Um projecto megalómano: Griezmann em Barcelona

Bruno DiasJulho 16, 20196min0

Um projecto megalómano: Griezmann em Barcelona

Bruno DiasJulho 16, 20196min0
Antoine Griezmann chegou finalmente ao FC Barcelona, mas as novidades do conjunto "blaugrana" prometem não ficar por aqui.

Chegou ao fim uma das “novelas” deste Verão no mercado futebolístico. Depois de meses de “namoro”, Antoine Griezmann chega a Barcelona proveniente do Atlético de Madrid, por uma (cada vez menos…) quantia astronómica de 120M€. O francês já tinha estado muito próximo de rumar a Camp Nou no Verão passado, num processo que envolveu igualmente semanas de espera e expectativa e que culminou, na altura, com Griezmann a anunciar a sua permanência no Atlético de uma forma “hollywoodesca”, através de um documentário.

É a segunda grande contratação do FC Barcelona neste mercado, depois de Frenkie de Jong, jovem médio de enorme talento que chegou do Ajax por cerca de 75M€, após uma temporada de sonho no clube de Amesterdão, que esteve a breves segundos de atingir a final da UEFA Champions League. É também uma resposta clara do clube à desilusão sofrida na temporada passada, já que, apesar da conquista da La Liga, Lionel Messi e companhia estiveram no pior lado de uma reviravolta histórica, nas meias-finais da Champions. O Barcelona até venceu a primeira mão de forma clara e convincente por 3-0 (com uma grande exibição da estrela argentina), mas em Anfield o Liverpool deu a volta ao resultado, vencendo por 4-0 e levantando ondas de choque um pouco por todo o clube catalão.

Havia, portanto, que abanar com a estrutura da equipa e garantir “sangue novo”. E isso parece estar garantido.

 

Um namoro antigo

Griezmann era há muito desejado pelo Barcelona. No actual conjunto treinado por Ernesto Valverde, há várias possibilidades para o avançado francês. Desde logo, a possibilidade de assumir naturalmente o lugar no flanco esquerdo do ataque, ocupado actualmente por Philippe Coutinho, jogador cujo rendimento se tem revelado uma tremenda desilusão, tendo em conta todo o investimento realizado pelo clube, que o resgatou ao Liverpool em Janeiro de 2018 por 120M€, aos quais ainda acresceriam mais 40M€ em objectivos desportivos. De resto, o lado esquerdo dos “culés” mantém-se órfão de uma grande estrela desde a saída de Neymar para o PSG.

Partindo da esquerda, Griezmann poderá ter maior liberdade de movimentos e aproximar a posição das dinâmicas que apresentou durante vários anos e a que os adeptos estão habituados. Um avançado solto, constantemente em terrenos interiores (de forma a libertar o corredor esquerdo para as subidas de Jordi Alba) e que pisa com regularidade as zonas de finalização, à semelhança do que fazia Neymar e do que fizeram jogadores como Thierry Henry, David Villa ou até, ocasionalmente, Pedro Rodríguez ou Alexis Sánchez no passado.

Outra hipótese é a utilização de Griezmann na frente de ataque. É verdade que praticamente nunca actuou nessa posição, como “9”. Tanto no Atlético de Madrid (Diego Costa, por exemplo) como na selecção francesa (Olivier Giroud), o francês beneficiou sempre de uma referência mais fixa entre os centrais, permitindo-lhe maior mobilidade e soltando-o de marcações mais físicas e individuais.

No entanto, não seria a primeira vez que o Barcelona jogaria com três avançados móveis e pouco dados a duelos físicos. Para além disso, a idade (32 anos) começa a fazer-se sentir em Luis Suárez, e o rendimento do uruguaio tem descido progressivamente. Apesar da excelente relação que mantém com Messi, este poderá ser o timing certo para assegurar a sucessão de um avançado com uma longa história de sucesso no clube (177 golos e 96 assistências em 247 jogos, com 15 troféus conquistados ao longo de 5 temporadas), substituindo-o por um outro jogador de classe mundial.

A utilização de Griezmann como “9” abriria, novamente, um provável “buraco” na esquerda do ataque “blaugrana“. No entanto, esta ideia pode não ser assim tão descabida. Isto porque…

Griezmann foi peça fulcral nas últimas temporadas do Atlético de Madrid (Foto: desporto.sapo.pt)

 

O regresso de um velho conhecido

… Antoine Griezmann pode não ser a única estrela mundial a chegar a Barcelona neste Verão. Após uma saída chocante e com alguma polémica à mistura, há duas épocas atrás, Neymar está interessado em regressar a Camp Nou. O craque brasileiro, de 27 anos, dominou com relativa facilidade a competição na Ligue 1 em termos individuais, mas é complicado afirmar que o seu principal objectivo com a mudança para Paris – a conquista da Bola de Ouro – está até mais próximo agora do que estava quando Neymar jogava em Barcelona. Fustigado por diversas lesões (a última retirou-lhe a possibilidade de conquistar a Copa América pelo Brasil, a actuar em casa, situação semelhante à que ocorreu no Mundial de 2014) e visivelmente abalado pelos escândalos extra-futebol, o brasileiro já praticamente assumiu em público a intenção de sair do PSG e de regressar ao clube que o acolheu na sua primeira aventura europeia, aos 21 anos.

Sendo certo que um eventual retorno do brasileiro terá sempre contornos complexos (como o envolvimento de outros jogadores do Barcelona, seguindo o caminho inverso até Paris), a intenção assumida do jogador pode representar um factor decisivo para a concretização do negócio. No entanto, tendo o PSG pago 222M€ por Neymar em 2017 – valor que ainda hoje é indiscutivelmente um recorde mundial no desporto -, certamente que os parisienses quererão reaver pelo menos parte do seu investimento em termos financeiros.

Relativamente à sua qualidade, poucas dúvidas subsistirão. Neymar seria a contratação ideal para o ataque do Barcelona, a peça final num projecto com traços megalómanos, de ataque massivo à conquista de todas as competições. O brasileiro personifica uma combinação de criatividade, visão de jogo, qualidade técnica, desequilíbrio individual, capacidade atlética e capacidade finalizadora que, nos seus melhores dias, é apenas suplantada pela qualidade do seu ex-colega em Barcelona, Lionel Messi.

Regressaria para assumir o “seu” lugar sobre o lado esquerdo do ataque, o que permitiria também o reencontro do mais letal trio que Camp Nou viu em décadas – a sociedade “MSN” – ou até mesmo a formação de um quarteto histórico, com a recente chegada de Griezmann.

Contratações de peso, num projecto megalómano que parece ser a aposta da direcção “blaugrana” para manter o clube no topo do futebol mundial.

Neymar está assumidamente interessado em voltar a vestir esta camisola (Foto: uol.com.br)

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter