O que é que se passa com a NBA e com esta free agency?

João FerreiraAgosto 6, 20213min0

O que é que se passa com a NBA e com esta free agency?

João FerreiraAgosto 6, 20213min0
Um free agency sem explicação, com Lakers, Bulls e Heata mexerem bem os cordelinhos como relata João Ferreira neste artigo do Fair Play

Que loucura! É a única palavra que ocorre quando vemos os novos contratos dos jogadores da NBA e as mudanças de equipas de jogadores que seriam considerados essenciais e que de repente viram o seu nome associado a uma mudança de equipa neste free agency.

Há vários casos gritantes pela positiva, como o max-contract de Trae Young, de Steph Curry ou o contrato altíssimo de Chris Paul que depois da época feita em Phoenix já era mais do que esperado, mas não com uma duração tão grande.

Mas vamos por partes e se calhar a questão mais importante que se impõe é: qual dos franchises da NBA é que ficou mais forte e que passou de um mero “cumprir calendário” penoso até ao final da época regular para um real contender a, pelo menos, um lugar nos playoffs?

Chicago Bulls

QUE FREE AGENCY para a antiga equipa do melhor jogador que o basquetebol mundial já viu. Contratam 3 jogadores que são, neste momento, atletas acima da média da NBA e, que se se apresentarem em forma, podem fazer estragos reais nas outras equipas.

Falamos de Lonzo Ball, o antigo base dos Lakers e dos Pelicans que vai assim formar um backcourt muito engraçado com Zach LaVine, DeMar DeRozan, que não se pensava que fosse sair de San Antonio, mas que pode ter aqui a oportunidade perfeita para voltar a encarrilar uma carreira que foi um pouco abaixo nestes últimos anos, e Carusso, um base mal amado dentro da liga, mas cuja a evolução tem-se reparado a olho nu.

Mantendo Wendell Carter Jr. e conseguindo trocar Lauri Markanenn, os Bulls ficam com, pelo menos, um 5 inicial muito forte e capaz de lutar contra qualquer equipa, menos contra os Nets.

Brooklyn Nets

A uma equipa que já contava com KD, Kyrie e Harden, junta-se um base experiente e com uma qualidade extrema como Patty Mills? Se se conseguirem unir como uma verdadeira equipa, vão ser virtualmente imbatíveis, mas só há uma bola. Vamos ver como é a partilha da mesma durante o ano.

Los Angeles Lakers

And the winner is… Lakers claro. A influência que LeBron, ao fim de 19 anos na NBA tem, é completamente absurda ao nível dos jogadores quase parecerem fazer fila para poderem jogar com um dos melhores de sempre. Juntando a esta imagem monstruosa ao franchise que mais títulos ganhou na história da maior competição de basquetebol do Mundo, temos a mistura perfeita para conseguirem atrair todos os jogadores e mais alguns que se pretendem.

Russell Westbrook é a nova aquisição dos Lakers que irão ter um Big 3 composto por LeBron, Davis e Westbrook, mas que conseguiram adquirir muita qualidade para fazer face àquilo que será a nova época, desde logo com a entrada de Dwight Howard e de Carmelo Anthony, que finalmente irá jogar com um dos seus melhores amigos.

Nota ainda para as entradas de Ariza, Wayne Ellington Jr., Kent Bazemore e Malik Monk, que vêm trazer muita profundidade a uma equipa que precisava rapidamente de jogadores que acrescentassem qualidade.

Menções Honrosas

Miami Heat vão ter uma grande época pela frente, tendo conseguido manter alguns jogadores e tendo conseguido assinar com Kyle Lowry e com PJ Tucker neste free agency. Os New York Knicks conseguiram juntar ao seu roster muito talentoso um base com o mesmo nível de talento, Kemba Walker, que irá trazer mais consistência à equipa. E nota ainda para os Washington Wizards, que com os jogadores proveniente de L.A. (Harrel, Kuzma e Caldwell-Pope) mais Spencer Dinwiddie poderão criar uma equipa muito engraçada, ao nível de equipa de playoff.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter