Ball Family: A viagem de Los Angeles a Prienai na Lituânia

Tiago MagalhãesAbril 18, 20186min0

Ball Family: A viagem de Los Angeles a Prienai na Lituânia

Tiago MagalhãesAbril 18, 20186min0
Uma mega-campanha de marketing, um sonho ambicioso e uma família com olho para o negócio: a Ball Family e a sua viagem de LA para a Lituânia!

3 de Janeiro, o caos instala-se no Aeroporto Nacional de Vilnius na Lituânia. Para os meros curiosos certamente que se espera uma rockstar a passar nas portas de Chegadas deste aeroporto mas não, chega um grupo de americanos praticamente desconhecidos para os que não seguem a modalidade.

Porquê tanto frenesim afinal?

Três dos membros da família Ball chegam à Lituânia trocando os calorosos 25 graus na Califórnia pelas temperaturas praticamente negativas de Prienai para assinar os seus primeiros contractos profissionais, nesta Quarta Feira histórica para um clube como o Prienu Vytautas. LiAngelo de 19 e LaMelo de apenas 16 anos não fogem aos holofotes mas estão atrás dos largos ombros do seu pai LaVar Ball, que será sempre o centro das atenções pelas suas declarações e pela forma como gere a carreira do seu outro filho, Lonzo Ball a escolha dos Los Angeles Lakers no último draft.

Todo o projecto à volta dos jovens da família foi criado de forma exequível com apenas um fim – juntar os três jogadores nos Los Angeles Lakers o mais rápido possível e liderar a franchise de Hollywood a mais um título na história. Mas para isso, os dois irmãos mais novos terão de percorrer um caminho sinistroso em direcção ao sol de Los Angeles, esperam eles.

LiAngelo Ball a par com problemas com as autoridade por alegadamente ter roubado uma cópia de uma mala num mercado durante a pré temporada na China por UCLA passou de um dos possíveis atletas chave a suspenso, o que tornaria esta temporada num ano em branco nas aspirações do jovem ao draft da NBA deste Verão.

LaMelo Ball, ainda no liceu, com todo o hype à volta da sua equipa em Chino Hills e de supostos problemas entre o treinador da equipa e o seu pai acabou por tomar a decisão de ser homescholed (uma forma de educação em casa) o que o manteria fora de competição até ao circuito AAU recomeçar no Verão.

E é aqui que entra todo o esquema de marketing da Big Baller Brand (a empresa criada por LaVar Ball, aquando ainda da presença dos seus filhos no liceu e faculdade). Este é o caminho imaginado por LaVar para não seguir os tradicionais contratos com sponsors como a Nike, Adidas e etc que esmagam o mercado e sendo assim apresentar todo o tipo de merchandising à volta da imagem dos três irmãos.

Mas Prienai? E o Vytautas, porquê?

Lonzo Ball (Foto: Getty Images)

LITUÂNIA… O PRINCIPIO DE ALGO OU O FIM?

O Vytautas milita na LKL da Lituânia, a máxima competição de um país extremamente marcado pela modalidade e pela forma religiosa como os adeptos seguem sobretudo os clubes de topo no Zalgiris Kaunas e no Lietuvos Rytas, mas sobretudo a selecção tricolor.

A equipa que acolhe os irmãos Ball encontra-se praticamente nos lugares de despromoção e “está numa crise financeira sendo que existiam relatos de falta de pagamentos a atletas estrangeiros e de uma dívida de praticamente 600 mil euros nas suas contas”, relata Donatas Urbonas no twitter, um jornalista que acompanha a familia Ball desde que chegaram.

Acordada a aquisição dos dois jogadores com vista a terem uma montra como jogadores profissionais e em primeiro contracto (LaMelo tornou-se assim o jogador norte americano mais jovem de sempre a assinar um contrato profissional no basquetebol), LaVar Ball utilizou a sua equipa de marketing para criar um projecto que fosse benéfico para as duas partes.

Uma situação em que a marca que apoia pudesse contribuir para restaurar os défices financeiros do clube e ao mesmo tempo um lugar onde os dois jovens pudessem ter minutos de jogo frente a uma competição séria e num ambiente profissional com vista à preparação para o salto para a NBA, um dia.

A equipa de Prienai possui condições humildes. Um pavilhão onde podem estar cerca de 1500 pessoas, um treinador em Virginijus Seskus que é conhecido pelo seu temperamento intempestivo dentro das quatros linhas mas sobretudo pelos problemas de comunicação visto que não fala praticamente inglês, uma massa adepta nem sequer comparável a equipas de meio de tabela e apenas dois ou três jogadores que são conhecidos a nível médio/baixo europeu como os lituanos Tomas Dimsa e Edvinas Seskus e o base ucraniano Denys Lukashov.

Para este projecto ser sustentável o clube teria de deixar de fazer parte da única competição fora da Lituânia em que estavam inseridos, a Liga Báltica. Esta competição seria assim “substituída” por jogos amigáveis contra equipas previamente escolhidas pela direcção que são chamados Big Baller Brand Challenges, com vista a mostrar todo o potencial dos irmãos Ball já que na teoria não teriam muitos minutos na LKL lituana. Estavam assim reunidas as condições, o Vytautas acaba por ser a equipa perfeita para este “espectáculo”.

A CAMPANHA DA DÉCADA?

Como tem sido então toda esta campanha para a família Ball?

A nível desportivo é inegável que as prestações de LiAngelo têm sido um contributo positivo para a equipa, sendo que a sua capacidade anotadora está claramente em evidência mantendo uma média de praticamente 20 pontos por jogo no campeonato, apesar do último lugar na tabela classificativa.

Quanto a LaMelo? Claro que está a ter problemas na adaptação e o seu estilo de jogo é demasiado irregular para ser uma aposta segura na LKL e sendo assim apenas contam com média de 5 minutos por jogo para a competição.

Em relação aos Big Baller Brand Challenges? É, como diriam os Americanos “An all different ball game”, é um verdadeiro espectáculo em que os dois jogadores têm estado em clara evidência sendo que LiAngelo teve uma performance de 72 pontos marcados frente a uma equipa sub 19 chinesa que viajou de propósito para esta partida enquanto que LaMelo está praticamente com média de triplo duplo em todas as partidas que realizou.

Os dois jovens continuam assim a sua adaptação por terras lituanas sendo que para LiAngelo a caminhada deverá findar no fim da temporada, visto que este declarou-se para o próximo draft da NBA seguindo o processo rigoroso que Lavar criou para os dois. Quanto a LaMelo, o objectivo é continuar a sua progressão (possivelmente na Lituânia) como jovem jogador e declarar-se para o draft da NBA logo mal possa.

O “bigger plan” de LaVar continua a produzir-se com contornos mediáticos. Desde o show que a família tem nas redes sociais, à aposta na Big Baller Brand e agora também à criação de uma liga denominada JBL (para dinamizar atletas que não queiram ir para as universidades e aproveitar o ano entre o liceu e a possível entrada no draft, para serem compensados financeiramente e para mostrar as suas qualidades). Isto tudo com uma visão clara do futuro…

… ter os três filhos nos LA Lakers para ganhar um título e criar uma marca independente desportiva de renome mundial que possa combater com o mercado actual.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter