NCAA: Os melhores talentos da classe de 2020

Tiago MagalhãesOutubro 29, 20196min0

NCAA: Os melhores talentos da classe de 2020

Tiago MagalhãesOutubro 29, 20196min0
Novembro é o mês em que os fãs de basquetebol rejubilam sendo que para além da NBA ter voltado há pouco tempo, o College Basketball também se inicia com alguns dos torneios mais interessantes antes da temporada regular em cada uma das conferências pelas quais se dividem as melhores equipas do país.

Esta temporada temos um dos anos mais abertos a nível de competição sendo que o talento individual está bem dividido pelas equipas de topo e espera-se também que existam “algumas surpresas”.

 

A experiência de certos conjuntos será um fator preponderante aquando do March Madness já que este ano a classe de 2019 tem uma particularidade de não ter nenhum “talento estratosférico” como em anos vigentes, sendo que a primeira escolha do próximo Draft não é consensual e pelo menos 4 ou 5 nomes saltam a baila.

 

Esta lista não se encontra em nenhuma ordem concreta e é suscetível a muitas variantes, como por exemplo a equipa onde estão inseridos, conferência, experiência a este nível e potencial futuro.

 

Cole Anthony

PG/SG – North Carolina| 1.91m

 

Um dos candidatos a ser a primeira escolha no próximo Verão no Draft, Anthony é o protótipo perfeito para a NBA na sua posição neste momento. Super atlético, capaz de marcar pontos quer através de ataque ao cesto quer de lançamento exterior, com um IQ acima da média (não fosse este proveniente de uma família com experiência NBA) este será um dos destaques ofensivos da NCAA nesta temporada.

 

Os Tar Heels contam com Cole Anthony para chegar a Final 4

 

James Wiseman

C – Memphis | 2.16m

 

Wiseman entra numa classe de recruta de enorme talento por parte do conhecido Penny Hardaway que tenta renovar as ambições dos Tigers para voltarem a uma Final4. Um espécimen atlético, este poste certamente dominará as tabelas quer na parte ofensiva quer na parte defensiva do campo. Apesar de não ser consensual, é o maior candidato a #1 do Draft no próximo ano.

 

Isaiah Stewart

PF – Washington | 2.06m

 

Washington conseguiu aqui um excelente recruta, muito devido a ligação de Stewart com Mike Hopkins, já que este possuía bolsas de faculdades como Duke, Kentucky, Michigan State, entre outros. Na NBA actual o PF assentará que nem uma luva no estilo atlético e versátil da Liga devido à sua enorme mobilidade e capacidade de jogar de frente para o cesto.

 

Vernon Carey Jr

C – Duke | 2.08m

 

Duke tem em Carey Jr um poste de enorme poderio físico, não fosse o seu pai o ex atleta NFL Vernon Carey, um verdadeiro “tanque de guerra”. Com uma equipa, mais uma vez, em reestruturação, os Blue Devils terão na presença interior deste jogador uma grande chave para a sua temporada.

 

O poderio de Carey Jr terá imensa importância para Coach K

 

Cassius Winston

PG – Michigan State |1.85m

 

Mais um base protegido por Tom Izzo que será certamente um dos candidatos a receber o prémio de jogador do ano da NCAA, pela sua experiência e pelo que joga. Depois de ser considerado o melhor jogador da conferência Big Ten, Winston será o líder deste conjunto que é a maior referência desta temporada ao título de College Basketball.

 

Markus Howard

PG – Marquette | 1.80m

 

O elétrico base de Marquette é provavelmente o melhor scorer puro da NCAA, sendo que na temporada passada conseguiu quatro jogos acima dos 40 pontos sendo um deles de 53 pontos frente a Creighton. Um dos melhores lançadores da nação terá aqui mais uma oportunidade para lutar pelo jogador do ano de College Basketball.

 

Kerry Blackshear Jr

PF – Florida | 2.08m

 

Uma das histórias deste Verão foi Blackshear Jr que depois de ter proposto ao Draft acabou por retirar a sua elegibilidade e transferir-se de Virginia Tech para Florida, de forma um pouco surpreendente. O verdadeiro poste de “grit n’grind”, este será uma das chaves para os Gators se querem chegar longe este ano no March Madness.

 

De Virginia Tech para Florida, Blackshear vem para dominar

 

Devon Dotson

PG – Kansas | 1.88m

 

Os Jayhawks possuem mais uma vez um conjunto super interessante, não só para voltarem a vencer a sua conferência, mas também para o ataque a Final4. Dotson será o líder deste conjunto, um jogador que modela o seu estilo por Derrick Rose e que certamente preencherá todas as boxes estatísticas.

 

Sam Merrill

SG – Utah State | 1.96m

 

O companheiro de equipa dos portugueses Neemias Queta e Diogo Brito será novamente a estrela deste conjunto devido a sua enorme capacidade ofensiva. Os Angies têm em Merrill o “sharpshooter” perfeito – experiente, consistente e líder dentro de fora do campo. Poderão ser uma das equipas surpresa neste torneio com a experiência acumulada do ano passado.

 

Anthony Edwards

SG – Georgia | 1.96m

 

Edwards tornou-se o recruta de melhor ranking da história da Universidade de Georgia sendo o melhor SG desta classe e um possível top 5 do Draft do próximo ano. Os Bulldogs têm neste jogador uma máquina de fazer pontos e um defensor extremamente versátil que irá ser importante nos dois lados do campo.

 

Nico Mannion

PG – Arizona | 1.91m

 

O italiano que já se estreou na seleção sénior Azzurra é um dos maiores talentos europeus desta classe, senão mesmo o melhor. Um base com enorme capacidade anotadora que fez toda a sua formação nos EUA, sendo que irá entrar numa equipa de Arizona que vive momentos conturbados com o escândalo em volta de Shaun Miller. Um dos destaques na FIBA Europe em escalões jovens nos últimos dois anos que será certamente um atleta a seguir.

 

“Nico Mania” chegou a Arizona para se destacar

 

Killian Tillie

PF/SF – Gonzaga | 2.08m

 

O francês é um dos jogadores que Mark Few deposita mais esperanças para esta temporada depois de no ano passado ter perdido mais de dois meses com uma fratura no pé. Os Bulldogs voltarão a massacrar na sua conferência, mas terão eles um conjunto consistente para voltar a Final4? Tillie será um dos elementos cruciais nesta caminhada.

 

 

Outros nomes a ter em consideração:

 

Jaden McDaniels, Washington. Precious Achiuwa, Memphis. Charles Bassey, Western Kentucky. Tyrese Haliburton, Iowa State. Mamadi Diakite, Virginia. Neemias Queta, Utah State. Scottie Lewis, Florida. Cassius Stanley, Duke. N’Faly Dante, Oregon. Jalen Smith, Maryland.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter