27 Mai, 2018

Michy Batshuayi, Aubameyang e Giroud abanam com o fim de mercado

Fair PlayFevereiro 2, 201810min0

Michy Batshuayi, Aubameyang e Giroud abanam com o fim de mercado

Fair PlayFevereiro 2, 201810min0
No último dia de mercado de Inverno, um triângulo de negócios formou-se, cada um com direta influência no outro. Um dos protagonistas foi Michy Batshuayi.

O último dia de mercado proporcionou três transferências já esperadas, num triângulo entre Arsenal, Chelsea e Borussia de Dortmund.

Primeiro tudo começou pelo Arsenal, que contratou a estrela do clube alemão, Pierre-Emerick Aubameyang, numa transferência recorde por parte dos Gunners e que reflete a vontade que o gabonês tinha de mudar de ares.

Depois, como consequência da contratação por parte do Arsenal do avançado mencionado, Olivier Giroud perdeu espaço no plantel de Arsène Wenger e tal, juntando à busca do Chelsea por um avançado possante e forte no jogo aéreo, levou a um negócio entre clubes londrinos.

MICHY BATSHUAYI É A NOVA ESTRELA DE DORTMUND

Por fim, sobra Michy Batshuayi, que nunca foi uma real aposta de Antonio Conte e que, por tal razão, foi recrutado por empréstimo pelo Borussia de Dortmund, para suprir a saída de Aubameyang. Uma história que apenas contada seria credível.

Batshuayi é um jogador que precisa ainda de algum crescimento, apesar dos seus 24 anos, mas esse crescimento apenas pode acontecer se ele for uma aposta regular e se tiver a confiança do seu técnico, algo que não estava a acontecer em Londres. O seu ponto fraco pode passar essencialmente por ainda algum excesso de individualismo.

O belga é um bom avançado, que tem uma boa capacidade de explosão, jogando bem em contra ataque, e que é bastante lutador, não sendo, no entanto, um número nove no termo mais lato da palavra. Como ponto de comparação no futebol português, a sua passagem no Chelsea assemelha-se muito àquilo que tem sido Raul Jimenez no Benfica, com a devida diferença de qualidade. No entanto, as semelhanças tanto se verificam nos golos decisivos em dadas alturas, jogando poucos minutos, como também no desperdício de determinadas ocasiões que não seriam esperadas.

A verdade é que Michy tem grandes capacidades que podem ser potenciadas, basta apenas o belga querer e ter a cabeça no lugar certo, algo que pode perfeitamente acontecer em Dortmund, pois será o líder de um ataque que precisa de confiança e de vitórias para garantir o acesso à Liga dos Campeões, isto num campeonato que não tem sido fácil devido à baixa forma da equipa e à competitividade na metade superior da tabela.

Para já, a estadia do avançado não poderia ter começado melhor, com a titularidade no seu terceiro dia enquanto jogador do Borussia e um impacto quase imediato, com dois golos marcados. Certamente que este jogo lhe dará grande confiança, pois não é qualquer jogador que consegue alcançar este feito.

Veremos qual será o balanço final desta segunda metade da época de Batshuayi, que bem precisava de ter oportunidades e que agora as terá. Se conseguir manter a consistência e a sua capacidade de resolver jogos, será aposta no Mundial 2018 e certamente proporcionará uma transferência a título definitivo. 

OZIL MANDOU, WENGER ACEDEU E AUBAMEYANG CHEGOU!

Comecemos pela transferência mais cara, pois é isso que tem reinado em Inglaterra, e falamos do gabonês Pierre-Emerick Aubameyang que custou cerca de 64 milhões de euros aos cofres dos gunners. O avançado nem sempre foi uma estrela tendo que lutar e passar por vários empréstimos até convencer os altos dirigentes do futebol europeu.

O avançado fez a sua formação no Bastia, mas como na altura já era bastante capacitado, o AC Milan quis contratá-lo. Já como sénior, passou por 4 empréstimos seguidos a clubes franceses como o Dijon, o Lille, o Monaco e o Saint-Étienne e só na temporada 2011/2012 é que se assumiu nos Les Verts, tendo sido comprado pelos mesmos por uns modestos 2 milhões de euros.

Realiza 2 épocas de bom nível tendo marcado 18 e 21 golos, respetivamente e é aí que surge a oportunidade da sua vida. Chega a um grande do futebol europeu, o Borussia Dortmund contrata-o por 13 milhões de euros e por lá fica até à janela de transferências que passou. De referir que nas 2 últimas épocas chegou aos 39 e 40 golos, o seu máximo.

Chega agora ao Arsenal, com 28 anos, juntando-se ao trio Ozil, Lacazette e Mkhitaryan. É uma adição fantástica à turma de Wenger que aposta forte em algo mais do que a mediocridade que têm atingido. Aubameyang, rápido e alto, joga, principalmente a ponta de lança, mas também nas alas, e não conseguindo ganhar o lugar ao francês, pode ganhá-lo ao alemão ou ao arménio. Com golo pode fazer furor nesta 2ª metade de época.

Para entrar o gabonês teve que sair alguém e esse alguém foi Olivier Giroud que deixa agora os gunners seguindo para o campeão inglês, o Chelsea. A movimentação entre os dois clubes de Londres envolveu a mera quantia de 17 milhões de euros.

GIROUD “SÓ” TEVE DE PASSAR A PONTE PARA MUDAR DE CLUBE

O avançado formou-se no Grenoble e passou pelo Istres, pelo Tours antes de ser transferido para o Montpellier por 2 milhões de euros. Aí se mantém 2 temporadas, onde, estatisticamente, teve os seus melhores números e foi mais bem-sucedido pessoalmente. Na altura os britânicos pagaram 12 milhões de euros e o jogador podia prometer algo já que vinha de uma temporada com 25 golos marcados, o seu máximo até hoje.

Foi quase sempre titular na frente de ataque londrina, mas nunca chegou ao mesmo número de golos que Aubameyang, que o substitui. Alguém regular na seleção, o avançado procura manter esse registo e chegar à Rússia para ajudar os gauleses a chegar o mais longe possível.

A entrar no Chelsea, chega para o lugar de Batshuayi que foi emprestado ao Dortmund (interessante este trio de transferências), o jogador de 31 anos vai procurar lutar pela titularidade com Morata, assim como fazia o belga.

Bastante possante e físico, pode fazer sentido no sistema de Conte ao jogar com 2 médios ofensivos atrás dele, podendo abrir espaços na defesa para os mesmos, ao arrastar os defesas contrários.

De outras bandas, chega à Melhor Liga do Mundo, Lucas Moura proveniente do Paris Saint Germain por 29 milhões de euros para representar o Tottenham.

HÁ UM LUCAS EM WHITE HART LANE

Aquele que outrem foi uma promessa do São Paulo, foi encostado por Unai Emery no PSG e tenta agora uma nova chance. Ele que foi a única compra dos spurs neste mercado, chega com um novo ânimo depois desse conflito. E ainda com 25 anos, o brasileiro pode, muito bem voltar a mostrar a qualidade que mostrou no seu clube de formação. Sem muitas mudanças, o extremo já era um ídolo na sua cidade natal quando de lá saiu para Paris por 40 milhões de euros.

Nunca foi indiscutível, mas jogava regularmente quando estava em Paris, mas os precários 6 jogos realizados esta temporada são uma justificação desta venda.

Sem grande faro de golo, Lucas Moura pode contribuir com bastante velocidade e drible em Inglaterra. Forte também no um para um, o extremo vem para fazer concorrência a Eriksen, Heung-Min e a Lamela. Apesar da fraca 1ª metade de temporada, o jogador tem agora uma oportunidade de se mostrar a um treinador novo a fim de pensar no Mundial2018, ele que não é convocado desde o verão de 2016.

De referir, ainda que o Manchester City ainda não estava contente com o seu plantel e por isso contratou o defesa central basco-francês, Aymeric Laporte por 65 milhões de euros. O jogador de 23 anos junta-se ao plantel milionário dos citizens que está a realizar uma campanha fantástica.

HÁ SUBOTIC EM SAINT-ETIENNE!

O defesa central de 29 anos terminou uma ligação de longa data ao Borussia Dortmund, numa altura em que o clube não atravessa a melhor fase no campeonato.

Central possante, forte no desarme e no jogo aéreo, Subotic foi um dos pilares da defesa do Dortmund durante largos anos, no entanto nos últimos tempos Subotic foi perdendo espaço no clube e acaba por sair para poder somar mais minutos, algo bastante importante para o central que quer chegar à Rússia na máxima força para ajudar a seleção sérvia no Mundial.

No Saint-Etienne Subotic pode ser uma peça chave e recuperar o tempo de jogo de outros tempos. Experimenta um novo campeonato na carreira (só conhecia o alemão e o americano), e recupera a importância que o sérvio gosta de sentir quando entra em campo.

SUPER PROMESSA PARA LEONARDO JARDIM TRABALHAR

O jovem de 16 anos protagonizou uma das transferências mais sonantes e surpreendentes do mercado de inverno!

Pellegri e o Mónaco bateram o recorde de transferência mais cara num jogador de apenas 16 anos e não fosse Coutinho ou Aubameyang e seria mesmo a transferência mais falada na comunicação social.

No entanto esta surpresa deixa de ser tão surpreendente para quem acompanha o jovem avançado italiano. Com uma maturidade incrível era óbvio que Pellegri teria em 2017/2018 a sua última época no Genoa e que saltaria para um grande europeu que assegura logo um jovem com uma enorme margem de progressão e que apesar dos 21 milhões pode ter sido um jogador barato se atingir todo o potencial que parece ter.

Do outro lado o Monaco mantém, claramente, a sua política de contratar jogadores muito jovens ao invés de trazer nomes feitos e sonantes do futebol mundial, sendo também uma transferência bastante lógica quando vista por este prisma.

O Fair Play já tinha feito referencia a este jovem talento (cliquem aqui) e já se adivinhava que ele tinha todas as características que fazem dele um avançado moderno e que bem trabalhado pode ser ainda mais letal.

DEBUCHY “SALVA-SE” EM CIMA DO APITO FINAL DE MERCADO

Mais um defesa central para o Saint-Etienne, mais um reforço a custo zero e a aproveitar um jogador completamente fora das opções do seu anterior clube, no caso o Arsenal.

Sem a qualidade de Subatic, o francês de 32 anos regressa ao país natal para voltar à Ligue 1 e ter o final de carreira em casa.

No entanto Debuchy pode oferecer uma inteligência defensiva que adquiriu com a sua experiência no estrangeiro e pode ser uma enorme ajuda para ensinar os jogadores mais jovens. Todas as equipas precisam de jogadores experientes e com Debuchy isso fica completamente assegurado

Depois do Lille e do Bordeaux, o Saint-Etienne é o terceiro clube francês no currículo do defesa que passou uma vida nos gunners com passagem pelo Newcastle.

Com Debuchy, mas principalmente com Subotic vê-se uma vontade enorme do Saint-Etienne melhorar a defesa que é a terceira pior da liga.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter