Euro Winners 2020: mais um sucesso da Nazaré

André CoroadoSetembro 18, 20205min0

Euro Winners 2020: mais um sucesso da Nazaré

André CoroadoSetembro 18, 20205min0
Depois da Liga Europeia, foi a vez da Liga dos Campeões Europeus de Futebol de Praia! A maior prova de clubes voltou a realizar-se na Nazaré com muitos golos, o regresso de velhos campeões, boas prestações lusas e até a primeira campeã europeia feminina para Portugal.

Mesmo em tempos de pandemia, a Nazaré voltou a mostrar a razão pela qual tem vindo a ser considerada a capital do futebol de praia português e europeu. Com efeito, mesmo numa edição de dimensões reduzidas em comparação com anos anteriores e a ausência de alguns emblemas habituais nas competições masculina e feminina, a Euro Winners Cup acabou mesmo por se desenrolar com êxito no Estádio do Viveiro – Jordan Santos, na Nazaré, coroando Kristal de São Petersburgo e BSC Mryia 2006 como os novos campeões europeus, respectivamente.

Em primeiro lugar, pretendemos realçar a coragem e determinação tanto do Município da Nazaré como da BSWW, assim como a resiliência dos clubes, responsáveis e atletas, que possibilitou a realização desta festa do futebol de praia europeu mesmo sob um clima de grandes adversidades. Não terá sido o evento recordista a que assistimos em anos anteriores, mas foi sem dúvida uma prova de resistência por parte da família do futebol de praia, sendo que a qualidade do espectáculo dentro das quatro linhas nunca esteve em causa, tal a forma como os protagonistas prepararam o torneio ao longo das atípicas semanas (e meses!) anteriores.

Numa perspectiva mais técnica, a semana fica marcada pela reconquista do troféu por parte do Kristall de São Petersburgo, campeão das edições de 2014 e 2015, e pelo fim do reinado do Sporting de Braga na competição, que já durava desde 2017. Liderados pelo jogador-treinador Bruno Torres, os minhotos procuravam o seu quarto título consecutivo na prova e demonstraram armas de fogo na luta por semelhante objectivo, num conjunto de prestações avassaladoras em que o rigor defensivo se aliava a uma produtividade arrebatadora no ataque. No entanto, os guerreiros do Minho acabaram por cair na final aos pés de uma equipa igualmente impressionante, onde alinhavam muitos internacionais russos e brasileiros que tudo fizeram para roubar a taça aos bracarenses.

Depois de uma final muito equilibrada, em que o Braga esteve por diversas vezes em vantagem, foi nas grandes penalidades que a falta de eficácia dos homens do norte se revelou decisiva, deixando a vitória nas mãos da equipa do leste europeu. Em todo o caso, ambas foram claramente as equipas mais fortes da competição e, reunindo uma panóplia de estrelas lusas, brasileiras e russas, concederam ao torneio a dimensão de uma prova de elite mundial.

Por outro lado, as outras equipas portuguesesas além do Braga também tiveram prestações meritórias na Winners Cup. O destaque natural vai para a ACD “O Sótão“, treinado pelo ex-internacional João Carlos Delgado, que contou nas suas fileiras com Rúben Brilhante e com o internacional espanhol Chiky. Os homens da Nazaré alcançaram um honroso 7º lugar, a melhor classificação de sempre na prova, e demonstraram bons argumentos a poucos dias do início da divisão de elite, que marca o regresso da equipa ao principal escalão nacional. Por outro lado, o Sporting CP acabou por não conseguir passar aos quartos de final, mercê da derrota nos oitavos frente ao Krylia Sovetov. Ainda assim, os comandados do também antigo internacional José Maria Fonseca demonstraram progressos exibicionais ao longo da prova e acabaram por vencer as 3 partidas seguintes de forma consistente, alcançando um respeitável 9º lugar final.

Por fim, mas não menos merecedores de destaque, o Grupo Desportivo “Os Nazarenos” fez a sua estreia na modalidade de futebol de praia com um auspicioso 11º lugar alcançado por experientes filhos da terra, provenientes de anteriores equipas d’ “O Sótão” e da Biblioteca de Instrução e Recreio. Tal como o Sporting, também os homens da casa foram eliminados nos oitavos de final, no caso pelos conterrâneos d’ “O Sótão”, mas acabaram por vencer os jogos da consolação (excepto perante o emblema de Lisboa). Já o GRAP e a equipa B do Sóãto, apesar de boas indicações, não conseguiram passar da fase de grupos do torneio.

Relativamente à competição feminina, também ela particularmente encurtada em virtude do reduzido número de participantes, disputou-se num formato semelhante ao da Liga Europeia (masculina) na semana anterior: 5 equipas que se defrontaram todas entre si, com um ranking a decretar a vencedora final. Poderia recair algum favoritismo sobre as russas do Zvezda, vencedoras da edição de 2018, que até começaram por vencer as 3 primeiras partidas. No entanto, uma derrota final ante as espanholas do Cáceres acabou por diar o sucesso da equipa ucraniana do BSC Mryia 2006, estreante na competição, que contou por vitórias as partidas contra Marseillies BST, New Team Brussels e Cáceres (apenas uma derrota nas grandes penalidades contra o Zvezda abala o estatuto quase imaculado das novas campeãs). Nas suas fileiras, o Mryia conta com a portuguesa Mariana Rosa, que se torna assim a primeira lusaa erguer o troféu. Também o Marseilles BST contou com representantes portuguesas em Ana Correia e Luísa Leza, classificadas na 4ª posição.

Entretanto, o futebol de praia não pára e já esta semana arrancou a divisão de elite do campeonato nacional, também na Nazaŕe, com jogos 3ª feira, 6ª feira, Sábado e Domingo. Por seu turno, também a divisão nacional tem sido disputada desde o início do mês. Motivos, pois, para os amantes do futebol de praia português sorrirem: a bola vai continuar a rolar no areal!


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter