História e Curiosidades Copas do Mundo – 1934 a 1950

Thiago MacielJulho 16, 20226min0

História e Curiosidades Copas do Mundo – 1934 a 1950

Thiago MacielJulho 16, 20226min0
A Copa do Mundo é um evento realizado a cada quatro anos no qual as seleções disputam o título de melhor do mundo. É maior evento futebolístico do planeta.

A primeira edição da Copa do Mundo aconteceu em 1930 e foi sediada pelo Uruguai. Desde então, já foram realizadas edições da Copa em quase todos os continentes, com exceção da Oceania. Por ser um evento gigantesco e que mobiliza bilhões de pessoas, sediar uma Copa do Mundo é algo que envolve uma quantidade gigantesca de dinheiro.

Na Copa de 2014, sediada no Brasil, foram gastos aproximadamente oito bilhões somente na construção dos estádios. Do ponto de vista financeiro, a grande beneficiada é a própria Federação Internacional de Futebol (Fifa), que registra lucros recordes a cada edição. Na Copa de 2014, por exemplo, o lucro registrado foi de 18,6 bilhões de reais.

Primeira Copa do Mundo

A primeira Copa do Mundo aconteceu no Uruguai, em 1930, e foi resultado de um esforço de muitos anos da Fifa para criar essa competição. A Fifa, naturalmente, foi a instituição responsável pela profissionalização e popularização do futebol pelo mundo, e a Copa do Mundo cumpriu um papel muito relevante nisso. A Fifa surgiu no começo do século XX, em 1904, e contava com as seguintes nações: Bélgica, Dinamarca, França, Holanda, Espanha, Suécia e Suíça.

Os primeiros esforços para que houvesse uma edição da Copa do Mundo foram realizados por um holandês chamado Carl Anton Wilhelm Hirschman. No entanto, o grande responsável por conseguir viabilizar a realização da Copa foi o francês Jules Rimet, presidente da Fifa durante mais de 30 anos.

O fator que definiu a possibilidade de se organizar o Mundial foi o sucesso da competição masculina de futebol durante os Jogos Olímpicos de 1924 e 1928 (ambos vencidos pelo Uruguai). A competição de futebol nessas Olimpíadas foi realizada por uma parceria da Fifa com o COI (Comitê Olímpico Internacional).

A decisão pela organização do Mundial ocorreu em duas reuniões: uma em Amsterdã (Holanda) e outra em Zurique (Suíça), ambas em 1928, e a escolha da sede saiu em 1929. A candidatura do Uruguai derrotou uma série de candidaturas europeias principalmente pelo fato de que os uruguaios comprometeram-se a pagar as despesas dos participantes, além de autorizar a construção de um gigantesco estádio para o evento.

O primeiro Mundial, porém, foi duramente prejudicado por causa da Crise de 1929, também conhecida como Grande Depressão. A crise econômica que se espalhou pelo mundo desmotivou várias seleções europeias a participar. Assim, a primeira Copa contou com a participação de treze seleções:

• Europa: Bélgica, Romênia, Iugoslávia e França
• América do Norte: EUA e México
• América do Sul: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Paraguai, Peru e Uruguai

Na edição de 1930, os uruguaios confirmaram seu favoritismo e venceram a competição com quatro vitórias. Os uruguaios derrotaram Peru, Romênia, Iugoslávia e, na final, enfrentaram a Argentina, saindo vencedores por 4×2.
A participação brasileira foi bastante modesta, principalmente por causa de um racha que fez com que os jogadores paulistas boicotassem a Seleção. O Brasil caiu na Primeira Fase, perdendo para os iugoslavos por 2×1 e ganhando dos bolivianos por 4×0.

História

Copa de 1934

A Copa do Mundo de 34 foi a primeira Copa que as seleções tiveram que se classificar, já que na primeira Copa do mundo em 1930, todas as equipes foram convidadas.

As vagas foram assim distribuídas.: 12 para a Europa, duas para a América do Sul, uma para a América do Norte e Caribe e uma para África e Ásia.

A Itália teve que se classificar, mesmo sendo o país-sede, foi a primeira e única vez que o país-sede não teve classificação automática.

A seleção Uruguaia (campeã da primeira copa do mundo FIFA), se recusou a participar do Campeonato, em protesto pela recusa de várias seleções europeias de irem à América do Sul para a primeira Copa do Mundo, a qual o Uruguai sediou.

Um outro fato curioso sobre a Copa de 1934, é que foi a única Copa do Mundo que o campeão mundial não participou.

Copa de 38

A França foi escolhida como país-sede da Copa do Mundo de 1938 por alguns motivos, entre eles, homenagear Jules Rimet, que ainda presidia a FIFA. A Argentina, que havia se candidatado a sediar a competição, decidiu não participar, assim como o Uruguai. Os países acreditavam que a realização das Copas deveria ser intercalada entre os continentes e brigaram com a entidade.

Brasil, Cuba e Índias Ocidentais Holandesas (Indonésia) classificaram-se sem jogar as Eliminatórias. Dessa vez, o atual campeão (Itália) e a seleção do país-sede não precisaram participar dos jogos eliminatórios para garantir suas vagas.
As regras do torneio eram as mesmas da edição passada. A Áustria seria anexada à Alemanha alguns meses antes do início do Mundial, deixando uma vaga em aberto na fase de grupos, partida que a Suécia venceria por W.O..

Nas duas copas (1934 e 1938) a Itália ficou com o título.

História

Copa 1950 – Maracanazo

Em 1950, o Brasil foi escolhido para sediar a Copa do Mundo. Os brasileiros ficaram entusiasmados e confiantes no título. Com uma ótima equipe, o Brasil chegou à final contra o Uruguai. A final, realizada no recém-construído Maracanã (Rio de Janeiro – RJ) teve a presença de aproximadamente 200 mil espectadores. Um simples empate daria o título ao Brasil, naquele ano um quadrangular decidiu o torneio, porém a celeste olímpica uruguaia conseguiu o que parecia impossível: venceu o Brasil por 2 a 1 e tornou-se campeã. O Maracanã se calou e o choro tomou conta do país do futebol. A partida registrou o maior público de todas as copas do mundo: 199.854 torcedores. Maracanaço ou Maracanazo é o termo usado em referência à partida que calou o Maracanã, deixando desolados os brasileiros.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter