Quartos-de-final da LBF: Sesi Araraquara vs Sodiê Doces/Mesquita/LSB

Lucas PachecoJunho 27, 20224min0

Quartos-de-final da LBF: Sesi Araraquara vs Sodiê Doces/Mesquita/LSB

Lucas PachecoJunho 27, 20224min0
A LBF entra na fase a eliminar e Lucas Pacheco faz a antevisão e análise aos confrontos entre os 8 primeiros classificados, a começar pelo Sesi Araraquara

A LBF tem os duelos das quartas-de-final definidos, com datas e horários das partidas. As séries serão disputadas em melhor de três partidas – a equipe que vencer dois jogos avança para as semis. Vamos falar um pouco de cada confronto, iniciando pela disputa entre o Sesi Araraquara (líder da fase de classificação com 16v e 2d) e a oitava e última colocada, Sodiê Doces/Mesquita/LSB (6v e 12 d).

Datas e horários:

– jogo 1, 25/06, sábado, às 11h
– jogo 2, 02/07, às 17h
– jogo 3 (se necessário), 04/07, às 20:30

A colocação indica claramente a superioridade do Sesi Araraquara, favorita a avançar, contra uma equipe que penou para achar sua identidade. Desde a edição passada, a LSB caracteriza-se pela intensidade altíssima, pela proposta acelerada (muitas vezes com marcação alta) e contra-ataques em profusão. Em 2021, muitos foram pegos de surpresa e a equipe conseguiu vitórias inesperadas, contando com rotação de quase todo o elenco sob a liderança da MVP Thayná.

Nesta edição, a equipe iniciou a competição com plantel mais reduzido, o que diminuiu a intensidade e sobrecarregou algumas jogadoras. Ainda que a Thayná tenha aumentado sua produção (e seja novamente forte candidata a MVP), o conjunto se ressentiu de mais peças, principalmente capazes de pontuar em meia-quadra. O problema dos rebotes persistiu – previsivelmente, se considerarmos o perfil da equipe. Quando a equipe parecia voltar ao padrão do ano passado, contando com o importante reforço da ala da seleção Ramona, Thayná sofreu uma contusão e deve desfalcar o time no restante da temporada.

Se com o elenco completo Araraquara já era favorita, o que dizer sem a LSB contar com sua principal jogadora? Ramona tem capacidade de assumir e puxar a pontuação, assim como de defender forte e gerar contra-ataques, e ainda assim parece pouco para enfrentar o Sesi. A equipe fluminense entra sem responsabilidade e teve tempo de treinar para que as bolas longas de Mayara caiam, para que as armadoras Nazinha, Maria Luisa e Urbina diminuam seus desperdícios, para que as pivôs (Maiara, Maísa e Brenda) consigam minimizar o déficit nos rebotes e conter as perigosas pivôs de Araraquara.

É preciso que tudo dê certo para que a LSB deixe as líderes pelo caminho; é necessário que o conjunto produza uma coesão raramente vista nesta edição da LBF, e a mantenha por três jogos consecutivos. Porém, se há uma equipe capaz de superação, é a LSB.

Nos dois confrontos da fase de classificação, a LSB teve bons momentos, apesar de duas derrotas (68 x 63 em casa e 77 x 65 fora), com dificuldade em manter o padrão e a intensidade durante os 40 min. Em Mesquita, a LSB venceu 3 dos 4 quartos – e saiu derrotada; em Araraquara (o fatídico jogo da contusão de Thayná), após um começo tenebroso, a equipe reagiu e encostou, sendo novamente deixada para trás no último período.

Dureza vencer uma equipe tão ajustada quanto o Sesi Araraquara e as duas vitórias mostraram a dificuldade que a LSB vai encarar. O Sesi tem duas armadoras que cadenciam e organizam o jogo, com o adicional da reserva Bia Aneas poder pontuar da linha de três; alas com boa envergadura, boas marcadoras (Érika Leite) e cada vez mais confiantes em pontuar (Nany e Sossô); além de ter pivôs versáteis e que se complementam – Iza com muitos rebotes e chutes de 3, Aline Moura e Letícia com jogo de costas para a cesta, Juliana com grande explosão física. É realmente uma equipe bastante dura de ser batida, muito bem treinada pelo técnico João Camargo, que conta com peças para alternar a dinâmica da partida em caso de necessidade.

Camargo tem sido primoroso nos ajustes jogo a jogo e no segundo confronto entre as equipes, Araraquara explorou muito bem a deficiente transição defensiva da LSB. As pivôs abusaram de pontuar e não encontraram resistência, ajuste que o técnico da LSB Raphael Zaremba precisará acertar. Por outro lado, se ele privilegia a marcação interna, pode descalibrar sua defesa e conceder as bolas longas, tão desejadas pelo Sesi.

Por falar em bolas longas, nem tudo são flores em Araraquara: Nany sofreu, no final da fase regular, com uma contusão que restringiu sua participação – não sabemos suas reais condições para as quartas. Ainda que a equipe se defina por um basquete altruísta, a Nany é a faísca capaz de chamar o jogo para si em momentos delicados.

Mesmo que Nany não atue, ou jogue com restrição de minutos, amplo favoritismo para o Sesi Araraquara. A LSB precisa equilibrar os duelos individuais e apresentar coesão e consistência poucas vezes vista nesta edição da LBF, sem sua principal estrela. Para vencer duas vezes uma equipe que somou, no campeonato todo, a mesma quantidade de derrotas. Trabalho hercúleo para a LSB.

Palpite: Sesi Araraquara avança com 2 a 0


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter