Virtualmente rebaixada, Chapecoense pode sonhar com permanência?

Rafael RibeiroSetembro 12, 20215min0

Virtualmente rebaixada, Chapecoense pode sonhar com permanência?

Rafael RibeiroSetembro 12, 20215min0
Última colocada na Série A do Brasileirão de 2021, será que a Chapecoense conseguirá permanecer na primeira divisão para a próxima época?

Já se passaram 20 das 38 jornadas do Campeonato Brasileiro de 2021, e a Chapecoense amarga a última colocação no torneio. E com apenas 10 pontos conquistados. Isso porque, depois de 19 jornadas, conseguiu seu primeiro triunfo, contra o Red Bull Bragantino, na noite deste sábado (11 de Setembro), por 2-1 fora de seus domínios. Será que esta primeira vitória, sobre um adversário considerado de primeiro nível no Brasileirão atual, poderá ser o início da esperança nutrida pelos adeptos? O Fair Play traz os detalhes da péssima campanha do Furacão do Oeste.

A equipa, mundialmente conhecida pelo trágico acidente em 2016, que deixou 71 falecidos e seis sobreviventes, vem desde então amargando bons e maus momentos no futebol. Em 2019, acabou caindo para a segunda divisão do Brasileirão, mas logo na edição seguinte, em 2020, se sagrou campeã e voltou para a Série A em 2021. Porém, nesta época, faz a pior campanha de uma equipa na Série A em seu primeiro turno, e pode ser a primeira equipa rebaixada no ano. Na era dos pontos corridos, somente três equipas não caíram para a Série B quando possuíam menos de seis pontos como a Chape na 17ª jornada.

Nenhuma vitória (até ontem)

A Chape começou o Brasileirão justamente contra o Red Bull Bragantino, em uma derrota em seu próprio relvado por 3-0, ainda em Maio de 2021. De lá pra cá, teve Felipe Endres (auxiliar técnico) comandando a equipa, mas também Mozart no início do ano (tendo ficado apenas oito jogos, e saindo após perder a final do Campeonato estadual para o Avaí, e há três dias da estreia no Brasileirão) e a também rápida passagem de Jair Ventura (que ficou 14 jogos, teve quatro empates e 10 derrotas a frente do Índio de Condá, aproveitamento de apenas 9,5%). Antes de ser contratado pela Chape, Jair Ventura inclusive conversou conosco no Ginga Canarinha sobre suas expectativas na carreira (confira abaixo):

Pintado então chegou em Agosto para tentar mudar o rumo das coisas em Chapecó. E até ontem, tudo parecia igual. Foram cinco jornadas com Pintado no comando, duas derrotas e mais três empates. Antes do jogo contra o Bragantino, diversos sites especializados contabilizaram chances matemáticas de 99% de rebaixamento para a Chape. Mas, segundo o treinador, a vitória contra o Red Bull foi a consequência de alguns bons jogos, em que o time já vinha merecendo os três pontos. Com eles, a Chape faz 10 pontos e diminui a diferença para o penúltimo colocado, Grêmio, que tem 16. Ainda assim, a Chape foi a equipa que mais demorou a conseguir sua primeira vitória no Brasileirão, também na história da competição em pontos corridos.

 

Pintado fez um mês na equipa e conseguiu sua primeira vitória (Foto: Márcio Cunha/ACF)

Rendimento abaixo do esperado

Sendo campeã da Série B, imaginava-se que a Chape poderia vir a Série A para se manter novamente, como fez desde que chegou à primeira divisão pela primeira vez, em 2013. O plantel mostrava que a luta seria para a permanência, mas não achava-se que a performance dos jogadores seria tão baixa. Nomes como o do guarda-redes Tiepo, do defesa Felipe Santana, dos meio campistas Geuvânio e Perotti, e do avançado Thiago Ribeiro, não fizeram jus ao que se esperava.

Na baliza, depois de Tiepo, João Paulo foi testado, e agora o titular da posição já é Keiller. Mas desempenhos mais sólidos podem fazer os adeptos esperarem uma reação melhor do time daqui pra frente. Destaques para os defesas Busanello e Matheus Ribeiro, para o meio campista Ravanelli (líder de assistências do time no Brasileirão), e para o avançado Anselmo Ramon, a esperança atual de golos da equipa (já são quatro no campeonato naciona até aqui, incluindo um golo que ajudou a equipa na primeira vitória ontem). A indisciplina ainda é o principal ponto negativo do jogador, que já acumula seis cartões amarelos na competição. Ele foi alvo recentemente do Botafogo para a Série B, e tentava se transferir para a equipa carioca.

A Chape se apresentou em 2021 após vencer a Série B e com meta de permanecer na Série A (Foto: Márcio Cunha/ACF)

Permanência na Série A

A missão é das mais difíceis. Tanto fora quanto dentro do relvado a situação não é das melhores. As decisões, quase sempre precipitadas, fizeram as trocas de treinadores e outras decisões no futebol atrapalharem o rendimento dentro das quatro linhas. Além do mais, a questão financeira também não ajuda, pelo contrário. Se entre 2017 e 2018 a Chape era uma das poucas equipas na elite sem dívidas, recentemente o gastos estão muito maiores, ainda mais agravados pela situação pandêmica. Para se ter uma ideia, a Chape teve praticamente meio milhão de reais só com despesas de jogos, sendo mandante no Brasileirão, e sem nenhuma renda ou retorno dos jogos.

O Verdão do Oeste terá uma sequência complicada de jogos, mesmo já tendo vencido a primeira batalha da série, contra o Bragantino. Nas próximas jornadas, enfrenta o Palmeiras (casa), Ceará (fora), São Paulo (casa), Atlético Mineiro (casa) e Internacional (fora). Por nenhum deles ser confronto direto na parte de baixo da tabela, além de fazer sua parte terá de torcer por tropeços adversários, de Grêmio, Sport e América Mineiro (que completam a zona de rebaixamento atual do Brasileirão após o primeiro turno).


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter