Brasileirão 22 surpreende a todos após 5 jornadas

Marcial CortezMaio 9, 20225min0

Brasileirão 22 surpreende a todos após 5 jornadas

Marcial CortezMaio 9, 20225min0
O Brasileirão começou e após cinco jornadas, as equipas surpreendem. Candidatos ao rebaixamento estão na primeira página de classificação, Corinthians e Santos brigam pela liderança, enquanto Galo, Palmeiras e Flamengo são meros coadjuvantes.

No início dos campeonatos, é normal fazermos antevisões e análises das equipas para termos uma ideia de como serão os certames. E no Brasileirão 22 não foi diferente. Este colunista que vos escreve, juntamente com vários outros comentadores, jornalistas e especialistas, fizeram suas previsões com base no que as equipas vinham a mostrar até então.

Mas o Brasileirão começou e todos ficaram surpresos. Após cinco jornadas, as supostas equipas postulantes ao título não ocupam os primeiros lugares, e duas delas estão na segunda página de classificação. Por outro lado, equipas apontadas como candidatas certas ao rebaixamento estão a ocupar as primeiras posições. Sabemos que é cedo para dizer que essa situação vai permanecer ao longo das 38 jornadas previstas, mas aqui vamos apontar as maiores surpresas do Brasileirão 22.

Corinthians e Santos na liderança

Timão e Peixe, líder e vice-líder da competição, estão com aproveitamento de campeões. As análises mostram que para ganhar o título, a equipa tem que apresentar no mínimo 67% de conquista dos pontos para se garantir no primeiro lugar. Já tivemos clubes acima desse patamar, assim como já tivemos equipas abaixo desse número que ocuparam a galeria dos campeões. Mas até hoje, após 18 anos do Brasileirão de pontos corridos, nenhuma equipe vice-campeã atingiu esse “número mágico”.

Assim, hoje temos o Santos a ocupar o segundo lugar com 10 pontos, o que representa 67% de aproveitamento, e o Corinthians como líder absoluto com 12 pontos, com aproveitamento de 80%, similar ao de campeões de anos anteriores, como Palmeiras e o Flamengo, que em 2019 atingiu a incrível marca recorde de 90% de conquista dos pontos disputados no certame.

Renato Augusto comemora gol do Timão na vitória contra o RB Bragantino. Foto : Rodrigo Coca / Ag Corinthians

Estas duas equipas estão bem não só no Brasileirão como também em outros certames (o Corinthians lidera seu grupo e está na briga com outras duas equipas por uma vaga nos oitavos de final da Libertadores e o Santos ainda luta por vaga nos oitavos da Sulamericana, a ocupar a vice-liderança em seu grupo). Essa situação nos mostra, mais uma vez, que o Campeonato Paulista não é parâmetro para análises. Já tivemos campeões paulistas que brigaram para não cair no Brasileiro, e agora temos o Santos, que brigou pra não ser degolado no regional, a lutar pelas primeiras posições no cenário nacional.

Galo, Palmeiras e Flamengo

Dos supostos candidatos ao título, o Atlético Mineiro é o melhor colocado e ocupa a sexta colocação, atrás de equipas como São Paulo e América. O Galo tem 8 pontos, com 53% de aproveitamento. Pouco para o atual campeão e favorito ao título. Seus rivais Palmeiras e Flamengo nem aparecem na primeira página da classificação. O Verdão ocupa a 13a posição, com 6 pontos e 40% de aproveitamento, enquanto o vice campeão carioca ocupa a 14a posição, um ponto atrás do Alviverde e com aproveitamento de míseros 33%.

O defensor Filipe Luís carrega a bola na derrota contra o Botafogo. Foto: Marcelo Cortes / CRF

Vale ressaltar que essas equipas, quando comparadas às primeiras citadas no texto, estão bem melhores nas outras competições. O Verdão já se garantiu nos oitavos de final da Libertadores com aproveitamento de 100% após 4 rodadas, enquanto que Flamengo e Galo ainda não se garantiram matematicamente, mas lideram com folga seus grupos na busca da Glória Eterna. Talvez isso explique o mau desempenho dessas equipas até agora na competição nacional, pois nessa primeira fase da Libertadores os jogos se intercalam com os do Brasileirão. A partir dos oitavos, será um confronto por mês até a final, e pode ser que esses clubes reajam positivamente no Campeonato Brasileiro.

América, Avaí e Fortaleza

Estas três equipas também estão a surpreender em termos de classificação, cada uma a seu modo. Primeiramente, temos o América, que ocupa a terceira colocação com 9 pontos e aproveitamento de 60%. O América é uma das novas forças do futebol brasileiro e na minha antevisão, brigaria por vaga de Libertadores.  Até aí, tudo dentro do esperado, mas o que surpreende é a terceira posição, a frente de esquipas como São Paulo, Internacional, Palmeiras, Flamengo, Galo e outros.

Outro que impacta positivamente é o Avaí. Apontado pelos especialistas quase que como unanimidade como candidato ao rebaixamento, a equipa catarinense está em 10o lugar, com 7 pontos e aproveitamento de 58%. O Avaí tem histórico de “time gangorra”, ou seja, um ano sobe para a divisão principal, no ano seguinte cai para a série inferior, e assim sucessivamente. Com um péssimo desempenho no campeonato regional, em que escapou do rebaixamento nas últimas jornadas, o Avaí tem a chance de mudar sua história e lutar para permanecer na elite.

Avaí ocupa a primeira página de classificação. Foto: André Palma Ribeiro / Avaí F.C.

Caminho inverso ao do Fortaleza, apontado por muitos como a principal equipa dessa nova força do futebol brasileiro, a equipe cearense está na lanterna da competição, com apenas um ponto e aproveitamento de 8%, número muito abaixo do que se espera para o desempenho da equipa. Apesar disso, o Fortaleza tem uma “desculpa”: a equipa está em segundo lugar no grupo da Libertadores e ainda briga, com remotas chances, por uma vaga nos oitavos de final da Glória Eterna.

Como foi dito lá no início, ainda é cedo para se apontar tendências e teremos ainda 33 jornadas para definir o cenário futebolístico do Brasil em 2022. Mas de todo modo, é interessante ficarmos de olho nestas equipas, que podem continuar a nos surpreender ao longo da competição.

 


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter