La Liga Scouting #20 – Roberto López (Real Sociedad)

Bruno DiasOutubro 16, 20205min0

La Liga Scouting #20 – Roberto López (Real Sociedad)

Bruno DiasOutubro 16, 20205min0
20ª edição do "La Liga Scouting", que começa a criar um "plantel" de respeito no seu histórico. Desta vez, regressamos a San Sebastián, para conhecermos mais um talento da cantera "txuri-urdin".

O jovem promissor desta semana chega-nos, novamente, do País Basco. Roberto López é mais um dos jovens talentos lançados pela Real Sociedad, formação que já habituou o futebol espanhol a belíssimos talentos ao longo dos anos.

Originário de Saragoça, começou o seu percurso no futsal, no bairro onde cresceu. O seu talento foi desde cedo evidente e Roberto chegou até a prestar provas no Liverpool em tenra idade, mas foi o clube basco que convenceu o jovem a uma mudança de realidade, tendo em vista o seu futuro desportivo. Com 15 anos chega à formação da Real, e aí traça um percurso condizente com a dimensão do seu talento, assumindo-se como peça fundamental nas equipas jovens e chegando à equipa B com apenas 18 anos.

O seu treinador, nesta fase, é Imanol Alguacil. Com ele, o jogador vai subindo progressivamente de importância na formação secundária da Real, apontando 7 golos e 4 assistências em 2018/19 e repetindo a façanha em 2019/20, mas desta vez com 11 assistências para golo. Estreia-se pela equipa principal em Janeiro de 2019 e já esta temporada é definitivamente promovido ao plantel principal, igualmente pela mão de Imanol. É caso para dizer que esta é uma relação de sucesso para o jovem médio.

Já pelas selecções espanholas, possui apenas experiência ao nível sub-19. No entanto, à medida que for conquistando o seu espaço no plantel basco, é natural que seja também introduzido nos sub-21, e que o seu estatuto e imagem no seio do futebol espanhol aumentem exponencialmente.

(Foto: mundodeportivo.com)

Roberto… dentro das quatro linhas

Roberto é um médio-ofensivo moderno. Um “10” que também veste facilmente a pele de um “8“, e que tem uma contribuição relevante tanto no aspecto ofensivo como no aspecto defensivo do jogo.

O seu leque de qualidades é variado, mas o factor diferencial de Roberto é a forma como chega à área adversária para finalizar. O seu timing é impecável, tendo apontado vários golos na formação resultantes de cruzamentos atrasados para a entrada da área, ou de segundas bolas a que o médio chega primeiro que o adversário. Sagaz na área, possui uma capacidade de receber de forma orientada bem acima de média, é também dono de uma poderosa meia-distância e demonstra uma objectividade natural muito importante para o futebol de alto nível. Exemplo disso mesmo é a sua performance nas primeiras jornadas da “La Liga” 2020/21: nos seus dois primeiros jogos na competição, Roberto só precisou de 90 minutos no total para apontar dois golos (frente a Valladolid e Elche). Uma característica que acrescenta grande valor e que tem um peso significativo na altura de justificar uma aposta por parte do seu treinador.

Mas nem só de golos se faz o futebol deste canhoto. Roberto possui um pé esquerdo de grande amplitude, capaz de lançar com facilidade os seus colegas mais adiantados na profundidade ou de descobrir soluções no último passe mesmo em situações desfavoráveis e/ou que ocorrem em espaços curtos. Esse é outro dos argumentos que sustentam a sua versatilidade dentro do 4x2x3x1/4x3x3 que vem sendo utilizado pela Real há várias épocas e que tem sido transversal a vários treinadores. Pode ser utilizado como “10” no primeiro sistema pela capacidade finalizadora e de último passe já referidas, e pode também ser utilizado como um dos interiores no segundo sistema, lançando o ataque a partir de posições mais recuadas e sendo também capaz de trabalhar de forma abnegada para o colectivo mesmo quando a bola não está nos seus pés.

Não sendo o seu natural ponto de destaque, Roberto não representa um ponto fraco no capítulo defensivo, sendo capaz de ganhar bastantes duelos individuais pela forma como utiliza o corpo para ganhar e proteger a bola. Não sendo um portento físico, é sobretudo um jogador consistente e equilibrado, não apresentando grandes fragilidades ao nível da força, da velocidade ou da agilidade. Há ainda o capítulo das bolas paradas, em que a precisão do seu pé esquerdo é uma arma que pode ser sobejamente aproveitada para garantir vários lances potencialmente decisivos ao longo da temporada.

A sua margem de progressão é elevada, e pode passar essencialmente pela sua capacidade de drible (a que nem sempre recorre no momento e com a frequência certas), que por sua vez poderá levar a uma outra capacidade de desequilíbrio individual que, neste momento, apenas surge quando o jovem espanhol tem condições para se associar com os colegas, atraindo e fixando adversários de forma sucessiva. A capacidade de mudar de velocidade e bater o adversário directo, quebrando linhas também através do drible, parece estar lá, sendo apenas uma questão de hábito e confiança até que Roberto comece a fazer a diferença nesse capítulo.

Aos 20 anos, Roberto tem ainda uma margem de progressão assinalável. Não sendo um “prodígio” no natural uso da palavra (termo normalmente reservado para os talentos geracionais), é um jovem de qualidade, com grande potencial e com um perfil que acrescenta valor já no presente ao seu clube. Tendo em conta a sua natural evolução, é de esperar que venhamos a ouvir este nome com maior frequência ao longo dos próximos anos.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter