio no último minuto de jogo, altura em que ambas as formações já jogavam com 14 unidades (dois cartões vermelhos). O talonador português esteve em campo durante 70 minutos, saindo desgastado depois de uma exibição de grande sofrimento, trabalho imenso e combate constante.

Rui Maria Freitas foi um dos melhores jogadores do Eemland, na vitória por 37-06 na visita ao campo do ASCRUM. O 3/4’s português jogou 75 minutos, começando na posição de médio-de-abertura, tendo assistido para dois ensaios, para além de ter somado duas quebras-de-linha, cinco defesas batidos e dois offloads em mais um jogo para o Ereklasse 2021/2022.

Jacques Le Roux jogou 15 minutos na vitória do Moseley por 32-07 frente a Cambridge para a National 1 (3ª divisão inglesa). Bons pormenores do 3ª linha, tanto na defesa (conseguiu um turnover) como ataque.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter