Onde é que anda o flop: Bruno Cortez, o 14º lateral esquerdo da Era Jesus

João NegreiraMarço 24, 20193min0

Onde é que anda o flop: Bruno Cortez, o 14º lateral esquerdo da Era Jesus

João NegreiraMarço 24, 20193min0
Bruno Cortez é o próximo flop, que passou pelo SL Benfica, a analisar. Foi mais um lateral esquerdo que falhou na sucessão a Coentrão. Mas o que é feito do 14º lateral esquerdo da Era Jorge Jesus?

Quem é e quem foi no Benfica?

Bruno Cortez chegou ao Benfica proveniente do São Paulo, por empréstimo, no verão de 2013. Depois de ter vindo a ascender na carreira – chegou ao São Paulo, vindo do Botafogo e antes do Nova Iguaçu – ficou sem espaço no plantel paulista e chegou à Europa pela mão dos encarnados, com 27 anos.

Depois da saída de Fábio Coentrão, muitos nomes passaram pela asa esquerda das águias, mas nenhum convenceu. Cortez era mais um nome para acabar com a praga de “maus” laterais esquerdos na Luz.

De referir ainda, que Bruno Cortez já tinha chegado à seleção brasileira, tendo participado em 85 minutos no amigável contra a Argentina. Nesse ano foi considerado o melhor lateral esquerdo do Brasileirão, com a camisola do Botafogo.

Chegado ao São Paulo, o jogador de, agora, 32 anos, foi peça importante na conquista da Copa Sul-Americana, ao fazer 74 jogos em 78 possíveis.

Tudo isto, fazia convencer os responsáveis benfiquistas para trazê-lo por empréstimo para a Luz. E assim foi, chega e até começa logo a titular nos primeiros jogos.

Não obstante, não conseguiu encantar os adeptos nem o treinador e desde logo foi posto de lado, sendo relegado desde a chegada de Siqueira, no último dia de mercado. Para a memória fica a terrível exibição em Alvalade que pareceu ser mesmo o fim do Cortez, totalizando apenas 6 jogos com o manto sagrado

Para além disso, a pressão da comunicação social também era grande, colocando-lhe logo o rótulo de “flop”. Algo que veio a confirmar-se meses depois, dado que em dezembro voltou para o São Paulo, sendo posteriormente, novamente emprestado ao Criciúma.

Cortez fica marcado pela terrível exibição em Alvalade. (Foto: Mais Futebol)

O Renascimento no Brasil

Depois desta má passagem por Portugal, Bruno Cortez afirmou que a maneira de jogar do Benfica não se encaixava nele, mas que ficava grato ao clube a ao treinador e que as portas ficaram abertas. Na verdade, ninguém ficou com saudades do lateral brasileiro.

Mas a vida continua e mesmo podendo ser considerado um flop em Portugal, poderia voltar ao seu país natal e conseguir relançar a carreira, mais uma vez.

Porém, Bruno Cortez, depois de estar mais 6 meses no Brasil, é emprestado ao Albirex Niigata, clube que milita na 2ª divisão japonesa (na altura, estava na 1ª). Fica no Japão por 2 anos, mas é no Grémio onde realmente voltamos a ver o melhor de Bruno Cortez.

Estando a começar o seu 3º ano no Imortal Tricolor, o lateral esquerdo mostra-se feliz, sendo o titular da equipa de Renato Portaluppi, totalizando 103 jogos.

Bruno Cortez voltou aos tempos felizes, no Grémio. (Foto: Torcedores.com)

Fica mais uma história de um flop que passou pelo SL Benfica. Foi desde muito cedo criticado e mais um erro para a lateral esquerda encarnada. Com muitas críticas dos adeptos e da comunicação social, Cortez acabou por não conseguir impôr-se e mostrar o seu verdadeiro valor.

Contudo, conseguiu relançar a carreira estando no Brasil, mais perto da família e num contexto que conhece melhor. Um flop em Portugal que renasceu no Brasil.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter