12 Fotos que contam a época do Rugby Português 2017/2018

Francisco IsaacJulho 31, 20189min0

12 Fotos que contam a época do Rugby Português 2017/2018

Francisco IsaacJulho 31, 20189min0
Como diz o ditado "uma imagem vale mil palavras" e escolhemos 12 para contar o oque se passou por cá em 2017/2018! Qual das fotos desta época do Rugby português mais gostas?

A época de rugby já acabou há duas semanas e teve os seus grandes momentos, assim como teve outros menos bons. Mas a verdade é que foi um ano em que os sub-20 voltaram a conquistar o título de campeões da Europa, o Beach Rugby voltou a Lisboa, os 7’s estão no processo de reformulação, entre outros pontos.

A partir destas 12 fotos contamos alguns momentos de uma época que teve marcos de assinalar!

LUÍS CABELO FOTOGRAFIA

Para 95% dos atletas nacionais a temporada do rugby XV, 7’s, Beach e Touch Rugby já terminou, mas para 40 jogadores só acabou de começar… os sub-20 de Portugal, liderados por Luís Pissarra (seleccionador Nacional que já guiou estas gerações a dois títulos europeus nos dois últimos anos) estiveram entre Junho e Julho a preparar-se para o Campeonato do Mundo “B”, que se realizará em Setembro próximo.

A dureza dos treinos, a intensidade máxima imposta e a fome por se sacrificarem pela equipa está bem patenteada por esta foto tirada durante um dos treinos dos sub-20. Martim Cardoso, formação da AEIS Agronomia, tenta dar um jeito, sem deixar de estar concentrado no que está a ser feito no campo.

Foto: Luís Cabelo Fotografia

MIGUEL RODRIGUES FOTOGRAFIA

Uma batalha pela oval… como sempre. Seja na relva ou na areia, quem é que não gosta de se amarrar à bola e tentar galgar os metros suficientes? O CDUL foi campeão português (de novo) nesta variante, com uma equipa cheia de juventude, ambição e paixão que deixaram todos pasmados pela forma como jogam rugby.

Miguel Rodrigues capta uma entre centenas de imagens tiradas ao Carcavelos Beach Rugby. Se não tens a bola em teu poder… então faz de tudo para a recuperares!

Foto: Miguel Rodrigues Fotografia

FILIPE MONTE FOTOGRAFIA

Uma meia-final com um público de final… ou de como o rugby nacional pode ter sempre bancadas cheias, dependendo de como se “vende” e promove um produto que ainda está a precisar de sérias limadelas desde sempre. A eterna paixão dos adeptos nacionais é apanhada por Filipe Monte, que entre as várias batalhas entre os jogadores do azuis e os da linha, apanha uma sensacional.

A final do CN1 2017/2018 ainda está para se jogar, mas esta meia-final tem de ser lembrada pelo seu contraste da massa associativa, dos loucos pela oval e pelo Fair Play demonstrado!

Foto: Filipe Monte Fotografia

CB FOTOS

A final da Challenge Cup 2017/2018 voltou a reunir um pouco do melhor rugby de uma liga que tem sido tão criticada como elogiada. A Challenge é um passo fundamental para quem não consegue jogar na equipa principal, assim como para aqueles que não podem depositar tanta entrega e sacrifício, mas querem jogar rugby no clube que os formou e lançou.

O CDUL e GD Direito encontraram-se numa final bem jogada e animada no Estádio Nacional e entre os caprichos defensivos dos “advogados” e a genialidade ofensiva dos “universitários”, foi o clube do EUL a levantar o troféu!

Foto: CB Fotos

JOSÉ VERGUEIRO FOTOGRAFIA

Velhos são os trapos! E que o digam as lendas dos Springboks e dos Lobos (com alguma ajuda internacional!) que voltaram a celebrar a sua antiguidade num jogo entre as duas equipas Legends. Com três mil pessoas a assistir da bancada, tivemos a oportunidade de ver Gonçalo Malheiro, Luís Pissarra, Miguel Portela, Tiago Girão, entre outros a jogar frente às lendas dos ‘boks como Butch James ou Percy Montgomery!

No final o resultado é o que menos importa, tirando o que é mais positivo: o convívio entre duas equipas apaixonadas pela oval. Tão apaixonadas que a idade não é um problema, mas sim uma vantagem… uma tarde cheia de ensaios, pontos, placagens, offloads e momentos extraordinários bem captado por José Vergueiro!

Foto: José Vergueiro Fotografia

PAI CONDE FOTOGRAFIA

“A bola é o teu bem mais precioso, não te esqueças disso!”, é uma das primeiras lições que todos aprendem quando começam a treinar. Aliás, quando se assiste a um jogo dos mais novos, é notório que a principal preocupação passa por apanhar a oval e tentar fugir com ela o mais rápido possível… alguns até fazem questão de passar a linha de ensaio só para estar mais um pouco com este bem precioso!

Pai Conde captou esta foto num embate entre GDS Cascais e CF “Os Belenenses” nos sub-18, em que três jogadores disputam a mesma bola, tentando arranhá-la como pudessem!

Foto: Pai Conde Fotografia

MARIA PIETRA TORRES FOTOGRAFIA

Os Mouflons do RC Montemor deixaram para a última jornada do CN1 a sua sobrevivência no CN1. Só lhes interessava uma vitória na Invicta e menos que isso tirava-os da principal divisão de rugby portuguesa.

Um jogo de Fair Play total, onde a paixão de ambos os emblemas ficou bem evidente, foi captado pelas lentes de Maria Pietra Torres, que servem de testemunho da hombridade que ambas as formações tiveram neste jogo que encerrou a temporada para ambos. O CDUP, já com a manutenção garantida, pôs fim ao sonho do Montemor em que se manter no CN1.

Foto: Maria Pietra Torres Fotografia

LUÍS SEARA CARDOSO FOTOGRAFIA

Do 1 ao 8 dá-se uma batalha total entre duas avançadas… sempre foi e esperamos que assim o seja para sempre. Luís Seara Cardoso marcou presença na meia-final entre o GDS Cascais e CF “Os Belenenses”, naquilo que foi considerado um dos melhores jogos da temporada. Mas o mais importante aqui era o engagement entre o bloco dos 8, que em Portugal é sempre um must.

O baixar, tocar e agarrar é só uma entrada, para o prato principal que aí vem… o despique de três-cinco segundos entre estes 16 avançados que lutam desesperadamente para ficarem com a oval.

Foto: Luis Seara Cardoso Fotografia

JOSÉ FERNANDES FOTOGRAFIA

Há uns atrás existia uma frase que ficou patenteada durante os anos de 2004-2008, “Um ensaio para a vida”. Neste caso, a Académica de Coimbra comandada por João Luís Pinto, fez uma exibição de altíssima qualidade a defender para levar a Taça de Portugal para casa, algo que não acontecia desde 1997. De lá para cá, os Pretos sobreviveram a problemas e reestruturações, reerguendo-se na modalidade com força a partir de 2017.

Na final da Taça de Portugal 2018, a Académica de Coimbra derrotou a AEIS Agronomia para ser o novo detentor do troféu. Uma exibição a defender que jamais deve ser esquecida. O ensaio captado por José António Fernandes, é mais do que para a “vida”, é para “sempre”!

Foto: José Antonio Fernandes Fotografia

JOÃO PELETEIRO FOTOGRAFIA

O Rugby com Partilha tem feito coisas inacreditáveis não só pelo rugby português, mas também por aqueles que cumprem um castigo mas que merecem dignidade mínima e uma oportunidade de um dia voltar a sentirem-se integrados na sociedade. Nessa lógica, o projecto tem ido de unidade prisional em unidade prisional, em busca de captar potenciais interessados em jogar rugby e de sentirem o carinho da oval nas suas vidas.

Há pouco mais de dois meses, no Vale de Judeus, realizaram-se os primeiros jogos entre equipas dentro desta realidade que não deve ser esquecida. A paixão, interesse e intensidade, mas mais importante que tudo a união, foram alvo das fotos de João Peleteiro. Um marco para nunca mais esquecer!

Foto: Joao Peleteiro Fotografia

INÊS CABRAL FOTOGRAFIA

O passar da tocha é um dos segredos para o sucesso da modalidade e a foto genial de Inês Cabral, tirada durante o encontro entre escolas do rugby Nacional no Estádio do Restelo, exemplifica tão bem esse facto. Vasco Azevedo, um dos atletas do CF “Os Belenenses”, dá o seu apoio e carinho aos seus jogadores.

É uma imagem que explica tudo o que do rugby português tem de tão bom, que vai muito para além da entrega, dinamismo, esforço físico e trabalho nos skills… a camaradagem é um dos pontos fundamentais para o futuro da modalidade.

Foto: Inês Cabral Fotografia

NUNO OLIVEIRA FOTOGRAFIA

Vão deixar saudades, pois vão… os Fiji Power que viveram na Tapada da Agronomia durante os últimos anos, deixaram o clube depois de terem ajudado o elenco de Frederico de Sousa ganhar alguns troféus. O poder físico e aqueles skills brilhantes eram/são qualidades que deixaram uma marca profunda na oval portuguesa e Nuno Oliveira demonstra isso mesmo!

Enquanto uns fazem questão de produzir linhas de texto infundadas de que os estrangeiros trazem “zero” ao rugby português, outros deviam preocupar-se em mostrar o que realmente estes atletas fizeram, para além de marcar ensaios, dar assistências e partir linhas de defesa… apoiaram jogadores jovens, deram treinos nas escolinhas, apaixonaram-se pelo Mundo do rugby português e conviveram com os seus membros.

Foto: Nuno Oliveira Fotografia

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter