Quem foram os melhores nadadores nacionais em 2016/2017? – Parte II

Fair PlayJaneiro 14, 20189min0

Quem foram os melhores nadadores nacionais em 2016/2017? – Parte II

Fair PlayJaneiro 14, 20189min0
A natação pode ser praticada em diversas técnicas e diversas distâncias, e se fosse possível comparar desempenhos independentemente da prova nadada?

O professor universitário João Gomes e o informático José Águas aplicaram um modelo estatístico à natação portuguesa que permite comparar todos os nadadores independentemente da técnica e distância onde tenham estabelecido os seus melhores tempos da época. Quem terá sido o MVP da época 2016/2017?


* Artigo da autoria de João Gomes, José Águas e João Bastos

Esta é a segunda parte de duas. Nesta segunda parte do artigo, faremos a abordagem aos grupos de idade dos 11 aos 18 anos.

No primeiro artigo chegamos à conclusão sobre quais os melhores nadadores portugueses absolutos. Relembre aqui:

Quem foram os melhores nadadores nacionais em 2016/2017? – Parte I

INTRODUÇÃO

Este trabalho destina-se a avaliar a formação da natação Portuguesa na época 2016/2017, em provas olímpicas individuais, segundo duas perspetivas:

  1. Os rankings por idade (aqui estenderemos os resultados às provas de 50 metros). Os 16 melhores por idade em cada uma dos estilos na pontuação FINA – estes resultados mostram uma diferença grande entre esta ordenação e a ordenação efetuada com base nos escalões formados a partir do ano de nascimento tal como tinha sido referido em Escalões por ano de nascimento-Consequências.
  2. Os melhores por idade – Nadadores entre os 11 e os 18 anos que consigam, no seu escalão etário, tempos de relevo, segundo critérios internacionais. Neste caso utilizámos as tabelas americanas para o período 2017-2020 no seu grau mais elevado (construído com base na previsão para o 16º tempo americano por escalão etário). A utilização das tabelas americanas tem duas razões: a primeira e mais importante é por ser necessário ter um critério que não esteja dependente dos próprios resultados dos portugueses; a segunda é por considerarmos que a natação americana está no grau mais elevado da natação mundial.

Ranking dos 16 primeiros por idade – 11 a 18 anos (pontos FINA – PTS)

Como ponto de partida, vamos nomear quais os 16 melhores nadadores por técnica e distância em cada idade, dos 11 aos 18 anos, na época 2016/2017. Para tal, usámos a tabela de pontuação FINA e hierarquizamos de acordo com a prova mais pontuada do nadador durante essa época, ou seja, nas seguintes tabelas pode encontrar um nadador que seja o melhor em determinada técnica e em determinada idade, pelos pontos que obteve na prova de 100 metros dessa técnica e o segundo melhor nessa técnica e nessa idade pode tê-lo sido pelos pontos que conseguiu na prova de 200 metros.

As tabelas podem ser acedidas clicando nos títulos correspondentes:

  1. Bruços – masculinos
  2. Bruços – femininos
  3. Costas – masculinos
  4. Costas – femininos
  5. Estilos – masculinos
  6. Estilos – femininos
  7. Livres (50/100/200) – masculinos
  8. Livres (50/100/200) – femininos
  9. Livres (400/800/1500) – masculinos
  10. Livres (400/800/1500) – femininos
  11. Mariposa – masculinos
  12. Mariposa – femininos

Nadadores com tempos de relevo – 11 a 18 anos à data da prova

Neste capítulo temos como objetivo referenciar os nadadores que se destacam. A ideia é poder comparar um nadador de 13 com um dezoito em pé de igualdade. Como se faz? Vamos ver…

✅ Clubes com mais que um nadador com tempos de relevo

Iremos agora analisar quais são os clubes formadores – quais os clubes em Portugal que têm mais que um nadador, entre os 11 e os 18 anos, com tempos de relevo? São os mesmos que os clubes que tinham nadadores OPEN?

Tabela1: Clubes com mais que um nadador (11-18) com tempo de relevo/OPEN

Aqui podemos reparar que há uma correlação muito forte entre os clubes que formam nadadores e os que mais tarde têm nadadores de topo. Apesar disso existem casos onde isso não acontece: GDNVNF, FBS,DNMG,ASRCIMM,CGA,…

Vejamos agora no mapa de Portugal onde se situam os clubes com nadadores referenciados por idade e por tempos PAR (OPEN):

✅ Tempos de relevo por estilo

Considera-se um tempo de relevo aquele que é inferior à referência para a sua idade. Desta forma, por exemplo 2 segundos a menos que o tempo de relevo permite comparar nadadores em pé de igualdade independentemente da idade. Nas próximas tabelas referiremos os nadadores com tempos de relevo e a sua performance é avaliada com base no tempo que conseguem fazer, abaixo do tempo de relevo, em cada 100m. Por exemplo, numa prova de 200m, o tempo abaixo do tempo de relevo, será dividido por 2.

Bruços

A Raquel Pereira tornou-se em 2016/2017 uma das melhores brucistas de sempre em Portugal.

Costas

O estilo de costas tem em sido o “parente pobre” da natação portuguesa. Vamos ficar atentos aos novos valores. Talvez, dentro de pouco tempo, tenhamos costistas de referência internacional, como por exemplo a Carolina Fernandes.

Estilos

É em estilos que temos tido, nos últimos anos, os melhores resultados internacionais. Acreditamos que vai manter-se essa tendência nos próximos anos.

Livres – 50, 100 e 200 – Femininos

Livres – 50, 100 e 200 – Masculinos

Livres – 400, 800 e 1500 – Femininos

Livres – 400, 800 e 1500 – Masculinos

No estilo livre é no fundo que em 2016/2017 tivemos os melhores resultados.

Mariposa

Mais uma vez, a Carolina Fernandes lidera o ranking e agora com um valor fantástico! Significa mais ou menos isto: “Se fosse possível colocar todas as nadadoras com a mesma idade, e com todas as mariposistas portuguesas presentes entre os 11 e os 18 anos, a Carolina Fernandes daria, em 100 metros, mais de 5 segundos de avanço à segunda classificada!

✅ As nossas seleções jovens

Neste capítulo iremos identificar para cada grupo de idade quais os nadadores que ultrapassam os tempos de referência, ou seja, vamos identificar quais os nadadores portugueses que, para a sua idade, já fazem tempos acima da média e deverão ser assinalados como potenciais futuros nadadores de alto rendimento, tendo grandes probabilidades de vir a representar a seleção nacional absoluta.

As seleções 11 – 12  – Femininos

As seleções 11 – 12  – Masculinos

As seleções 13 – 14 – Femininos

As seleções 13 – 14 – Masculinos

As seleções 15 – 16 – Femininos

As seleções 15 – 16 – Masculinos

As seleções 17 – 18 – Masculinos

As seleções 17 – 18 – Femininos

SÍNTESE

Aqui o termo seleções não é para levar muito à letra – é apenas um indicador do que aconteceu na época transata. Muitos dos nadadores referenciados, neste momento, já têm um ano a mais do que aquele que é referido. Digamos que é uma seleção retrospetiva e portanto seria a seleção do ano passado. Não estamos a tomar em conta os resultados da corrente época nem tão pouco a idade atual. De qualquer forma destacaríamos entre as raparigas a Carolina Fernandes e a Raquel Pereira e nos rapazes o José Paulo Lopes e o Guilherme Pina como os grandes nadadores jovens da época transata. Iremos acompanhá-los de perto para perceber se continuarão a evoluir de forma consistente ou se entretanto, outros, tomarão o seu lugar.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter