Candidatos Euro 2020: França e Alemanha

Gonçalo MeloMaio 26, 20218min0

Candidatos Euro 2020: França e Alemanha

Gonçalo MeloMaio 26, 20218min0
Uma análise a dois dos potenciais candidatos ao Euro 2020, com a França e Alemanha a serem os primeiros "convidados". Qual destes vai chegar mais longe?

Está aí à porta o tão aguardado Euro 2020, disputado em 2021, graças ao adiamento provocado pela Covid-19. Uma edição especial, que comemora os 60 (agora 61) anos da primeira edição do Europeu, na altura Taça das Nações Europeias, disputado em 1960 em França.

Nesta rúbrica, expomos aqueles que serão para nós os principais candidatos a levantar o troféu no dia 11 de Julho em Wembley e começamos com os campeões mundiais em título, a França, e os sempre candidatos, a Alemanha.

França

Convocatória:

A França é a grande candidata a vencer o Euro 2020, não há dúvidas disso. Não só pelo facto de ser a atual campeã mundial em titulo, a seleção francesa apresenta um grupo de jogadores de altíssimo nível, dando-se ao luxo de deixar de fora nomes de classe mundial em todas as posições como Upamecano, Umtiti, Mendy, Ndombelé, Fekir, Ikoné, Aouar, Lacazette ou Martial, entre outros.

O grande destaque vai par o regresso de Karim Benzema. Afastado dos Les Bleus desde 2015, o avançado do Real Madrid está de volta aos eleitos, e muito dificilmente não será titular na frente de ataque, alimentado pelo super craque Kylian Mbappé e pelo eficaz Antoine Griezmann.

Juntos formarão provavelmente o melhor trio ofensivo deste Euro, com Olivier Giroud na sombra, abrindo assim vários problemas para os blocos defensivos contrários, principalmente aqueles que não possuírem uma harmonia quase perfeita no seu quarteto ou quinteto de jogadores mais “atrasado” – como Portugal poderá fazer frente a este tridente?

Hugo Lloris continua a ser o líder da equipa, e um dos guarda redes mais subvalorizados do futebol europeu. Raphael Varane é o patrão da defesa, e o vice capitão, sendo a sua abnegação e agressividade uma das maiores fontes motivacionais da equipa, ele que terá ao lado um motivado, e em em forma, Presnel Kimpembe, perfazendo uma boa e veloz parelha de centrais.

N´Golo Kanté chega ao Europeu extremamente motivado depois de um grande final de época no Chelsea, podendo ser ainda melhor caso ganhe a Liga dos Campeões no próximo dia 29. Ao seu lado jogará Paul Pogba, que já nos habituou a um nível de classe mundial nestas competições. Todavia, se não estiver a corresponder, Adrien Rabiot ou Corentin Tolisso poderão ser chamados para a refrega e assumirem o papel de gestores do meio-campo gaulês.

Nota ainda para Kinsgley Coman e Ousmane Dembelé, pois são os aceleradores de serviço, e apresentam-se como uma dor de cabeça para qualquer lateral.

Onze provável: Lloris, Pavard, Varane, Kimpembe, Lucas Hernández, Kanté, Pogba, Coman, Mbappé, Griezmann e Benzema.

Principal jogador: Kylian Mbappé (PSG)

Jovem a seguir: Marcus Thuram (Borussia Moenchengladbach)

Principal surpresa da convocatória: Karim Benzema (Real Madrid)

Principal ausência: Anthony Martial (Manchester United)

Previsão para o Euro

Como diria alguém bem conhecido no panorama do futebol nacional, prognósticos, só no fim do jogo. No entanto, ninguém pode condenar quem aponta a França como a mais provável vencedora deste Euro 2020. Uma equipa recheada de talento, que por si só pode resolver qualquerjogo. A selecção gaulesa não deslumbra em termos exibicionais, mas é extremamente pragmática e fria nas situações que o exigem, como mostrado no Mundial 2018.

O quarteto defensivo é extremamente forte e equilibrado, e o facto de Benjamin Pavard e Lucas Hernández serem laterais mais “defensivos”, liberta os extremos de uma cansativa recuperação defensiva, sobretudo Mbappé, que pode mudar um jogo a qualquer momento.

No meio campo, ter um elemento incansável e abnegado como Kanté permite ao outro elemento do miolo (Pogba ou Rabiot) aventurar-se em zonas adiantadas e juntar-se ao quarteto mais ofensivo. A tudo isto junta-se Benzema, um dos 5 melhores pontas de lança da última década, que elevará o nível da equipa, e que juntamente com Griezmann promete manter os centrais contrários em sentido.

Previsão final: Campeões europeus

Alemanha

Convocatória:

Mais uma grande seleção do grupo onde está inserido Portugal, uma Alemanha à procura de redenção depois de um terrível e traumático Mundial de 2018, onde ficaram em último lugar num grupo com México, Suécia e Coreia do Sul. Esta é também a última missão do selecionador Joachim Löw, que sairá do comando técnico da equipa que lidera desde o pós Campeonato do Mundo de 2006.

Querendo sair pela porta grande, Löw não quis arriscar e promoveu o regresso de dois pesos pesados que não eram convocados desde o mundial da Rússia: Thomas Muller e Mats Hummels. O avançado do Bayern de Munique e o central do Borussia Dortmund estão assim de volta para trazer experiência e qualidade a uma já muito talentosa equipa alemã.

Sem uma figura que se destaque dos demais, a equipa germânica apresenta um lote de 26 jogadores muito homogéneo, sendo de notar no entanto a ausência de um lateral direito de raiz (Klostermann tem atuado sobretudo como central no Leipzig), e tanto Joshua Kimmich como Emre Can rendem mais no meio campo.

Manuel Neuer continua a ser o capitão e voz de comando da equipa, orientando uma defesa onde para além do já mencionado Hummels, estará também Antonio Rudiger, em grande no Chelsea desde a chegada de Thomas Tuchel, e que poderá ter neste Euro a sua grande oportunidade para se impor definitivamente na defesa germânica.

Joshua Kimmich, Leon Goretska, Ilkay Gundogan e Toni Kroos encabeçam o lote de médios da equipa, mas dificilmente jogarão os 4 em simultâneo, naquele que será provavelmente o melhor meio-campo da competição, e que poderá ser a chave para o sucesso, ou não, da Manschaft, naquilo que é uma boa dor de cabeça para Joachim Löw.

Olhando para a frente de ataque, Serge Gnabry e Leroy Sané serão os agitadores de serviço, enquanto Timo Werner será um perigo apontado às balizas com o seu ataque à profundidade e a sua potência.

Onze provável: Neuer, Ginter, Hummels, Rudiger, Klostermann, Kimmich, Kroos, Gosens, Muller, Gnabry e Werner.

Principal Jogador: Toni Kroos (Real Madrid)

Jovem a seguir: Kai Havertz (Chelsea)

Principal surpresa da convocatória: Jamal Musiala (Bayern)

Principal ausência: Marco Reus (Borussia Dortmund)

Previsão para o Euro

A Alemanha é sempre uma seleção perigosa, e com o orgulho ferido o perigo poderá ser ainda maior. Desde o Mundial 2006 que a selecção alemã não falha, pelo menos, as meias-finais, com a única excepção a ser o Campeonato do Mundo de 2018 (eliminados na fase-de-grupos), tendo chegado à final do Euro em 2008.

Löw mudou o figurino da equipa depois do descalabro de 2018, apostando, na maioria dos jogos, num sistema de 3 centrais, de modo a proteger mais os criativos do meio campo, pois Kroos, Kimmich ou Gundogan não são propriamente médios que gostem de estar constantemente em transição defensiva sôfrega.

Este sistema peca pela ausência de um ala direito de qualidade (Baku do Wolfsburgo podia ser uma boa opção, mas vai aos sub-21), pois Klostermann, apesar de ser muito veloz, tem algumas debilidades técnicas, e não consegue dar a acutilância à direita que Robin Gosens, em grande na Atalanta, dá à esquerda. Veremos se Löw aposta em Kimmich à direita, abrindo vaga para Gundogan ou Goretska ao lado de Kroos no meio campo.

No ataque, uma equipa que tem Müller, Werner, Gnabry, Sané ou Havertz assusta qualquer defesa. Qualquer um pode ser decisivo num dia bom, e sobretudo o avançado do Bayern de Munique tem a capacidade de tirar o melhor rendimento dos seus parceiros de equipa, e muito provavelmente também conseguirá tirar de Timo Werner.

Previsão Final: Quartos de final


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter