Madjer Youth Cup: uma aposta para o futuro do Futebol de Praia

Tiago PelicanoJulho 25, 20226min0

Madjer Youth Cup: uma aposta para o futuro do Futebol de Praia

Tiago PelicanoJulho 25, 20226min0
Uma taça que tem revolucionado o futebol de praia nacional e internacional, a Madjer Youth Cup é analisada por Tiago Pelicano neste artigo

As modalidades desportivas quando são criadas, começam sempre pelo telhado da casa, inicia-se sempre uma modalidade por uma seleção nacional ou por clubes no escalão sénior e o futebol praia não fugiu a essa regra.

Em Portugal, iniciou-se precisamente com a criação de uma seleção nacional para competir nos Mundiais do Brasil nos anos 90, depois já nos anos 2000, criou-se o circuito nacional de futebol praia, com os ex-jogadores profissionais de futebol 11 e alguns já representantes de Portugal nos Mundiais a comporem as equipas, só mais tarde houve a criação de um campeonato nacional homologado pela FPF, o que nos leva aos dias de hoje, onde a modalidade está em crescendo, não só em Portugal, mas em todo o mundo.

Com a evolução da modalidade e o aumento de condições para que haja um calendário anual com o maior número de competições possíveis, começou a olhar-se para um aspeto muito importante que é a formação, é importante começar a construir o resto da casa para suportar o telhado e forma jogadores de futebol praia, miúdos que comecem a praticar a modalidade o mais cedo possível e que lhe tomem o gosto e a paixão que esta modalidade tanto nos transmite. No seguimento desta ideia, no ano de 2018 foi organizado o 1º torneio internacional de U16 e U18 e logicamente o nome a dar seria da estrela maior, o sol da modalidade e aquele a quem todos nós atribuímos a selo de melhor de sempre, Madjer.

A Madjer Youth Cup, apadrinhada pelo próprio Madjer, que faz questão de estar presente durante a competição e acompanha-la de perto, teve a sua 1ª edição em Junho de 2018, sendo realizada também em 2019, teve o interregno de 2020, devido à pandemia de COVID-19, mas regressou em 2021 e teve recentemente a sua 4ª edição, sendo todas elas realizadas na praia de Buarcos, na Figueira da Foz, um dos berços da modalidade em Portugal.

Fazendo uma retrospetiva à modalidade para depois olhar para o futuro, a Madjer Youth Cup, em 2018 contou com a presença de 14 equipas de 8 países diferentes, em 2019 participaram 13 equipas, em 2021 estiveram presentes 16 equipas e este ano bateu-se o recorde, com a participação de 20 equipas!

Os vencedores das edições passadas foram:

U16 2018 – ACD O Sótão; U18 2018 – Warriors SV (El Salvador)
U16 2019 – ACD O Sótão; U18 2019 – Warriors SV (El Salvador)
U16 2021 – ACD O Sótão; U18 2021 – Lazio BS (Itália)

As equipas participantes em edições anteriores foram:

Portugal – ACD O Sótão, Sporting CP, AD Buarcos 2017, Naval 1893, GD Chaves, GD Ilha, Escola Hugo Almeida, GD Ereira, ACD Attic, GR Pocariça, Academia 94 e Inter Limão

El Salvador – Warriors SV

Italianas – Lázio BS e Viareggio BS

Espanha – Escola Amarelle, Campus Ramiro Amarelle, CR Amarelle, Ramiro Amarelle 10, Colegio Obradoiro e CD Bala Azul

Alemanha – Rostocker Robben

EUA – Socal BSC

Inglaterra – Isle of Wight BS

Polónia – UKS Milenium Gliwice

A EDIÇÃO DE 2022 DA MADJER YOUTH CUP

Em 2022, disputou-se com então 20 equipas, na categoria U16, participaram 8 equipas, divididas em 2 grupos de 4; Grupo A – Sótão, Isle of Wight BS, Naval 1893 e GD Ilha; Grupo B – AD Buarcos, AR Amarelle, GD Chaves e GD Alfarim.

Na categoria U18, participaram 12 equipas, divididas em 4 grupos de 3; Grupo A – Lazio BS, EF Hugo Almeida BS e GD Alfarim; Grupo B – AD Buarcos, Isle of Wight e GD Ilha; Grupo C – Rostocker Robben, Sótão e CD P. da Leirosa; Grupo D – GD Chaves, Naval 1893 e Sesimbra BS.

Em ambas as categorias os 2 primeiros de cada grupo passavam à fase seguinte, nos U16, o 3º e 4º de cada grupo iam disputar os lugares do 5º ao 8º e nos U18, os 3º de cada grupo iam para um grupo a 4, disputar o 9º ao 12º lugar.

As fases de grupos foram disputas durante o dia 15 e metade do dia 16, o resto do dia 16 e 17 foram as fases finais.

As equipas finalistas do escalão de U16 foram AR Amarelle e o Sótão, o Sótão procurava vencer o tetra nesta categoria, mas a felicidade caiu para o lado dos espanhóis, que venceram 6×5 após GP, destronando assim os tricampeões da Nazaré. Na categoria U18 os finalistas foram Sótão e o Sesimbra BS, uma final totalmente portuguesa, com os nazarenos a conquistarem pela 1ª vez a categoria U18, derrotando o Sesimbra por 9×8.

Para encerrar e olhando para o futuro desta competição, está claramente em crescendo e com cada vez mais equipas a aderirem e a participarem. Vai com certeza ser uma competição que se irá manter até mesmo aquando da criação de campeonatos nacionais de U16 e U18. Certamente que no futuro o objetivo da competição passará por alargar os escalões aos mais novos e ir descendo até à base da formação.

É importante cada vez mais olhar para a formação e pelo que se tem visto há interesse que exista competição para os mais jovens e qualidade também não falta, esperemos que o próximo passo seja a criação de seleções nacionais nestas categorias e campeonatos nacionais. Pelo menos ao nível nacional sabemos que a coordenação do futebol praia está bem entregue e que o padrinho desta competição irá fazer de tudo o que esteja ao seu alcance não só para ver a sua modalidade crescer mas também para criar todas as condições que ele não teve para que Portugal continue a ser a melhor Pátria nas areias mundiais.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter