Onde é que anda o flop: Felipe Menezes e o seu futebol “pastelão”

João NegreiraNovembro 8, 20195min0

Onde é que anda o flop: Felipe Menezes e o seu futebol “pastelão”

João NegreiraNovembro 8, 20195min0
Está de volta, a rubrica dos flops em Portugal. Desta vez, vindo do futebol brasileiro, é Felipe Menezes quem vamos recordar.

Quem é e quem foi no Benfica?

No verão de 2009 chegava, vindo do Brasil, o 10º reforço para a equipa de Jorge Jesus. A sua compra iria custar cerca de 1 milhão de euros aos cofres das águias, mas totalizaria um total de 25 milhões gastos naquele verão pela estrutura encarnada.

Falamos de Felipe Menezes, um médio-ofensivo que fez toda a sua formação no Goiás, de onde é natural. Diz-se que fez um grande Copa São Paulo de Futebol Júnior e que foi um dos grandes jovens promessa do Brasileirão no ano seguinte.

E é mesmo com essa condição que chega a Portugal. Com 21 anos, na sua primeira passagem fora do Brasil, dá o salto para a Europa com o estatuto de revelação, almejando-se um grande futuro para o médio-ofensivo.

Não obstante às esperanças que lhe foram depositadas, o brasileiro nunca conseguiu convencer o treinador e muito menos os adeptos. Realizou apenas 12 aparições na época 2009/2010 e outras 16 na seguinte.

Uma das razões para o seu falhanço – aponta a comunicação social – era o facto de ser muito lento com e sem bola e muito pouco agressivo. Dizia-se que tinha um futebol muito pastelão, algo que ganhou no Brasil, pelo facto da intensidade ser mais baixa.

Não conseguindo ganhar lugar na equipa comandada por Jorge Jesus, volta ao país de origem onde tenta relançar a carreira.

Felipe Menezes com a camisola do Benfica. (Foto: MF)

De volta ao Brasil e uma vida cheia de empréstimos…

É então que no verão de 2011 é emprestado ao Botafogo, esperando-se que volte um jogador mais maduro, com mais jogos nas pernas e com mais confiança, estando a jogar mais perto dos seus familiares.

Contudo, se Felipe Menezes realmente tinha um futebol “pastelão”, o que precisava era tudo menos de voltar para o Brasileirão, onde encontraria o mesmo contexto de onde foi formado e não iria melhorar nesse aspeto.

Acaba por começar muito bem e marca 2 golos na estreia pelo Botafogo, fazendo 26 jogos na segunda metade do Brasileirão e mais 14 na primeira metade do ano seguinte.

Volta ao Benfica, onde volta a ser emprestado a mais um clube brasileiro. Desta vez, ao Sport Recife, onde tem menos oportunidades e acaba por sair em maio.

No verão de 2013, o Benfica limpa a casa, e Felipe Menezes rescinde e sai em definitivo das águias e termina a sua ligação com Portugal.

Consegue voltar ao Brasil, onde tem nova oportunidade, desta feita, no Palmeiras, onde teve uma passagem negra. Na segunda metade do ano 2013 atuou por 19 vezes e no ano de 2014 por 24, marcando 4 golos. Porém, volta a não conseguir demonstrar o seu valor e é novamente emprestado.

Voltou a casa, sendo emprestado ao Goiás, em janeiro de 2015 e nesse ano conseguiu ser um dos melhores da equipa que, no entanto, acabou por descer de divisão.

Depois deste empréstimo, foi novamente emprestado (!!) ao Ponte Preta, onde teve uma passagem discreta, não conseguindo, mais uma vez, convencer.

Os adeptos do Palmeiras acabaram por apelidar Felipe Menezes de “Sleep Menezes”, já que o médio-ofensivo “entrava e saía do campo a dormir”.

Foi ainda gozado por um site humorístico brasileiro que chegou a afirmar que o jogador era sonâmbulo, já que o mesmo quando entra em campo, parece que está acordado mas está a dormir.

No verão de 2016 é vendido ao Ponte Preta a título definitivo, mas é logo emprestado ao Ceará, da Série B. Em janeiro assina em definitivo pelo clube, conseguindo várias oportunidades, mas sempre sem convencer o verdadeiro valor que demonstrou quando era mais jovem.

Ficou no clube até janeiro de 2018, onde foi vendido, muito aleatoriamente, diga-se de passagem, ao Ratchaburi, clube que milita na 1ª Liga Tailandesa. Numa passagem sem qualquer história, já que não participou em qualquer jogo, acaba por voltar ao Brasil e assinar pelo CBR.

Foi mesmo em junho do ano passado que Felipe Menezes assinou pelo clube onde ainda hoje se encontra. Com 31 anos a sua carreira teve imensos empréstimos e acaba por fazer parecer que foi um erro de casting dos emissários enviados pelo Benfica.

Nunca foi o destaque da equipa de Maceió e lesionou-se gravemente no joelho em maio deste ano, estando sem competir desde essa data.

Felipe Menezes fica mesmo marcado por essa lentidão em campo. Sempre precisou de mais intensidade no jogo e as críticas que lhe foram feitas ao longo da carreira provam isso. Não sabendo contrariar essa dificuldade, a sua carreira foi sempre em decrescente e acabou por ser mais um grande flop para a estrutura benfiquista.

Felipe Menezes também passou pelo “Verdão”. (Foto: R7 Esportes)

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter