As Modalidades no Reino do Dragão em 2019/2020

Francisco da SilvaFevereiro 2, 20206min0

As Modalidades no Reino do Dragão em 2019/2020

Francisco da SilvaFevereiro 2, 20206min0
A fase decisiva da temporada está prestes a chegar em inúmeras modalidades, assim sendo, o Fair Play recorda a atual performance do FC Porto no Andebol, Basquetebol e Hóquei em Patins.

Andebol

Numa altura de menor fulgor competitivo do clube azul e branco, a secção de andebol do FC Porto tem sido o principal motivo de orgulho dos adeptos portistas. Após uma temporada 2018/2019 extremamente positiva e emocionante com vitórias no Campeonato Andebol 1 e na Taça de Portugal, bem como, um honroso 3º lugar na Taça EHF, a formação de Magnus Andersson começou a época 2019/2020 a todo o gás. Depois de vencer o Águas Santas na Supertaça, o FC Porto leva já 20 vitórias em 21 encontros no Campeonato Andebol 1, somando somente um empate em casa frente ao Sporting CP. Internamente, registo também para a presença nos oitavos-de-final da Taça de Portugal onde irá medir forças com o Juve Lis, contudo, o que tem verdadeiramente impressionado nesta temporada é o nível competitivo do conjunto azul e branco na Liga dos Campeões. O FC Porto faz parte do grupo B que integra colossos como o THW Kiel, o RK Vardar e o Montpellier HB, mas nem isso tem impedido uma caminhada bastante positiva ao nível de resultados e exibições. Para além da estrondosa vitória em Kiel, os homens de Magnus Andersson somam ainda mais 3 vitórias e 2 empates, ocupando atualmente o 5º lugar, que dá acesso aos oitavos-de-final da Liga dos Campeões.

Principal destaque individual: Diogo Branquinho. O ponta-esquerda portista está a realizar a sua melhor época da carreira (127 golos em 32 jogos) ao ponto de se ter assumido definitivamente como uma das unidades mais importantes do FC Porto, a par de Alfredo Quintana. Velocidade, técnica, voluntarismo e eficácia são virtudes constantemente observadas nas performances de Diogo Branquinho.

Campeonato: 1º lugar
Taça de Portugal: Oitavos-de-final
Supertaça: Vencedor
Liga dos Campeões: 5º lugar no Grupo B

Diogo Branquinho | Fonte: TVI24/MaisFutebol

Basquetebol

A travessia no deserto dos comandados de Moncho López prolonga-se há 3 anos, sendo que desde então o FC Porto apenas venceu uma Taça de Portugal (2018/2019) e a respetiva Supertaça de 2019. O técnico espanhol não tem sido suficientemente competente na forma como constrói e trabalha o plantel, prova disso são as inúmeras apostas falhadas ao longo de várias temporadas e as exibições cada vez menos conseguidas. A época 2019/2020 começou bem para o emblema azul e branco fruto de uma vitória contundente na Supertaça frente à UD Oliveirense, posteriormente, o FC Porto deu continuidade à boa estreia com uma série consecutiva de vitórias que pontificou dois norte-americanos, Tanner McGrew e Max Landis. O primeiro é um poste temível quer pela sua explosão dentro do “garrafão” quer pelo seu eficaz jogo exterior, já o segundo é um atirador de excelência que nos momentos decisivos aparece. Após as lesões graves de McGrew e, sobretudo, de Landis, o rendimento do FC Porto caiu a pique e nem as contratações de Kayel Locke e Will Sheehey revitalizaram os comandados de Moncho López. Até ao momento, a formação portista encontra-se em 3º lugar no campeonato com 3 derrotas, mais duas do que o líder Sporting CP e mais uma do que o perseguidor SL Benfica, no entanto, as exibições têm sido pouco convincentes especialmente frente aos rivais de Lisboa. Prova disso são as derrotas dolorosas frente à frágil Ovarense para o campeonato e frente ao eterno rival SL Benfica nas meias-finais da Taça Hugo dos Santos. Por último, mencionar ainda que o FC Porto está qualificado para os oitavos-de-finais da Taça de Portugal onde irá defrontar o Illiabum.

Principal destaque individual: Max Landis. A lesão de Tanner McGrew foi um rude golpe nas aspirações portistas, contudo, enquanto Max Landis esteve disponível o FC Porto venceu todas as partidas que disputou. Coincidência ou não, no primeiro jogo após a lesão grave do norte-americano o FC Porto perdeu em casa frente ao Sporting CP.

Campeonato: 3º lugar
Taça de Portugal: Oitavos-de-final
Taça Hugo dos Santos: semifinalista vencido
Supertaça: Vencedor

Max Landis | Fonte: Peter Spark/Movephoto

Hóquei em Patins

O plantel azul e branco sofreu no início da temporada uma importante renovação que conduziu à saída de Hélder Nunes, Nélson Filipe, Carles Grau e Telmo Pinto. Em sentido inverso, chegaram ao Dragão os experientes Xavi Malián e Sergi Miras e os promissores Tiago Rodrigues e Carlo Di Benedetto. A vitória personalizada na Supertaça António Livramento frente à UD Oliveirense aumentou a confiança no Reino do Dragão, porém, a derrota sofrida frente ao Sporting CP na final da Taça Continental e o empate constrangedor na jornada inaugural do campeonato frente à Juventude de Viana alarmou prontamente os responsáveis azuis e brancos. Volvidas 15 jornadas, o FC Porto encontra-se no 4º lugar do campeonato a 4 pontos dos líderes SL Benfica e Sporting CP e apresenta índices competitivos bastante aquém do que seria desejado. Sergi Miras e Carlo Di Benedetto têm defraudado as expectativas, enquanto que Poka continua a demonstrar que não tem qualidade para fazer parte do plantel portista. Nas competições nacionais o FC Porto mantém-se ainda na luta pela conquista da Taça de Portugal, enquanto que na Liga Europeia lidera o Grupo B que integra os espanhóis do Noia, os italianos do HRC Monza e os suíços do Biasca.

Principal destaque individual: Gonçalo Alves. O avançado português é atualmente o melhor marcador do campeonato com 37 golos e o 2º melhor marcador da Liga Europeia com 8 tentos, afirmando-se indubitavelmente como o “abono de família” portista. A conquista ou não de títulos por parte da equipa liderada por Guillem Cabestany será fundamentalmente determinada pelo desempenho do craque Gonçalo Alves.

Campeonato: 4º lugar
Taça de Portugal: Dezasseis-avos-de-final
Supertaça António Livramento: Vencedor
Liga Europeia: 1º lugar no Grupo B
Taça Continental: Finalista vencido

Gonçalo Alves | Fonte: Twitter FC Porto

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter