Sérgio Conceição e a luta pelo rácio de vitórias no Século XXI

Francisco IsaacDezembro 13, 20186min0

Sérgio Conceição e a luta pelo rácio de vitórias no Século XXI

Francisco IsaacDezembro 13, 20186min0
Com a vitória frente ao Galatasaray, o FC Porto igual a sua melhor prestação na Liga dos Campeões. O rácio de vitórias de Conceição nos campeões nacionais merece destaque?

Sérgio Conceição está a 26 jogos de completar uma centena de encontros pelo FC Porto, algo que não conseguiu fazer enquanto jogador, num marco significativo na carreira do português. Com a vitória ante o SC Portimonense e Galatasaray, Conceição somou a 56ª vitória, subindo a sua média de sucesso como treinador dos Dragões para 75,8%, algo que só os maiores nomes o conseguiram fazer.

Apesar do sucesso como treinador do FC Porto, Sérgio Conceição não vai conseguir bater o recorde 100% vitórias na Liga NOS, algo que só Vítor Pereira ou André Villas-Boas tiveram o génio de completar. Contudo, com um plantel de qualidade inferior (em comparação com as melhores épocas dos azuis-e-brancos) o treinador actual do emblema da Invicta tem ultrapassado obstáculos minimamente complicados, entre eles a Liga dos Campeões.

Em dois anos consecutivos, os campeões nacionais ultrapassaram a fase-de-grupos com vitórias debaixo dos braços para além dos milhões de euros amealhados que têm contribuído para a reviravolta financeira do clube também nas últimas duas temporadas. Onde até Vítor Pereira falhou (na época de 2011/2012, perderam para o Apollon e Zenit de Petersburgo), Conceição não virou a cara à luta e tem apresentado números superiores a outros técnicos do século XXI do clube.

Veja-se que os 16 pontos conquistados em 18 possíveis na edição de 2018/2019 demonstram que o FC Porto de Conceição tem veia para fazer o suposto “impossível ou, pelo menos, “difícil”. O grupo dos Dragões era uma faca de dois gumes, assente num equilíbrio delicado entre Schalke 04, SK Galatasaray e Lokomitv de Moscovo… os alemães foram vice-campeões da Bundesliga e turcos e russos entraram na Liga dos Campeões como campeões das suas ligas.

Não comparando com a missão (fracassada) do SL Benfica, o FC Porto nas duas últimas épocas somou 26 pontos na maior prova de clubes europeia, com 30 golos marcados e 16 sofridos. Ou seja, Sérgio Conceição é um treinador fadado para os maiores palcos, restando saber se consegue ultrapassar a fase dos oitavos-de-final, depois na temporada passada ter sofrido um goleada em casa às mãos do FC Liverpool.

Situação crítica que pôs a descoberto alguns dos problemas dos Dragões a nível de profundidade de plantel, mas que deu lições importantes ao treinador em termos de alterações repentinas de estratégias ou de certas abordagens mais premiáveis. Apesar da inexistência de reforços e da saída de Ricardo Pereira, o FC Porto melhorou o registo europeu de uma época para a outra, assumindo-se mais letal e frio nas oportunidades disponíveis.

Em termos de “rácios”, Sérgio Conceição está em busca de ultrapassar Vítor Pereira, Jesualdo Ferreira, José Mourinho e Fernando Santos, treinador que ficaram pelo menos duas épocas à frente dos destinos do FC Porto – não contabilizámos os números de Julen Lopetegui, inferiores a qualquer um dos treinadores aqui mencionados. Vejam-se os registos:

– Fernando Santos (três épocas de 98 a 2001): 156 jogos, 98 vitórias, 31 empates e 27 derrotas | 62,82% de vitórias

– José Mourinho (duas épocas e meia de 2002 a 2004): 127 jogos, 91 vitórias, 21 empates e 15 derrotas, 214 golos marcados e 71 sofridos | 71,7% de vitórias

– Jesualdo Ferreira (quatro épocas de 2006 a 2010): 188 jogos, 126 vitórias, 30 empates e 32 derrotas com 358 golos marcados e 140 sofridos | 67% de vitórias

– Vítor Pereira (duas épocas de 2011 a 2013): 92 jogos, 64 vitórias, 16 empates e 12 derrotas, 189 golos marcados e 67 sofridos | 69,57% de vitórias

– Sérgio Conceição (uma época e meia de 2017 a 2018): 75 jogos, 57 vitórias, 10 empates e 8 derrotas, 176 golos marcados e 56 sofridos | 76% de vitórias

O registo de Conceição no FC Porto (Foto: Lusa)

Em uma época e meia, Sérgio Conceição já tem quase tantas vitórias como Vítor Pereira e não está muito longe do registo de José Mourinho, isto em menos tempo que qualquer um dos seus antecessores. A temporada ainda não chegou a meio e estão mais de duas dezenas de jogos por disputar (Liga NOS, Europa e Taças nacionais), o que permite ao actual timoneiro do FC Porto sonhar com a possibilidade de ultrapassar a média de vitórias e de golos marcados de nomes como José Mourinho, Vítor Pereira ou Jesualdo Ferreira.

Quando se fala em rácio de vitórias na Europa, Sérgio Conceição ultrapassou os seus “rivais” Jorge Jesus, Rui Vitória ou Marco Silva, treinadores que guiaram o SL Benfica e/ou Sporting CP nas últimos 5 edições da Liga dos Campeões. É um registo notável que fica ao nível dos últimos 30 anos de História dos Dragões nas competições europeias, lembrando que só Vítor Pereira falhou na passagem aos oitavos-de-final da Liga dos Campeões.

O futebol cínico, rápido e efectivo deste FC Porto tem sido uma marca reconhecida neste último ano e meio, conseguindo ultrapassar a derrota na Luz com 12 vitórias consecutivas, numa clara prova que está fadado para ultrapassar os piores momentos com categoria.

Com plantéis inferiores em comparação aos de José Mourinho (Deco, Benni McCarthy, Maniche ou Ricardo Carvalho, só para nomear alguns), Jesualdo Ferreira (Lucho Gonzalez, Lisandro Lopez, Hulk), André Villas-Boas e Vítor Pereira (Hulk, Falcao, James Rodriguez, Nicolas Otamendi, entre outros), a verdade é que algo mudou com Conceição depois de quatro anos de resultados medíocres sob o comando de Paulo Fonseca, José Peseiro, Julen Lopetegui e Nuno Espírito Santo.

A segunda parte da época está ao virar da esquina e Conceição terá a difícil missão de conseguir somar um bicampeonato, de fazer a dobradinha e de levar o FC Porto para lá dos oitavos-de-final, algo que não acontece desde 2014/2015 (Julen Lopetegui). Será que o antigo internacional português vai terminar com uma percentagem de vitórias acima dos 80%, algo que nunca aconteceu no Dragão?

Mesmo que não atinja esses números redondos, Sérgio Conceição tem de ser considerado como um dos maiores técnicos do FC Porto dos últimos 30 anos, pela forma como recuperou vários activos dispensados (Moussa Marega, Vincent Aboubakar, Fabiano, Adrian Lopez, Hêrnani, Ricardo Pereira, entre outros), por ter conseguido montar um plantel competitivo apesar de nunca ter recebido reforços (Éder Militão é o único que merece tal consideração em duas épocas de ida ao mercado) e no devolver da capacidade de luta, raça e mística ao emblema da Invicta.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter