Paulo Meneses e a estreia oficial pelo Cehegín Deportivo pt.3

Fair PlayDezembro 14, 20216min0

Paulo Meneses e a estreia oficial pelo Cehegín Deportivo pt.3

Fair PlayDezembro 14, 20216min0
Continuam os bons resultados e grandes momentos com Paulo Meneses no Cehegín Deportivo, e o treinador conta tudo nesta 3ª parte do seu Diário

Passado Outubro e Novembro, e chegado finalmente ao último mês do ano de 2021, Paulo C. Meneses tem somado bons resultados na sua viagem por Espanha ao serviço do Club Cehegín Deportivo, e contamos o que se passou de novo na 3ª e 4ª parte do Diário do Treinador.

7º JOGO

Continuamos desde a 2ª jornada a tentar recuperar 2 jogadores muito importantes, com lesões “chatas” de se recuperarem, e que nos têm deixado bastante limitados, principalmente na frente de ataque, onde nos tem faltado “fogo” para concretizar os ataques que realizamos, em golos. Temos que adaptar outros jogadores na posição de Ponta de Lança, onde muitas vezes, não resulta.

Em relação aos jogos:

Tivemos 2 jogos menos conseguidos em termos de resultados, onde não conseguimos ser eficazes no 7º jogo (jogando fora). Criamos mais e melhores oportunidades, mas não conseguimos ser eficazes no aspecto da finalização. Um vez mais utilizamos o sistema de 1-5-3-2 no 7º jogo, onde na 1ª parte conseguimos ser superiores ao adversário, onde uma vez mais, o nosso Guarda Redes – Cristian – não fez uma defesa.

Estávamos a criar oportunidades – na 1ª parte tivemos 3 remates enquadrados com a baliza, mas sem que a bola tocasse nas redes. De destacar, uma excelente defesa do Guarda Redes adversário, que defendeu para canto, respondendo a um bom livre directo do nosso capitão Javi Cardozo.

Contra a corrente do jogo, o adversário inaugurou o marcador através de um pontapé de canto (mal defendido por nós), ainda na 1ª parte. Corrigimos alguns aspectos no intervalo, e no inicio da 2ª parte, fizemos uma substituição ao intervalo, entramos mais agressivos na procura de espaços, no ataque à profundidade também, e fruto disso ganhamos um penalty, por derrube na área do nosso Medio Centro Diego.

Conseguimos o empate, e voltamos a entrar na discussão dos 3 pontos. De destacar a resposta da equipa da casa, que subiu as suas linhas, começou a tomar conta do jogo, nós conseguimos equilibrar e responder, com 2 alterações saídas do banco e de novo contra a corrente do jogo, um “alivio” nas costas da nossa defesa, isolou um jogador adversário, e no cara a cara com o nosso Guarda Redes, fez o 2-1. Tentamos de tudo até final, mas mais uma vez não conseguimos encontrar o caminho para que a bola tocasse nas redes da baliza adversária.

8º JOGO

Jogo em nossa casa, recebíamos um histórico dos campeonatos da divisão acima: Os Ultra. Este foi um dos clubes que desceu e que, naturalmente quer subir de novo. É uma equipa madura, com muita qualidade e com muitos jogadores habituados na divisão superior.

Perante e sabendo deste cenário antecipadamente, preparamos bem o Micro Ciclo, realizando uma semana muito bem conseguida a todos os níveis. Voltamos a utilizar o sistema 1-4-3-3, onde encaixou no sistema 1-4-3-3 deles. O jogo foi muito igualado, muito repartido e competitivo, principalmente no meio campo.

Eles tiveram uma boa chance para inaugurar o marcador, e nós tivemos 3. Na 1ª parte, um livre lateral, o nosso Defesa Central Javi Garcia cabeceou ao lado do poste. Depois, ao minuto 44 da 1ª parte, tivemos um mano a mano com o Guarda Redes adversário, com a bola a saltitar, mandamos ao lado do poste da baliza adversária. Na 2ª parte, tivemos um outro mano a mano com o Guarda Redes adversário a defender com o pé, negando de novo o golo.

Quando tudo apontava para o 0-0, nos últimos 10 minutos, tentamos mexer com o jogo desde o banco de suplentes, no entanto, fizemos um penalty ao minuto 86, onde o adversário fez o 0-1, resultado final. Ainda, como ultima substituição, metemos um defesa central de 1,90 cm – Kulum – como ponta de lança nos últimos minutos, conseguimos chegar ao ultimo terço através de um futebol mais directo, no entanto, não fomos capazes de meter um golo, o que seria de facto, mais que justo pelo que conseguimos criar ofensivamente durante todo o jogo, e pelo que, mais uma vez, não deixamos ao adversário criar junto da nossa baliza.

9º JOGO

Jogo fora num estádio onde já tínhamos jogado esta temporada 2 vezes, por ser casa emprestada por obras nos seus respectivos estádios. Estádio onde a nossa equipa conseguiu realizar 2 das melhores exibições fora de casa, sacando dois empates 2-2. O que todos queríamos e desejávamos, era colocar em prática a máxima: “à terceira é de vez”. E foi.

Preparamos a semana de uma forma bastante positiva a todos os níveis. Os jogadores estiveram muito concentrados e empenados durante os treinos semanais, e as sensações foram muito positivas. E dessa forma, aumentavam as expectativas e o positivismo na equipa. Entramos para o aquecimento muito focados e demonstrando uma grande vontade de levar os 3 pontos. Sentia-se essa emoção positiva em todos os elementos que tinham viajado. Até porque, teríamos que dar uma resposta tremenda e demonstrar que, a nossa equipa não só realiza boas exibições, mas que, consegue realizar boas exibições acompanhando de resultados.

Inicio de jogo, pressão alta da nossa parte, fruto disso, roubamos várias bolas em campo contrário, que resultaram em 0-3 em nosso favor aos 20 minutos de jogo.
Como treinador, nos 11 anos que levo dedicado a estes labores, nunca tive nenhum inicio de jogo assim tão eficiente. Estávamos lançados para uma boa exibição, e para levar os 3 pontos a nossa casa.

Nos últimos 15 minutos da 1ª parte, a equipa da casa, começou a reagir à procura do 1-3, e tivemos que defender-nos mais perto da nossa baliza. Ao intervalo, com 0-3, tivemos que alertar para algumas situações que nos poderiam causar problemas na 2ª parte – principalmente nos primeiros 10-15 minutos após o intervalo.

Tanto foi assim, que o adversário, conseguiu encostar-nos atrás e de bola parada através de um pontapé de canto, reduziu para o 1-3. A nossa equipa tentou ter bola, para voltar a controlar o jogo, mas, só conseguimos chegar à área adversária através de contra-ataques / ataques rápidos, falhando por 2 vezes o 1-4 (que poderia fechar o jogo). Perante a nossa ineficácia na 2ª parte, foi o adversário que continuava a acreditar que era possível a “remontada”, com ataques contínuos à nossa área. E assim foi, conseguiram fazer o 2-3 de penalty (mais um em contra… bastante duvidoso). Mexemos na equipa aos 65 minutos, e conseguimos reequilibrar a equipa até ao final do jogo, para trazer os 3 pontos para casa.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter