Quem vai aos Playoffs no Oeste?

João PortugalMarço 23, 201811min0

Quem vai aos Playoffs no Oeste?

João PortugalMarço 23, 201811min0
Uma análise ao calendário que falta disputar entre as 7 equipas que lutam pelos playoffs na Conferência Oeste. Também colocámos dois dos nossos colaboradores a prever a classificação final.

Entrámos nos derradeiros 10 jogos da fase regular da temporada. A decisão dos cabeças-de-série nos playoffs está ao rubro, principalmente na Conferência Oeste, que será o foco do nosso artigo de hoje. Neste momento temos sete equipas separadas por apenas três derrotas entre o quarto e o décimo lugar na tabela classificativa. Qualquer uma delas tanto pode terminar com home court advantage na primeira ronda da post season, como pode entrar de férias dentro de 3 semanas.

Depois de vos apresentarmos o calendário que cada uma terá até final e as dificuldades que por aí vêm, eu e o meu colega Rui Mesquita vamos deixar-vos com as nossas escolhas para cada lugar na classificação, sendo que, obrigatoriamente, dois dos sete franchises terão que ficar de fora dos playoffs.

Os duelos que faltam jogar

Tirando os sortudos Timberwolves (que já passaram pelos jogos mais infernais), todos têm um calendário dificílimo, onde os confrontos diretos terão superior importância, já que valem a dobrar. Indo pela ordem da classificação atual, os New Orleans Pelicans têm 9 jogos em falta, sendo que 7 serão contra equipas que, ou estão em lugares de playoff, ou em luta acesa para os alcançarem. Em destaque estão embates com Cleveland e Portland que procuram garantir um lugar no top3 nas suas Coferências, Clippers, Thunder e Spurs são confrontos diretos, e um jogo contra Houston e Warriors, onde até podem ter sorte de apanhar os craques dos Rockets a descansar (pouco provável pela luta para MVP), ou, no caso de Golden State, a recuperar de lesões.

Oklahoma City tem um calendário de semelhante dificuldade. Vão defrontar todas as equipas que estão acima no Oeste e depois ainda dois jogos com Miami que batalha arduamente a Este somando confrontos com Spurs e Nuggets.

Os Spurs estão aqui por causa de Aldridge (Foto: YardBarker.com)

Os San Antonio Spurs terão 4 confrontos diretos nesta luta a 7, com Utah, Thunder, Clippers e Pelicans. e antes disso ainda terão que fazer uma mini-digressão a Este para defrontarem Milwaukee Bucks e Washington Wizards. Pelo meio haverá duelo texano contra a melhor equipa da fase regular, os Houston Rockets.

Em Minnesota, podem agora gabar-se de terem umas semanas finais mais calminhas, com 6 das 10 partidas a serem oponentes que ou jogam para perder, ou sem objectivos. Os destaques vão para embates com Philadelphia, Utah e um duplo com os Nuggets.

Utah ainda terá 7 jogos de grau de dificuldade muito alto, porém, dois deles serão contra os Warriors que andam numa fase mais negativa, com muitos titulares de fora. Os Jazz, tendo a melhor defesa da NBA por larga margem desde o All-Star break, serão capazes de causar enormes problemas a uns Warriors de saúde frágil. Spurs, Celtics, Wolves, Clippers e Blazers concluem o calendário dos Jazz.

Os Denver Nuggets estão na posição mais delicada, não só estão neste momento em nono lugar no Oeste, como não terão qualquer jogo contra equipas em tank mode. Vai ser uma guerra para alcançarem os playoffs. Ainda por cima vão entrar em digressão pelo Este. Wizards, 76ers, Raptors, Thunder, Bucks, Pacers, Wolves a dobrar, Clippers e Portland, é este o árduo caminho até mais jogos no final de Abril.

Os LA Clippers são o único franchise deste grupo a quem ainda faltam jogar por 11 vezes. Por aí terão logo dificuldade acrescentada, ainda para mais 9 serão contra equipas que estão acima deles na classificação: Pacers por duas vezes, Raptors, Bucks, Portland, San Antonio, Denver, Pelicans e Utah. Sim, serão 4 consecutivos contra adversários diretos!

Confira a lista completa dos jogos que faltam

Posto isto, sabemos então que tanto os Spurs como Nuggets e Clippers terão 4 confrontos diretos contra este grupo, Thunder, Jazz, Pelicans e Wolves, farão 3 jogos nestas condições. Vamos agora à parte da brincadeira em que eu e o Rui colocaremos o manto para prever a classificação final de cada franchise que está nesta luta titânica pelos playoffs e por uma chance de ter home court advantage, pelo menos na primeira ronda.

As previsões e os palpites

4º LUGAR

Rui Mesquita (RM) – Minnesota Timberwolves – Minnesota tem, como já falamos, o calendário mais fácil até ao final. A ausência de Jimmy Butler (é esperado que regresse antes dos playoffs) deixa-os mais frágeis mas não sem alternativas. Karl-Anthony Towns e Andrew Wiggins estão em muito boa forma. Para além disso Minnesota tem vantagem no confronto direto com as 3 equipas que colocarei abaixo.

João Portugal (JP) – Utah Jazz, ganharam 22 dos últimos 25 jogos. Rudy Gobert está ao nível que quase ganhou Defensor do Ano na época passada. Mais uma vez ficou provado que colocar Jae Crowder num franchise com uma boa equipa técnica que entende as suas capacidades vale cada cêntimo do seu excelente contrato. Isto também diz muito do mau coaching dos Cavs.

5º LUGAR

RM – New Orleans Pelicans – A época extraordinária de Anthony Davis é suficiente para levar a equipa a este bom lugar. Mesmo sem a sua “torre gémea”, Davis conta com o apoio de uma equipa bem organizada e com bons complementos. O confronto direto com Utah (abaixo) é favorável aos Pelicans. Este aspeto é, na minha opinião, importante porque estas 7 equipas não acabarão muito longe umas das outras.

JP – New Orleans Pelicans, Anthony Davis está com 31 pontos, 12,5 ressaltos e 3,5 abafos por partida desde o All-Star. Só não pode ser MVP por causa da temporada extraordinária de James Harden. E’twaun Moore e Jordan Crawford são os jogadores que mais me impressionaram depois da lesão grave de DeMarcus Cousins.

6º LUGAR

RM – Utah Jazz – Uma das maiores surpresas da temporada. Donovan Mitchell está a mostrar-se um dos maiores “roubos” deste draft (foi a 13ª escolha) ao apontar 20 pontos, 3,7 ressaltos e 3,6 assistências por jogo. Gobert está na sua melhor forma e os Jazz ganharam 9 dos seus últimos 10 jogos. Apenas o seu calendário assustador (com jogos fora com Portland e Golden State) não me deixa subi-los mais nesta discussão.  

JP – Minnesota Timberwolves – Mesmo sem Jimmy Butler desde 13 de Fevereiro, o calendário dos Wolves é demasiado soft, tenho que dar-lhes vantagem em relação a Oklahoma. Era a minha grande dúvida mas, potencialmente, só acredito em dois bons parciais neste grupo de sete equipas, é difícil haver mais pela quantidade de confrontos diretos, e um deles deve ser dos Wolves.

7º LUGAR

RM – Oklahoma City Thunder – Os Thunder têm 3 all-stars (Westbrook, Paul George e Carmelo Anthony) mas não têm jogado como tal. Uma época cheia de altos e baixos mas que continua para os playoffs. Um lugar baixo que os colocará contra os favoritos Warriors. O calendário difícil não deixa antever uma melhor classificação mas o talento do seu big3 garante-lhes a presença nos playoffs.

Estes dois têm de caber no quadro dos Playoffs (Foto: Sean Gardner – Getty Images)

JP – Oklahoma City Thunder – Houve alarmes há um mês quando a equipa era incapaz de ganhar dois jogos seguidos, numa fase em que tiveram derrotas que podiam ter custado uma presença no top8, contra equipas bem mais fracas, contudo eles endireitaram-se, Russell Westbrook tem vindo em progressiva subida de forma e já se adaptaram melhor a defender sem Andre Roberson.

8º LUGAR

RM – San Antonio Spurs – A lesão de Leonard deixa a equipa sem a sua arma mais poderosa e isso põe em risco os playoffs. Ainda assim acredito que a forma de Aldridge e a qualidade de Greg Popovich vão fazer a diferença neste final de temporada e segurar a última vaga disponível. Uma época atribulada para os Spurs mas que, mesmo sem a sua estrela, não deixam de ser uma equipa a ter em conta nesta luta no oeste.

JP – San Antonio Spurs – Há muita incerteza em torno de Kawhi Leonard. Por que andam a sair tantas notícias que mostram a sua insatisfação na recuperação da sua lesão? Os próprios colegas de equipa não têm sido brandos com ele quando falam à imprensa. Vamos ter Leonard a sair dos Spurs no verão? LaMarcus Aldridge está en fuego e foi fundamental para que tenham ganho 5 jogos seguidos, todavia estão em real perigo de saltarem do barco dos playoffs.

9º LUGAR

RM – Los Angeles Clippers – Depois de trocar os seus dois melhores jogadores (Chris Paul e Blake Griffin), era esperado que os Clippers entrassem em reestruturação. Mas isso não os impede de lutar pelos playoffs até ao fim. Na minha opinião ficarão à porta, do lado errado. A confirmar-se será um balde de água fria para a equipa de Los Angeles mas 4 jogos seguidos com adversários diretos não parece trazer nada de bom para os Clippers.

JP – Denver Nuggets – Para mim os Nuggets vão falhar os playoffs por causa da semana anterior que foi negra. Perderam em LA com os Lakers, depois em Memphis, contra uns Grizzlies que acabaram de perder por 64 em Charlotte e logo de seguida, num duplo prolongamento em Miami, mais uma derrota. Não vão ter descanso até final, só jogos de elevada dificuldade. 4 confrontos diretos podem beneficiá-los por valerem a dobrar, mas vai ser muito complicado.

10º LUGAR

RM – Denver Nuggets – Os Nuggets são a outra equipa a ficar de fora dos playoffs. Para além dos 4 confrontos diretos, Denver ainda joga fora com Washigton e Toronto e em casa com Portland. Um calendário assustador que deverá empurrar a equipa para longe da oitava posição. Ainda assim é de louvar a luta que têm dado durante toda a época, mantendo a luta pelos playoffs acesa até ao fim.

JP – Los Angeles Clippers – Vai acontecer. Jerry West vai fazer parte de uma equipa que vai falhar os playoffs pela primeira vez na sua carreira, a primeira vez em mais de meio século. Algo que não imaginávamos ser possível. O calendário é dificílimo e têm mostrado enormes dificuldades contra os outros oponentes acima deles no Oeste. Estão numa série de 1-12 contra o top8 da Conferência e isso paga-se muito caro.

As próximas semanas vão ser absurdas e espectaculares se olharmos para a quantidade de jogos, que ninguém pode perder, que vão acontecer. Vão ser muitas madrugadas acordados, ora não fosse esta a Conferência Oeste!


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter