5 (improváveis) “mágicos” da Liga NOS 18/19: de Chiquinho a Otávio

Francisco IsaacNovembro 13, 20188min0

5 (improváveis) “mágicos” da Liga NOS 18/19: de Chiquinho a Otávio

Francisco IsaacNovembro 13, 20188min0
Escolhemos 5 "mágicos" ou jogadores que a partir do meio-campo desequilibram o jogo. Do suplente de luxo Otávio até ao estreante Chiquinho do Moreirense. Qual é o teu favorito?

Considerámos só os jogadores que jogam pelo meio do terreno, deixando de fora alguns avançados fantasistas (Jonas regressou em boa forma, mas é Carlos Vinicius o grande feiticeiro dos goleadores) ou extremos (Shoya “Tsubasa” Nakajima merecia estar nesta lista, mas a sua genialidade ainda só está à reservado à ala direita ou esquerda do ataque do Portimonense). 

5 médios que têm estado em forma e em voga neste arranque da Liga NOS 2018/2019. Qual destes é o teu favorito?

FRANCISCO “CHIQUINHO” MACHADO (MOREIRENSE)

Golos: 1
Assistências: 1
MinutosdeJogo: 718
Outrosdados: Melhor em Campo para a Liga NOS por duas ocasiões; 75% de passes completos

Foi “rei” na Ledman LigaPro 2017/2018 e embarcou numa viagem interessante na Liga NOS que começou com uma transferência para o SL Benfica. O médio-ofensiva não conquistou o interesse de Rui Vitória e serviu de moeda-de-troca no negócio Alfa Semedo, com o Moreirense FC a sair claramente por cima da “jogada”. Chiquinho não tem números expressivos em termos de golos e assistências, mas isso não invalida que é um dos principais (senão o principal) orquestradores de jogo dos cónegos.

Chiquinho é um fantasista, puro e duro, mundo de uma capacidade genial para ganhar duelos e de sair a jogar com uma beleza total a nível de passe, abrindo uma linha de jogo importante para a formação treinada por Ivo Vieira. De uma inteligência lata, o médio-ofensivo consegue também fazer o papel de recuperador de jogo, não se coibindo de participar nas movimentações defensivas e de contra-reacção aos afazeres atacantes dos seus adversários.

Apesar da sua média de acerto do passe estar nos 75%, lembrar que Chiquinho joga numa equipa que tem problemas em garantir as melhores combinações possíveis, mas que por outro lado não desiste de recuperar o esférico e de rapidamente dar uso ao mesmo. Dribles, toques magistrais e tudo para chegar bem longe já nesta temporada.

OSAMA RASHID (CD SANTA CLARA)

Golos: 3
Assistências: 5
Minutos de Jogo: 889 minutos
Outros dados: MVP por três ocasiões;

O dínamo iraquiano dos açorianos do Santa Clara tem sido um quebra-cabeças para os adversários que tentam suprir a sua qualidade técnica com uma pressão alta, aproveitando essa situação para criar algo do nada e dar outra linha de passe à sua equipa. É a par do seu colega de equipa Bruno Lamas, o fantasista a tempo inteiro da equipa com um drible bem apetrachado e um sentido de baliza que poucos têm.

Em 9 jornadas da Liga NOS, Osama Rashid teve influência directa em vários dos encontros, com quase uma mão cheia de golos e cinco assistências. Ou seja, em média teve impacto directo no resultado em 8 dos 9 jogos do clube promovido esta época à Primeira Liga, um claro sinal que Osama Rashid é um dos decisores a ter em atenção na Liga NOS.

Mas realmente o iraquiano tem algo de especial ou é simplesmente um momento de pico de forma? Rashid tem queimado etapas nos últimos anos, assumindo-se nos Açores como o grande dinamizador das acções do meio-campo. Rashid é um “mágico” diferente, pois não assume para si o papel de um camisola 10, mas sim de um nº8 que gosta de ter a bola no pé, equilibrando entre um jogo seguro de passe e uma vontade de risco bem organizado.

Pontapé bem trabalhado e sempre afinado para os livres (uma marca de qualquer bom fantasista) e cantos, Rashid está a ser uma surpresa na Liga NOS 2018/2019 e merece toda a atenção disponível.

OTÁVIO MONTEIRO  (FC PORTO)

Golos: 4
Assistências: 4
Minutos de Jogo: 771 minutos (divido por Liga NOS e Liga dos Campeões)

É o grande debate do momento: quem é o “mágico” do FC Porto? Óliver Torres, que se reinventou e finalmente ganhou o lugar no esquema táctico de Sérgio Conceição? Ou Otávio que tem sido o desbloqueador do FC Porto em diversos jogos?

O brasileiro é para nós o “fantasistas” dos azuis-e-brancos de momento com não só golos, assistências, remates surpreendentes ou passes espectaculares, mas com uma capacidade para mudar por completo o jogo de um momento para o outro. Está a viver numa das melhores fases ao serviço do FC Porto, revelando-se como um desequilibrador nato que puxa bem os seus marcadores para depois trocar as voltas e partir para a área.

Tanto nos Barreiros, como em Gelsenkirchen, Jamor ou em Setúbal, Otávio conseguiu ser um pólo de criatividade e de boa execução, aparecendo bem nos espaços e operando bem nos contra-ataques, muito ao jeito do que fez na sua melhor época em Portugal ao serviço do Vitória SC.

Contra o SC Braga, foi de um detalhe genial que Otávio deu a vitória ao FC Porto… recuperação de bola, drible simples e eficaz, assistência em arco-telecomandado para a cabeça de Soares e golo. Conceição tem tirado “coelhos da cartola” do banco de suplentes (só na Luz é que nenhum dos três suplentes proporcionou algo à equipa) e Otávio é o melhor representante desse facto, com três boas entradas em três jogos.

Merece ser titular no FC Porto?

BRUNO FERNANDES (SPORTING CP)

Golos: 3
Assistências: 1
Minutos de Jogo: 1338 minutos

É, talvez, a entrada mais polémica nesta lista até porque Bruno Fernandes não parece estar ao mesmo nível da época anterior, onde foi sem dúvida o melhor jogador do Sporting Clube de Portugal a par de Bas Dost por exemplo.

Contudo, continua a ser dos médios com melhor percentagem em passes decisivos por jogo (de acordo com os dados da WhoScored, 3,2 por jogo, sendo que os “leões” são das que tem pior aproveitamento delas), dribles por jogo, remates enquadrados com a baliza, menos tempo com bola no pé mas com mais impacto, entre outros dados importantes para perceber a acção do médio-ofensivo.

Com José Peseiro, o médio internacional português viu-se algo “impedido” de assumir o ataque com tanta preponderância como na época transacta e a isso se devia o futebol mais de passe e entrega rápida e de lógica de contra-ataque, forçando que Bruno Fernandes se assumisse como um jogador de rápida reacção e tabelamento e não de criação sustentada e de avanço sistemático no campo com a bola no pé.

Todavia, não deixa de ser fundamental a intervenção de Bruno Fernandes nas “maquinações” do meio-campo dos “leões” que sem ele estagnariam com toda a certeza. Não há muitos jogadores com o perfume técnico, a visão de jogo e a guelra para o remate que Bruno Fernandes tem e em 2018/2019 mantém todos esses traços. Com Tiago Fernandes já foi possível ver um Bruno Fernandes completamente diferente, mais presente junto à área, com capacidade de fazer circular a bola de uma forma mais objectiva e intensa.

LUÍS “PIZZI” FERNANDES (SL BENFICA)

Golos: 4
Assistências:7
Minutos de Jogo: 1151 minutos de jogo

É a última entrada e, aos olhos de vários adeptos, a mais polémica pois Pizzi não tem sido o jogador mais genial do SL Benfica nas últimas semanas. Porém, é inegável dizer que não o foi no início da temporada, altura em que foi um dos responsáveis por colocar as “águias” na Liga dos Campeões e também salvou a formação treinada por Rui Vitória em certos momentos.

Em 10 jogos para a Liga NOS, já fez o gosto ao pé por quatro ocasiões e assistiu por cinco vezes os seus companheiros com um toque de bola bem apetrechado e, no mínimo eficiente. No entanto, Pizzi não é um mágico na verdadeira acepção da palavra, não procura tanto o detalhe fantástico que levanta o público, mas é um médio extremamente eficaz, intenso e que consegue criar alguns jogadas geniais de golo iminente para os vice-campeões nacionais.

Também é verdade que o internacional português nos últimos jogos tem caído abruptamente de forma, muito semelhante ao que se passou na temporada passada. despocicionamento táctico, falta de vontade em mudar o cenário actual do plantel de Rui Vitória ou excessiva “arrogância” em termos de liderança?

Os números são bons, o futebol também já foi bastante agradável (ao ponto que Fernando Santos convocou-o para a Selecção) e agora depende do que o médio-centro “encarnado” quer fazer? Um verdadeiro box-to-box que pode estar no último ano de serviço ao SL Benfica.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter