7 jogos, 7 finais e uma Liga NOS com muito/algo por decidir

Guilherme CatarinoAbril 22, 20214min0

7 jogos, 7 finais e uma Liga NOS com muito/algo por decidir

Guilherme CatarinoAbril 22, 20214min0
Guilherme Catarino analisa rapidamente o que está em disputa nestes 7 jogos finais da Liga NOS. Do campeão às descidas, o que vai acontecer?

Estamos a 21 de Abril e o principal campeonato português, a Liga NOS, encontra-se numa luta como há poucos anos víamos pelo nosso país. Não só pela confortável vantagem sportinguista na liderança do campeonato – algo raro nos últimos anos, doa o que doer aos adeptos em Alvalade – mas como pela concorrência intensa e alargada na fuga à despromoção à Segunda Liga.

Lá em cima, chegaram a ser 13 os pontos a separar o líder Sporting do segundo posicionado, sendo agora apenas 7. Cá mais em baixo, entre o 9º e o 17º colocado, são meros 7 pontos aqueles que distanciam as equipas nestas posições, numa situação em tudo digna de atenção e relevo. Ainda para mais pela situação inédita de playoff entre o antepenúltimo da Primeira Liga e o terceiro da Segunda Liga, algo que promete animar ainda mais os últimos jogos deste ano.

Serão raros os adeptos do Sporting que cantarão de galo por esta altura. Pelo menos não o deveriam fazer, na minha humilde opinião e como sportinguista confesso. A realidade recente do clube obriga o adepto mais atento a reservar o seu contentamento e a tentar até digamos, da maneira que for possível, “esquecer” que tudo corre tão bem. Especialmente porque, apesar de tudo, avizinham-se visitas muito complicadas a Braga e à Luz, e se tem observado um verdadeiro Porto de Champions.

Os portistas que certamente venderão caro este campeonato após tão brilhante desempenho europeu. Por momentos, fez até renascer nos mais crentes uma repetição da história bonita de 2004… Atrasados na corrida nacional, em grande parte pela, cremos, carga competitiva tremenda que marcou os três clubes portugueses na Europa, os pupilos de Conceição farão das tripas coração nos restantes sete jogos da liga.

Olhamos para baixo e observamos com particular interesse e curiosidade a tabela classificativa. Num passado recente, a Primeira Liga tem vindo a ser marcada por indecisões na zona mais baixa da tabela, numa luta – infelizmente refira-se, mas por outros motivos a denotar num texto aparte – caracterizada pelos estádios cheios curiosamente apenas nos momentos finais das épocas. Este ano nem isso infelizmente teremos, mas serão bastantes as equipas que se comprometerão a lutar por um papel no principal campeonato do futebol português.

O Nacional de Manuel Machado não atravessa um momento positivo e vê os lugares de salvação fugirem a passos largos, enquanto o Marítimo e o Farense lutam por fugir ao seguinte lugar de descida direta. Os maritimistas ganharam nova vida (menos conturbada) após a entrada de Júlio Velásquez e os recentes três pontos em casa perante um fragilizado Rio Ave colocaram pressão nos acima posicionados.

Semelhantes dias vivem os algarvios, com as últimas prestações mais positivas, digamos, (nomeadamente frente ao líder invicto) a valerem de pouco face aos poucos pontos arrecadados. Jorge Costa acredita num desfecho de campeonato digno da história do mítico Farense, e os primodividionários de tudo farão para tal acontecer. Expoente máximo de tal premissa é a última vitória alcançada na Liga e o fôlego que tal momento trouxe aos leões de Faro, perante o surpreendentemente Paços de Ferreira de Pepa.

Desnecessário será referir, numa espécie de conclusão, que foram, em tudo, atípicos os contornos desta Liga NOS. Pela falta de adeptos em todas as jornadas (pelo andar da carruagem), pelas jornadas adiadas e marcadas pelos múltiplos casos positivos de Covid-19 nos plantéis ou pelas marcas que tal doença deixou em muitos dos atletas, o campeonato 2020/21 tudo tinha para pecar em qualidade, espetáculo e inovação. Contudo, cá estão esses elementos! Presentes (à sua maneira) e a deixar água na boa do adepto português mais fervoroso até ao seu término.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter