[Bisca da Primeira Divisão Masculina] Sociedade Filarmónica União Artística Piedense

João BastosMarço 12, 20185min0

[Bisca da Primeira Divisão Masculina] Sociedade Filarmónica União Artística Piedense

João BastosMarço 12, 20185min0
Analisamos o naipe da equipa masculina da Sociedade Filarmónica União Artística Piedense para ir a jogo na 1ª divisão nos próximos dias 17 e 18 de Março em Coimbra

O Campeonato Nacional de Clubes da 1ª divisão realiza-se em Coimbra nos dias 17 e 18 de Março. O Fair Play faz a análise das 12 equipas masculinas e das 12 equipas femininas que disputarão o título de clubes mais importante da natação nacional


A Sociedade Filarmónica União Artística Piedense é um dos clubes com mais presenças na 1ª divisão nacional. Quer a equipa masculina, quer a feminina têm um vasto historial neste escalão. Este ano a equipa masculina da SFUAP tem uma prova de fogo. Depois de perder muitos elementos no início da temporada, este ano o técnico brasileiro Gustavo Fortuna assumiu os comandos da equipa da margem sul com o objectivo de a manter na primeira divisão.

Apesar da saída de elementos fulcrais, a SFUAP continua com uma equipa altamente competitiva:

Ás – José Carvalho

O nadador de 20 anos tem estado em evidência esta época, sendo o líder nacional nos 1500 metros livres em piscina curta. José será o cabeça de cartaz da SFUAP podendo nadar um largo espectro de provas, desde os 400 e 1500 livres, aos 200 e 400 estilos, aos 100 e 200 mariposa. A nossa aposta vai para as provas de livres e estilos. O nadador piedense irá tentar transpor para a piscina longa o que fez em piscina curta para, logo depois da 1ª divisão, transpor para as águas abertas.

Foto: Arquivo Pessoal

Rei – Diogo Halla

Do Brasil chega um importante reforço para a SFUAP garantir a sua permanência na primeira divisão. O nadador do Recife é um excelente velocista com recordes pessoais de elevada valia nos 50 e 100 livres, 50 e 100 mariposa. A saber: 50 livres – 23.71; 100 livres – 52.07; 50 mariposa – 27.87 e 100 mariposa – 56.76. Em conjunto com José Carvalho deverão fazer um bom “pé de meia” de pontos para a equipa da Cova da Piedade.

Foto: CBDA

Valete – David Cristino

David é um nadador júnior de primeiro ano que esteve em evidência já esta época nos nacionais de piscina curta no Porto, sobretudo nas provas de livres, mariposa e estilos. Se fizer tempos equivalentes em piscina longa, garantirá muitos pontos para a SFUAP nessas provas e nos 400 estilos pode, inclusivamente, aproximar-se do mínimo para os Europeus de Juniores, fixado em 4:33.58.

Foto: Luís Filipe Nunes

Manilha – Tiago Camões

Um excelente mariposista que não nadou o nacional de clubes na época passada mas este ano passa a assumir um papel central na equipa. Assumindo as provas de mariposa, liberta José Carvalho para nadar outras provas. O nadador é ainda júnior de primeiro ano, pelo que a expectativa é que venha a melhorar os seus melhores tempos nos nacionais de clubes.

Foto: FPN

Joker – João Santos

João Carlos Santos é um nadador que permite à SFUAP colmatar algumas lacunas. Apesar de não ser brucista, foi ele o eleito para nadar os 100 bruços na época passada e este ano não se deve ficar apenas por essa distância nessa técnica. Ao mesmo tempo, por ser um especialista de 100 e 200 livres, é fundamental nas estafetas.

Foto: Luís Filipe Nunes

Trunfos – Edgar Santos, Tomás Gomes, João Silva e Bernardo Brito

Edgar é júnior de primeiro ano e será, conjuntamente com o Juvenil-B Tomás Gomes o costista de serviço. Tomás é um dos melhores nadadores juvenil-B do país, com o estilo de costas como o seu principal, mas que também não se dá mal nas provas de livres. João Pedro Silva é, dentro do leque de opções da SFUAP, a escolha para as provas rápidas. Um nadador júnior de muito bom nível nos 50 livres, costas e mariposa. Bernardo Brito é juvenil-A e assumirá as provas de bruços.

Prognóstico Fair Play

A SFUAP apresenta-se muito desfalcada em relação à época passada. Não estão João Gil, Rafael Aires, David Leiria, Tiago Azevedo e João Machado. Nas entradas apenas se conta Diogo Halla. No ano passado a União Piedense foi 5ª classificada, mas este ano será mais difícil repetir a classificação. Este “desfalque” na equipa da SFUAP veio na pior altura, no que respeita ao nacional de clubes, uma vez que nesta época a homogeneidade das equipas é mais valorizada do que os valores individuais.

Por isso, antecipamos que vai ser difícil à SFUAP garantir a manutenção, mas quem acompanha a natação há alguns anos lembrar-se-á que já muitas vezes foi prognosticada a descida de divisão da equipa da Cova da Piedade e nunca esse vaticínio se confirmou.

A nossa aposta é pouco lisonjeira para a equipa da Margem Sul e prevemos o 12º lugar.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter