Pilares que fizeram o São Paulo líder absoluto do Brasileirão

Rafael RibeiroDezembro 8, 20206min0

Pilares que fizeram o São Paulo líder absoluto do Brasileirão

Rafael RibeiroDezembro 8, 20206min0
São Paulo tem a seu favor a vantagem em pontos e jogos a menos no momento em que se tornou líder absoluto do Brasileirão

Após metade do Campeonato Brasileiro ser disputado, e faltando alguns jogos para algumas equipas terem o mesmo número de jornadas efetuadas, o São Paulo é o líder absoluto do Brasileirão e se torna matematicamente o principal candidato ao título. Depois de um início de época conturbado, com eliminações vergonhosas em outras competições, a equipa que investiu em torno de 150 milhões de reais em 2019 passa 2020 com investimento zero em contratações e aposta em suas categorias de base para triunfar.

Siga a página do Fair Play no Facebook

Nesta altura do ano, algumas das decisões antes tomadas como erradas por analistas e adeptos se mostram agora acertadas e são o principal pilar do time do Morumbi na luta por títulos. Além do Brasileirão, é semifinalista da Copa do Brasil e enfrentará o Grêmio para chegar à final do torneio de mata-mata. Mas quais outros aspectos levaram o São Paulo a se tornar o principal contender dessas competições? O Fair Play detalha aqui:

Manutenção de Fernando Diniz

O treinador foi contratado em 26 de Setembro de 2019, até por influência de vários jogadores, entre eles Daniel Alves, para iniciar um novo método de trabalho e de jogo na equipa. De lá pra cá, a eliminação para o Mirassol no Paulistão, para River Plate e LDU na fase de grupos da Libertadores (ficou apenas em terceiro no grupo) e para o Lanús-ARG na Sulamericana na segunda fase da competição já seriam motivos mais do que suficientes para sua demissão.

E seria uma demissão justa, não fosse a demora em tomar tal ação, já que a eliminação para o Mirassol se deu ainda em Julho, logo após a volta dos jogos pós paralisação pelo Covid-19. Mas com a justificativa de que a paralisação pode ter alterado o bom momento do time, e a sequência pesada de jogos num calendário pior do que se esperava também não daria tempo de uma nova adaptação, Diniz permaneceu. E que acerto de Raí e Pássaro (homens do futebol tricolor) nesta permanência, mesmo que não tenha sido pensada. Diniz encontrou uma forma de jogar, ganhou (ainda mais) a confiança do grupo e hoje colhe frutos.

Diniz permanece no clube desde Setembro de 2019 e, mesmo com eliminações precoces, foi mantido no cargo (Foto: Bruno Ulivieri/AGIF)

Utilização de garotos da categoria de base

É fato que tanto São Paulo quanto outras equipas (Santos, Grêmio e mais recentemente Flamengo e Palmeiras) utilizam-se de jogadores formados em suas categorias de base, mas nestes últimos anos certamente o time do Morumbi é o que mais revela jogadores, mesmo que estes não deem resultado no time profissional antes de serem negociados (casos frequentes como Lyanco, Militão, Luiz Araújo, David Neres, Antony e assim por diante).

Neste ano, mesmo com a perda de Antony, Diniz soube como continuar usando a base, e esta rende tanto quanto contratações feitas em 2019, visto que o São Paulo não contratou em 2020. Nomeadamente, Diego Costa como central, Luan, Liziero, Gabriel Sara e Igor Gomes como médios, Helinho (hoje no Red Bull Bragantino) Toró e Brenner como extremos/avançados são nomes usados com frequência por Diniz e que compõem um plantel limitado em número mas eficiente na prática. Muitos deixarão a equipa em breve por negociações como de costume, mas a conquista de algum título antes disso pode render mais um trunfo para esta administração.

Igor Gomes, Luan e Liziero (da esquerda para direita) além de Diego Costa e Gabriel Sara são nomes certos na cabeça dos adeptos (Foto: Marcello Zambrana/AGIF)

A dupla de ataque Luciano e Brenner

Talvez um dos ataques que mais improvavelmente daria certo no futebol brasileiro está impressionando por sua eficácia. Brenner, menino criado em Cotia (base do tricolor) foi efetivado ao profissional em 2017 por Rogério Ceni, mas nunca fez os adeptos brilharem os olhos. Chegou a ser emprestado ao Fluminense e não via mais seu futuro como jogador profissional, até que lá encontrou o mesmo Fernando Diniz que, este ano no São Paulo, o trouxe de volta e o fez o vice artilheiro do time com 7 golos, sendo um dos jogadores que menos precisa de toques na bola para marcar.

Luciano também levantou muitos questionamentos de adeptos e adversários. Aparecendo para o futebol no rival Corinthians, sofreu com lesão grave e estava longe de seu melhor futebol. No mesmo Fluminense jogou bem com Fernando Diniz, mas no Grêmio vivia momento de baixa. Até que a sugestão de troca entre ele e Éverton (extremo do São Paulo, adquirido junto ao Flamengo), agitou o Brasileirão. Éverton chegou ganhando o Estadual, e a sina de jogador que sai do São Paulo e ganha título se repetia. Até que Luciano se torna o principal avançado da competição, contando com a baixa performance de Thiago Galhardo, anota 12 golos pelo São Paulo e ajuda o São Paulo a ser um dos candidatos ao título.

A dupla de ataque de 2020 já foi comparada a grandes duplas são-paulinas como França e Dodô, Luizão e Amoroso, Luís Fabiano (Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net)

Resta saber se a vantagem na ponta da tabela, os jogos atrasados e a confiança dentro e fora do relvado em Fernando Diniz farão a equipa brigar pelas taças até o final da época, em Fevereiro. Como pontos de atenção, devemos destacar o rígido protocolo de contenção da Covid-19, já que muitas outras equipas estão sofrendo com jogadores afastados, a manutenção física dos principais jogadores, já que Diniz não está rodando o plantel com tanta frequência, e também o triunfo sobre times que estão diretamente na briga, como Atlético Mineiro, Internacional, Flamengo, Grêmio e Palmeiras, para que o São Paulo saia da fila de títulos que está desde 2012.

Leia mais

Há quatro anos, Palmeiras vencia seu nono Campeonato Brasileiro

São Paulo goleia o Flamengo e avança à semifinal da Copa do Brasil

Brasileirão, uma máquina de moer técnicos de futebol

 


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter