Fim da linha para Miguel Leal

Daniel CarvalhoSetembro 29, 20184min0

Fim da linha para Miguel Leal

Daniel CarvalhoSetembro 29, 20184min0
Natural de Marco de Canaveses, com 53 anos, Miguel Leal é uma cara bem conhecida dos amantes do futebol português. Apesar da sua qualidade como treinador ser inquestionável, não atravessa o melhor período da sua carreira. Isto porque, esta semana o Arouca comunica a rescisão amigável entre as duas partes, sendo Quim Machado o seu substituto. Será Miguel Leal o grande culpado pelos maus resultados desportivos da formação de Aveiro?

Há pouco menos de um ano atrás escrevíamos que: (…) podemos destacar Miguel Leal como um dos técnicos da Ledman apenas através dos números. Em setembro de 2017, substituiu Jorge Costa no comando técnico dos Arouquenses, deixando o desafio de primeira liga ao serviço do Boavista para trás. Abraça o desafio da Ledman com ambição de trazer o clube de Aveiro de volta aos grandes palcos do futebol português, ainda que os resultados estivessem longe de refletir essa possibilidade. À 7ª jornada encontra o Arouca um lugar acima da despromoção a 11 pontos do primeiro classificado Santa Clara. Após um período de revolução no sistema tático e do tempo necessário para os jogadores assimilarem as suas ideias, começou a escalar pouco a pouco a tabela classificativa até chegar aos lugares naturalmente exigidos pelos responsáveis do clube”. (Artigo na íntegra: https://fairplay.pt/futebol/futebolnacional/os-mestres-da-tatica-carlos-pinto-vs-miguel-leal/)

O que mudou desde essa altura? Bom… nesta fase será difícil apontar o dedo a um culpado e mais difícil ainda encontrar uma solução imediata, a verdade é que a velocidade de mudança de treinadores na Ledman Liga Pro tem um rácio bastante elevado, tendo em conta que nesta época esta é já a segunda alteração num comando técnico, após a saída de Eurico Gomes no CD Cova da Piedade. Os orçamentos reduzidos, e a ‘fome’ de primeira liga por parte dos jogadores dos clubes poderão ser algumas das caraterísticas que explicam as constantes rescisões entre técnicos e clubes. Por outro lado, e futebolisticamente falando, sempre se afirmou ser mais fácil despedir o treinador invés de um plantel inteiro e essa poderá ser a premissa máxima.

Neste caso, Miguel Leal chega ao Arouca em setembro de 2017 com a equipa na 15ª posição com 5 pontos em 5 jogos realizados. De uma equipa sem crença e sem ritmo de jogo, surgiu uma equipa matreira e com fome de vitória. Em poucas jornadas, o Arouca foi escalando na tabela classificativa e o seu futebol eficaz, tendo na defesa os seus maiores trunfos, levou-os até à 6ª posição no final da temporada.

A época acabou sem grandes brilhantismos, mas a posição de Miguel Leal no comando técnico dos Arouquenses estava completamente assegurada.

No início desta temporada, o plantel sofre uma revolução e o cenário muda. A experiência e qualidade de jogadores como Cícero ou Roberto deram lugar à juventude de André Bukia e Toni Gomes. A equipa sofre igualmente uma renovação no eixo da defesa, aquele que era o grande trunfo da equipa Aveirense.

Atualmente, à 5ª jornada, o Arouca é o último classificado tendo apenas feito 3 pontos em 5 jogos. Entre 10 golos sofridos e 5 marcados, Miguel Leal deixa uma equipa muito diferente daquela que treinava há uns meses atrás. O relógio tático, o muro defensivo e a eficácia ofensiva muito competente deram lugar à irreverência de jogadores que estão a disputar a competição pela primeira vez e que ainda não se conseguiram encontrar taticamente. Miguel Leal não conseguiu adaptar as suas ideias às novas caraterísticas dos seus jogadores e a saída foi a solução encontrada pelo clube de Aveiro.

Em 2013/2014, depois de ter conseguido o terceiro lugar da tabela classificativa ao serviço do Penafiel, concedendo ao clube a promoção para a Primeira Liga, Miguel Leal ganha o prémio de melhor treinador da Ledman. Agora, 4 anos mais tarde, a situação é inversa. Na altura, abandona a Ledman pelos melhores motivos assumindo o comando técnico do Moreirense na Liga NOS. Desta vez, abandona a competição após uma sequência de maus resultados a qual resultou numa rescisão amigável entre técnico e clube.

Fim da linha para Miguel Leal no Arouca, restar saber se será também o fim de Miguel Leal para os palcos da Ledman.

Miguel Leal, na última ‘polémica’ ao serviço do Arouca.

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter