Campeonato Andebol 1 – FC Porto triunfa no clássico

João de MatosFevereiro 28, 20195min0

Campeonato Andebol 1 – FC Porto triunfa no clássico

João de MatosFevereiro 28, 20195min0
Dragões e Águias disputaram um grande jogo no Pavilhão nº2 da Luz que demonstrou o melhor do andebol nacional. Quem saiu por cima neste jogo? Lê a nossa análise aqui!

O Sport Lisboa e Benfica recebeu, na noite passada, em sua casa, o Futebol Clube do Porto para um clássico de Andebol que ditava mais uma questão de posicionamento e honra, do que outro aspecto importante. Os Dragões estão a realizar uma bela temporada na fase regular só com vitórias até este ponto (e apenas uma derrota), enquanto que as Águias têm tido alguns problemas na hora de fazer pontos.

No final do encontro o FC Porto venceu o SL Benfica por 25-27, na partida que deu início à 25ª e penúltima jornada do Campeonato Andebol 1 e que foi, como se esperava, disputada até ao último minuto. 

O JOGO JOGADO: COMO FOI?

No Pavilhão  nº2 da Luz, Paulo Moreno inaugurou o marcador do clássico da noite e, na resposta, Fábio Magalhães fez o primeiro para o FC Porto. Com mais dois golos sem resposta, o Benfica adiantou-se e, aos cinco minutos, vencia por 3-1.

Os encarnados foram mantendo a vantagem até aos 10 minutos, altura em que a turma portista repôs a igualdade (5-5). António Areia colocou o FC Porto na frente do marcador, pela primeira vez (6-7). Os empates sucederam-se nos minutos seguintes mas os comandados de Magnus Andersson, com maior eficácia, conseguiram uma vantagem de três golos (9-12) a dez minutos do intervalo – a maior diferença no jogo até então.

Fonte: slbenfica.pt

Até ao intervalo, a formação portista ainda aumentou a vantagem e saiu para o descanso a ganhar 10-14.

A equipa da casa entrou muito bem na segunda parte e, com um parcial de 4-0, igualou as contas. As igualdades foram, novamente, uma constante no segundo tempo. Com 10 minutos jogados, o Benfica voltou a passar para a frente (18-17) e Magnus Andersson pediu, de imediato, um “time-out”, mas o equilíbrio em campo – e no marcador – foi-se mantendo. O FC Porto voltou a assumir a liderança (21-23) depois de um remate falhado e uma bola perdida por parte de Kevin Nyokas.

Com doze minutos para jogar foi a vez de Carlos Resende pedir um “time-out”, mas só a quatro minutos do fim o Benfica, por Fábio Vidrago, voltou a empatar (25-25). O FC Porto voltou a passar para a frente e Alexandre Cavalcanti desperdiçou o livre de sete metros que poderia dar novo empate, num remate por cima da baliza, desperdiçando uma oportunidade de ouro. Já no último minuto, Victor Iturriza confirmou a vitória do FC Porto, por 25-27. Alexandre Cavalcanti (SLB), com 6 golos, foi o melhor marcador da partida. 

Uma nota final importante vai para o Fair Play demonstrado por ambas equipas e que ficou bem evidenciada pelo discurso final de Carlos Resende, treinador do SL Benfica,

“Saio insatisfeito, porque perdi, sabendo que podemos fazer mais e melhor. O FC Porto tem a qualidade que todos conhecem. Tenho uma equipa que tem qualidade para ser campeã, por isso quando perde a culpa é nossa. Dou os parabéns ao FC Porto, porque são uns justos vencedores. Temos por obrigação fazer melhor.”.

OS DESTAQUES ENTRE GOLOS E ELEGÂNCIA

Alexandre Cavalcanti quem mais poderia ser? O jovem jogador do Benfica apontou 6 golos, fazendo um jogo de grande qualidade ficando apenas manchado pelo 7 metros falhado que daria ao Benfica o empate e a possibilidade de evitar a derrota. Muito assertivo defensivamente e ao contrário da equipa sempre muito eficaz no plano ofensivo, marcando mais de metade dos golos com remate aos 9 metros. É um jogador de 2 metros mas nunca usando o corpo em seu prejuízo, raramente levando exclusões de 2 minutos.

Do outro lado a escolha recai sobre Fábio Magalhães. Um jogador com uma classe inigualável, muito inteligente, cerebral assertivo, um craque. No jogo de ontem No jogo de ontem marca 5 golos, é um jogador que raramente defende, apenas usado por Magnus Andersson para atacar. O jogador de 30 anos teve um jogo bastante assertivo, como já é seu hábito e uma grande qualidade sua, a consistência jogo apos jogo. No encontro marcou uma série de golos em penetração, sendo sempre muito mais rápido que os defesas adversários na entrada aos 6 metros, encontrando sempre “buracos” na defesa benfiquista.

A situação do Benfica é realmente um case study, pois sem sombra de duvidas possuem o melhor treinador do campeonato, mas o plantel não está ao nível do Professor Carlos Resende. Cometendo sempre muitos erros técnicos o que ditam sempre perdas de bola importantes e em jogos grandes como são sempre contra Sporting e o Futebol Clube do Porto esses erros pagam-se muito caros, e até ao momento originaram três derrotas, duas frente ao FC Porto.

Créditos da Foto de Destaque de: Jorge Amaral/global Imagens

Fonte: slbenfica.pt

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter