Taça Nacional sub19 – CLIP reinou em Tortosendo

José AndradeJunho 8, 20226min0

Taça Nacional sub19 – CLIP reinou em Tortosendo

José AndradeJunho 8, 20226min0
A Taça Nacional sub19 foi disputada em Tortosendo e é sobre o triunfo do CLIP que José Andrade nos vem falar hoje

Neste novo texto vamos falar sobre a final-four da Taça Nacional de sub19 feminina em que o CLIP saiu com o “caneco”, grandes jogos e é sobre estes duelos em Tortosendo que vamos falar hoje.

Em Tortosendo, o CLIP venceu a sua primeira Taça Nacional sub19 ao vencer a AD Sanjoanense na final já depois de derrotar o União Sportiva no sábado. Fim de semana de jogos muito equilibrados, mas vamos lá falar da final e de alguns dos destaques desta Taça Nacional sub19.

Vínhamos de grandes jogos, muito equilíbrio entre todas as equipas e esta final não foi diferente. O CLIP começou muito bem com um triplo de Mercedes Schneider, foi a melhor maneira de se dar início a este grande duelo. CLIP a entrar melhor, as primeiras do lado da Sanjoanense demoraram para cair, mas a equipa sempre muito agressiva na defesa com destaque para Rita Morgado que se revelou desde os primeiros instantes uma defensora difícil de ser ultrapassada.

Sanjoanense sempre com um ataque rápido, sem a referência interior a equipa mostrou sempre muita qualidade na troca de bola, sempre bem no 1×1 e no passe para a jogadora desmarcada, no CLIP juntando à boa defesa e à velocidade no ataque, Inês Baptista foi desde os primeiros instantes se destacando na luta das tabelas. Sanjoanense conseguiu ajustar a defesa ainda no primeiro quarto e sair na frente à entrada do segundo período, fruto de muita fluidez no ataque, a entrada de Rita Castro revelou-se muito importante, trouxe mais calma ao jogo da sua equipa que dessa forma soube aproveitar melhor cada abertura que estava a conseguir criar na defesa do CLIP que não ia conseguindo travar a mobilidade ofensiva da Sanjoanense.

No final deste segundo quarto, o CLIP sobe a sua linha defensiva aumentando a pressão e com isso começaram a roubar muitas bolas, Sanjoanense sem conseguir sair fruto desta pressão asfixiante. 33-27 ao intervalo, o CLIP soube reagir, ajustar e dar a volta conseguindo uma liderança que não mais perderia neste encontro. Nesta recuperação do CLIP destaque para Marta Sotelo e Matilde Leão que foram muito importantes na pressão e em muitas recuperações de bola e ainda falar de Ana Santo que assim que começou a aparecer na partida mudou o rumo do jogo. A segunda parte não foi diferente, CLIP continuou por cima, a vencer nos duelos das tabelas e a roubar muitas bolas, a Sanjoanense tentou de tudo, mas a pressão do CLIP fazia toda a diferença. Espaço ainda para um valente susto, quando numa saída rápida do CLIP, Ana Santo e Rita Morgado embatem deixando a jovem da Sanjoanense por terra em lagrimas, que não seja nada e deixámos aqui o desejo de boa recuperação.

No último quarto, muita luta, foi uma constante em todo o duelo, o CLIP com um ligeiro ascendente e uma liderança que acabou por não mais perder, mas uma Sanjoanense incansável e que lutou até ao fim. Neste período final, destaque para Inês Martins que já vinha a ser uma das melhores da Sanjoanense, mas que surgiu ainda em maior papel de destaque liderando a busca da equipa de S. João da Madeira pela vitória. CLIP não tremeu, mesmo perante a maior intensidade e pressão da Sanjoanense, a equipa de Marco Rodrigues não mudou a sua forma de jogar, manteve sempre a sua estratégia e com isso conseguiram vencer esta final alcançando dessa forma a Taça Nacional. Mencionar que o Unidos Tortosendo venceu o União Sportiva por 66-48 conseguindo dessa forma o terceiro lugar.

Nos destaques individuais a lista é grande, mas vamos a algumas das jogadoras que mais se evidenciaram:

  • Inês Bettencourt – MVP incontestável

Começamos pela MVP da Taça Nacional, falamos de uma jogadora já de Liga Betclic que somou muitos minutos na equipa principal e que chegava aqui num patamar evolutivo superior e com isso acabou por se assumir como a melhor jogadora, mesmo com o União Sportiva a sentir algumas dificuldades, Inês Bettencourt apareceu em grande nos dois duelos e mostrou como é uma jogadora diferenciada.

  • Sofia Esteves – Brilhar em casa

De Tortosendo chegou mais um dos maiores destaques desta final-four da Taça Nacional, uma das jogadoras da equipa da casa que mais se destacou, com ela também Rafaela Proença e Ana Brito num conjunto que conseguiu o terceiro lugar. A forma como pensa o jogo com bola foi para mim o ponto de maior destaque em relação a Sofia Esteves, uma jogadora que revela um QI basquetebolístico já acima, que luta muito e complementa isso com muita qualidade.

  • Inês Baptista – Domínio nas alturas

Mudamos paras as vencedoras para falar de Inês Baptista, a jogadora que mais duelos ganhou nas tabelas, não é apenas por isso que se evidencia, é também pela sua qualidade de jogo de pés. Falamos de uma atleta que garante já uma superioridade no que aos ressaltos diz respeito, mas é já bem mais que isso, porque como se viu nesta final-four da Taça Nacional, defende muito bem e sabe ter bola. Presença no 5 ideal da competição e uma das maiores promessas do nosso basquetebol.

  • Inês Martins – A melhor da Sanjoanense

Vamos até às vices campeãs para falar de Inês Martins, uma jogadora que destaquei ainda no resumo do jogo, que acabou como uma das eleitas para o cinco e não podia ser diferente uma vez que foi das craques que mais brilhou neste fim de semana em Tortosendo. Boa atiradora, junta a isso o ser uma autêntica carraça na defesa, pensa muito bem o jogo e como se viu na final, cresce nos momentos de maior pressão não tendo problemas em assumir e em render, uma jogadora também ela diferenciada.

  • Ana Santo – Imenso futuro

Para concluirmos os nossos destaques, Ana Santo uma base do CLIP, esta é a única das jogadoras que falamos que não esteve no cinco ideal, mas que merecia ser falada porque podia muito bem ter sido eleita. Base que mudou o jogo, muito habilidosa, tem muita técnica que alia à sua velocidade e muita qualidade. Jogadora que não tardará para aparecer em outros patamares pois falamos de uma promessa entusiasmante do nosso basquetebol.

Ficou aqui tudo sobre a Taça Nacional sub19 feminina, competição onde o CLIP conseguiu reinar em Tortosendo.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter