Andebol luso na Europa 1# Semana europeia prestigiante

Bernardo GalanteSetembro 24, 20219min0

Andebol luso na Europa 1# Semana europeia prestigiante

Bernardo GalanteSetembro 24, 20219min0
O FC Porto, SL Benfica Sporting CP somaram importantes resultados na Europa de andebol, e o Fair Play conta como foi neste artigo

Revê toda a acção de mais uma semana europeia de andebol no Fair Play, com o foco colocado sobre as equipas portuguesas do FC Porto (EHF Champions League, a principal competição de andebol da Europa), Sporting CP e SL Benfica (EHF European League) a lutarem por um lugar na fase seguinte.

10 SEGUNDOS SEPARARAM A ÁGUIA DE UMA VITÓRIA HISTÓRICA

O Sport Lisboa e Benfica empatou (31-31) na SAP Arena, reduto do histórico Rhein-Neckar Löwen, num encontro a contar para a 1ª mão da 2ª eliminatória de acesso à Fase de Grupos da EHF European League. Após a turma comandada por Chema Rodriguez ter eliminado os suíços do Kriens-Luzern por 42-60 no agregado, tem agora o seu último obstáculo pela frente: o poderoso Rhein-Neckar Löwen.

Na cidade alemã de Mannheim, o SL Benfica tinha pela frente um gigante alemão que, apesar da quinta posição na edição transata da Bundesliga, contém com grandes nomes do andebol mundial como Andreas Palicka, André Schmid ou Uwe Gensheimer. As águias foram, durante largos períodos do jogo, superiores ao emblema alemão, porém não conseguiram sair com a vitória da SAP Arena.

Na gíria do andebol costuma afirmar-se que as vitórias são construídas começando pela defesa e Chema Rodríguez tem isso bem presente na ideia de jogo para o Benfica versão 21/22.

A entrada num reduto extremamente complicado foi concebida com um 6×0 muito coeso e ativo. Os reforços Alexis Borges e Rogério Moraes formaram um bloco central que mete respeito a nível mundial, contando assim com dois jogadores muito poderosos e com vasta experiência a alto nível. Demis Grigoras e Jonas Källlman defendiam na posição de laterias – direita e esquerda, respetivamente, com Kukic e Djordjic a fecharem a linha de 6.

O eixo defensivo dos lisboetas mostrou-se extremamente competente, apesar do pouco entrosamento em jogos oficiais entre os atletas, devido ao pouco tempo de competição que contém. A revolução não se deu apenas no eixo defensivo, mas também no ofensivo. As entradas de Alexis Borges, Jonas Källman e Demis Grigoras foram novidade, relativamente à temporada transata.

Lazar Kukic mostrou-se uma peça muito importante na manobra ofensiva das águias, tendo feitos 4 assistências e 3 golos, destacando-se pela forte capacidade organizacional coadjuvada com uma leitura de jogo que faz dele um jogador acima da média. Petar Djordjic com 4 golos da linha de 9 metros foi uma arma ofensiva bastante poderosa, sendo o jogador do Benfica com mais perigo, a partir do remate exterior. O ponta alemão Ole Rahmel foi o melhor marcador do conjunto português com 8 golos e 87% de eficácia (8/9), seguindo-se o lateral sérvio, Petar Djordjic com 7 tentos.

Decorria o 42º minuto e a turma de Chema Rodríguez vencia por 4 golos de diferença (19-23), porém com a expulsão de Demis Grigoras e com a excelente exibição do monstruoso guardião Andreas Palicka na 2ª parte, o Rhein-Neckar Löwen conseguiu recuperar a desvantagem e chegou mesmo a passar para a dianteira do encontro pela primeira vez a 10 minutos do fim com 2 golos de vantagem, quando o jogo entrava nos 5 minutos finais.

As águias mostraram-se serenas e competentes, empatando o jogo e, de seguida, passando para a frente com um golo de Ole Rahmel a dois minutos do fim. A faltar 6 segundos para acabar o encontro, Alexis Borges leva a 3ª exclusão de 2 minutos, dando assim origem a um livre de sete metros concretizado pelos alemães. Os encarnados ainda usufruíram de um livre de 9 metros, mas Petar Djordjic atirou à trave da baliza defendida por Andreas Palicka.

A águia deixou excelentes indicadores, mostrando que tem um plantel extremamente competitivo, capaz de se bater com equipas de campeonatos de outro calibre. O futuro do SL Benfica disputa-se na próxima terça-feira, no Pavilhão Nº2 da Luz, numa partida decisiva para a passagem à Fase de Grupos da EHF European League de andebol.

LEÕES PROMISSORES COM UM PÉ E MEIO NA FASE DE GRUPOS

O Sporting CP venceu o TT Holstebro por 31-25, na 1ª mão da 2ª Eliminatória de acesso à Fase de Grupos da EHF European League, realizada no Pavilhão João Rocha.

Salvador Salvador de 19 anos, foi mais uma vez o atleta que deteve a braçadeira de capitão – desta feita a sua estreia, com tamanha responsabilidade, num jogo a contar para as competições europeias.

A pressão não existe para o jovem lateral formado entre o NA Samora Correia e o Sporting Clube de Portugal, tendo realizado uma excelente exibição no cômputo geral – foram 10 assistências, 1 bloco, 3 golos e todo um exemplo de competência e irreverência demonstrado. No fundo, Salvador é uma das referências de um Sporting renovado e irreverente, fruto de uma mescla de experiência com juventude.

Defensivamente, os leões causaram muitos problemas aos dinamarqueses do TT Holstebro, sendo que apresentaram um 6×0 pressionante e dinâmico provocando várias dificuldades ao adversário. O ataque rápido foi muito utilizado nos leões ao longo de um jogo (praticamente) de sentido único… no placar e dentro de quatro linhas.

Dentro dos postes, Manuel Gaspar revelou-se muito importante, realizando uma exibição soberba. Com 12 defesas realizadas e dono de 33% de eficácia defensiva, ainda teve espaço para marcar um golo de baliza a baliza – quando o adversário se encontrava sem guarda-redes. O promissor guarda-redes já é uma certeza na baliza leonina.

Os adeptos do Sporting Clube de Portugal viram entrar uma equipa técnica renovada, o que causou também algumas mexidas no plantel… sobretudo, de jovens talentos. Apesar disso, a “velha-guarda” continua a dar cartas. Jens Schongarth e Carlos Ruesga, ambos internacionais pelos seus países, continuam a ser extremamente importantes dentro de campo fruto da sua experiência. Carlos Ruesga apontou 5 golos sendo o melhor marcador dos leões, ao lado do compatriota Josep Folques, igualmente com 5 tentos.

Exatamente na posição de Ruesga e Schongarth existem soluções jovens e com muita qualidade: Nátan Suárez e Francisco “Kiko” Costa. O central espanhol apontou 3 golos durante toda a partida, porém a diversidade de soluções ofensivas que apresentou durante o jogo fez com que tivesse sido sempre um problema para a defesa adversária.

O mesmo se pode dizer de Kiko, visto que é um atleta de 16 anos a jogar diante dos “graúdos”, em plena competição europeia. Ao que tudo indica, será uma aposta efetiva para a lateral direita leonina, visto que é a posição que mais desempenha nesta equipa do Sporting – com 80% de eficácia, o prodígio leonino apontou 4 golos e uma exibição que deixa qualquer amante de andebol com a “pulga atrás da orelha”.

Donos de uma exibição sólida em que estiveram (praticamente) sempre na dianteira do marcador, o desfecho mais provável da eliminatória será o apuramento… mas as contas ainda não estão fechadas.

O quarto classificado da passada edição do campeonato dinamarquês, revelou sempre muita dificuldade em passar a muralha defensiva do Sporting CP. Em contrapartida, os leões estiveram muito fortes na transição ofensiva – mais precisamente, nos ataques rápidos -, aproveitando o desequilíbrio dos dinamarqueses.

Na próxima terça-feira, decidir-se-á na cidade de Holstebro quem avança para a Fase de Grupos da competição, sendo que a turma leonina leva 6 golos de vantagem. Portugal tem a séria possibilidade de ter dois representantes no quadro final desta segunda prova de andebol, a EHF European League: o Sporting CP e o SL Benfica.

REGRESSO DA CHAMPIONS AO DRAGÃO COM VITÓRIA À PORTO

O Futebol Clube do Porto alcançou hoje a primeira vitória na presente edição da EHF Champions League, tendo batido o Flensburg-Handewitt por 28-27 com o regresso do seu público às competições europeias.

O destaque não vai só para a extraordinária vitória dos Dragões diante de um colosso alemão, mas também para o oitavo jogador que ajudou a alcançar esse feito. O apelo foi dado e os adeptos disseram presente. Numa quarta-feira, às 19:45, os adeptos portistas encheram o Dragão Arena (mediante os lugares disponibilizados pelas entidades responsáveis) e foram donos de um ambiente frenético durante 60 minutos. No fim de contas, é o regresso do melhor andebol do mundo ao nosso país.

Apesar do Flensburg viajar até à cidade Invicta com cinco baixas no plantel – Samper, Magnus Rod, Lasse Moller, Kevin Moller e Lindskog – não se previa um jogo de baixa dificuldade. Desde o primeiro minuto que o encontro foi pautado pelo equilibrio entre as duas equipas, sendo que a maior vantagem obtida ao longo da partida foi de três golos de vantagem, na altura, por parte dos alemães.

Três das cinco baixas do conjunto germânico atuavam na primeira linha, o que desfalcou muito o Flensburg a nível ofensivo pela falta de diversidade de soluções, especialmente, com a inexistência de um rematador exterior. A equipa alemã sentiu muitas dificuldades nos primeiros 15 minutos iniciais, devido a esse fator – os 2 golos em 7 remates realizados dos 9 metros pelo dinamarquês Mads Mensah é revelador disso mesmo.

A entrada do guardião macedónio a meio da 2ª metade do encontro tornou-se fulcral. Nikola Mitrevski defendeu 6 dos 13 remates direcionados à sua baliza – totalizando 43% de eficácia – sendo todas elas defesas decisivas para o rumo do jogo.

A partir do 23-26 que o placar marcava a 6 minutos do fim da partida, o público portista deteve um papel muito importante empurrando os dragões para a primeira vitória europeia, na presente temporada. Mitrevski foi uma das chaves do jogo. Nos últimos segundos, Pedro Cruz conquistou um livre de sete metros que foi concretizado pelo ponta-direita António Areia, selando o resultado final em 28-27, oferecendo novo marco histórico significativo para o andebol nacional.

Hampus Wanne (ponta-esquerda do Flensburg) foi o melhor marcador do encontro com 8 golos marcados e 100% de eficácia, seguindo o portista Daymaro Salina com 6 golos e o alemão Johannes Golla (pivô do Flensburg) com 5 tentos.

Com este resultado, o FC Porto coloca-se na 6ª posição do Grupo B com 2 pontos em 2 jogos, fruto de 1 vitória e 1 derrota e em igualdade pontual com o VIVE Kielce (Polónia), Veszprém (Hungria), Motor Zaporozhye (Ucrânia) e Paris SG (França). O FC Barcelona segue líder isolado do grupo, sendo a única equipa com 2 vitórias em 2 encontros disputados.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter