8 Jogadores que podiam voltar para a Liga NOS em 2020 pt.2

Francisco IsaacDezembro 12, 20195min0

8 Jogadores que podiam voltar para a Liga NOS em 2020 pt.2

Francisco IsaacDezembro 12, 20195min0
Que atletas podiam regressar à Primeira Liga portuguesa em 2020? Escolhemos oito atletas que podiam ser reforços de Inverno da Liga NOS explicando que vantagens trariam! A parte 2 neste artigo!

O mercado está quase a abrir e nesta quadra natalícia deixamos os desejos de ver estes regressos ao futebol português! De Diogo Dalot a Tomané, estes são os “presentes no sapatinho” que poderiam surgir nos clubes da Primeira Liga portuguesa!

DIOGO DALOT (MANCHESTER UNITED)

20 anos mas com o futuro incerto nos Red Devils? Diogo Dalot é uma das actuais grandes promessas do futebol português, apresentando um nível técnico de elevado nível, somando-se ainda as características físicas de fino recorte ou a facilidade com que transita de corredores, algo evidenciando na sua única temporada ao serviço da equipa “A” do FC Porto (substitui Alex Telles em 8 encontros), mas não tem tido sorte na época actual apresentando somente 3 jogos no registo.

Dalot tem sido “alvo” de uma constante onda de lesões que o têm impedido de se afirmar com outra certeza no Manchester United, principalmente na temporada actual em que regista já duas lesões médio-graves. Se continuar a perder espaço no plantel do clube inglês, será que um regresso a Portugal poderá ser positivo ou encarado como um retrocesso e um chumbo das suas qualidades? Um retorno ao FC Porto por empréstimo reuniria todo o interesse dos azuis-e-brancos e mesmo o SL Benfica poderá ver no jovem a solução mais interessante para a ala direita defensiva.

Saiu por 22M€ quando ainda só tinha 18 anos e é ainda visto como um dos talentos mais interessantes e apaixonantes do futebol português.

XEKA (LILLE)

Relembram-se de Xeka, trinco que saiu do SC Braga em 2016 para rumar a França a troco de 5M€? Um médio munido de uma visão de jogo de soberbo nível, Xeka é daquelas unidades de campo que vai estabilizando o processo defensivo ou ofensivo, garantindo uma saída de bola sadia ou um processo de recuperação da “redonda” de boa qualidade, enchendo o “miolo” do Lille com contornos mais interessantes.

Nesta nova época tem saltado entre a titularidade e o banco de suplentes, não sendo um elemento totalmente imprescindível da estratégia de Christophe Galtier, colocando-se a questão se Xeka tem ou não futuro a médio-prazo nos “dogues”.

Caso uma saída se venha a propiciar, o regresso ao futebol português poderia aproximá-lo da Selecção Nacional? O meio-campo do Sporting CP poderia ganhar com a inclusão de um atleta como Xeka, transmitindo outra confiança e estabilidade à táctica de Silas; num plantel de qualidade como o de SC Braga, seria inevitavelmente um dos principais actores e conferiria outra dimensão ao processo ofensivo de Sá Pinto.

É um médio-centro que tanto pode jogar a 6 ou 8, sendo um jogador “moderno” e que traz uma série de benefícios a quem confie nas suas capacidades.

DOMINGOS DUARTE (GRANADA CF)

1, 92 metros de altura, pulmão para dar e vender, atitude e postura leal, comprometida e concentrada e com qualidades técnicas mais que suficientes para convencer os principais clubes em Portugal a recrutar os serviços de Domingos Duarte. É quase imperceptível o facto do Sporting CP ter descartado o central português de 24 anos quando Domingos Duarte podia perfeitamente ter feito do plantel leonino para esta temporada.

Para os que duvidam das qualidades do defesa, basta ver as exibições do português ao serviço do Granada (contratado aos verde-e-brancos a troco de 3M€ pelo emblema espanhol) neste arranque de época sendo um dos poucos totalistas da La Liga com 16 jogos e 2 golos.

A rapidez com que consegue estancar alguns dos problemas defensivos do Granada e a forma como controla bem os processos ofensivos do adversário junto da grande área são apenas dois dos pormenores que compõem um role de qualidades que merecerão atenção da parte da equipa técnica da Selecção Nacional, como já aconteceu para os jogos frente à Lituânia e Luxemburgo (não chegou a entrar em campo).

Está agora em Espanha e a rubricar uma bela temporada pelo Granada, mas pode ser perfeitamente uma solução interessante quer para o SC Braga, Sporting CP ou FC Porto, que procuram encontrar alguém com qualidade para o centro da defesa no futuro próximo.

EDGAR IÉ (FEYENOORD)

De indispensável no Lille na temporada 2017/2018 para atleta do Trabzonspor que rapidamente foi emprestado ao Feyenoord tudo no defeso de 2019, estando agora a tentar a recuperar a forma de há dois anos atrás. Edgar Ié tem fibra para ser um central de qualidade, seja pela postura física que apresenta, o bom poder de antecipação ou a solidez e equilíbrio na saída da defesa com a bola nos pés.

Internacional por Portugal por uma ocasião, Ié não conseguiu manter os mesmos standards exibicionais apresentados em 2017/2018 e acabou por perder lugar nos “dogues” e esta ida para a Holanda não tem sido totalmente positiva a nível colectivo, apesar de ter sido praticamente titular em quase todos os jogos.

É um central “caro”, não há dúvidas, mas a aposta num jogador como Edgar Ié por emblemas com os olhos postos a lutar por um lugar europeu (SC Braga, FC Famalicão, Boavista FC ou Portimonense) pode ser efectivamente uma aposta de sucesso.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter