25 Mai, 2018

A primeira metade da época da Ledman em análise estatística

Daniel CarvalhoJaneiro 6, 20184min0

A primeira metade da época da Ledman em análise estatística

Daniel CarvalhoJaneiro 6, 20184min0
Com o decorrer das temporadas a Ledman tem vindo a ser cada vez mais alvo de análise e de discussão entre os “analistas” do futebol português. Qual o motivo? O FairPlay esclarece!

Com um novo formato de competição desde a época de 2012/2013 a II Liga do futebol português ganhou outro interesse, tornou-se mais apaixonante e, mais que isso, a estatística tem vindo a comprová-lo de ano para ano. Por um lado, a introdução das equipas ‘B’ trouxe outra irreverência e outro perfume ao nosso futebol do segundo escalão, por outro lado a matreirice e experiência dos jogadores que têm presença assídua na competição tem complementado na perfeição a geração mais jovem. A Ledman posiciona-se hoje como uma das melhores segundas divisões da Europa, tendo já catapultado inúmeros jogadores para os principais clubes europeus.

Este ano não tem, de todo, sido uma desilusão e as métricas habitualmente utilizadas para avaliar as competições do futebol moderno facilmente o comprovam. Desde os melhores marcadores aos jogadores com mais assistências, desde o número de cartões amarelos aos jogadores mais utilizados, deixamos aqui algumas das estatísticas que marcaram a primeira metade da temporada.

Começamos nos melhores marcadores o qual coloca a Ledman num patamar diferente da Liga NOS em termos de competitividade. O melhor marcador da competição é Carlos Vinícius, um jovem estreante de 22 anos que atua pelo Real SC, atual último classificado. Com 11 tentos marcado e um número de minutos relativamente inferior aos restantes nomes inscritos na lista de melhores goleadores, Vinícius tem provado aos adeptos que não é necessário atuar por um clube “grande” para estar em destaque numa competição.

Carlos Vinícius, melhor marcador da Ledman

Restantes marcadores:

Rui Costa (Famalicão) –  10

Thiago Santana (Santa Clara) – 10

Heriberto Tavares (SL Benfica) – 10

Seguem-se os jogadores com mais passes para golo (assistências) e neste sentido a regra mantém-se. Os quatro primeiros nomes da tabela classificativa pertencem a jogadores de clubes que não se encontram no pódio da Ledman. Para além disto, o número de assistências não varia praticamente nada, sendo que existem 8 jogadores entre os 4 e os 5 auxílios para golo.

Melhores assistentes:

-Barnes Osei (Arouca) – 5 assistências

-Nélson Pedroso (Académica) – 5 assistências

-João Reis (Santa Clara) – 5 assistências

-Femi Balogun (Académica) – 4 golos

-Jovane Cabral (Sporting) – 4 golos

Em termos disciplinares, o número de amarelos e vermelhos por jogador apresenta uma média semelhante aquela apresentada pela Liga NOS. Neste sentido, as competições portuguesas destacam-se pela negativa, tendo os ‘atores” do nosso futebol um número de cartões excessivamente elevado em comparação com outras ligas do futebol europeu. Sem dúvida que este é um campo a melhorar na cultura futebolística do nosso país.

Equipas com mais cartões amarelos:

– Cova da Piedade – 60

-UD Oliveirense – 57

-Nacional – 56

SP Covilhã – 53

Equipas com mais cartões vermelhos:

-Varzim- 6

-Nacional- 5

-Sporting- 4

-Penafiel- 4

Em termos coletivos, o FC Porto ‘B’ beneficia do primeiro lugar da Ledman e como tal apresenta o melhor ataque da competição com 30 golos marcados. Em sentido contrário, o Arouca é o pior ataque com uns meros 16 golos marcados. Estes dados não deixam de ser caricatos visto que o Arouca, mesmo com esta estatística, consegue ser o atual 8º classificado estando apenas a 6 pontos da subida de divisão.

Equipas com mais golos marcados:

-FC Porto – 30 golos

-Académica- 30 golos

-Famalicão- 29 golos

-Santa Clara- 27 golos

-Penafiel – 27 golos

Equipas com menos golos marcados:

-Arouca – 10 golos

-UD Oliveirense – 11 golos

-SP Covilhã – 12 golos

-Varzim – 13 golos

Novamente um dado estatístico diferente daquilo a que estamos habituados a assistir. O SP Covilhã é, atualmente, a melhor defesa do campeonato, apesar de ser o atual 13º terceiro classificado. Por outro lado, o Sporting CP ‘B’ apresenta a pior defesa do campeonato com 33 golos sofridos.

Equipas com menos golos sofridos:

SP Covilhã – 16 golos

AC Viseu – 18 golos

Varzim – 18 golos

Gil Vicente-18 golos

Equipas com mais golos sofridos:

Sporting CP – 33 golos

Real SC- 30 golos

V. Guimarães – 30 golos

Braga – 26 golos

Num sentido mais “habitual”, o FC Porto ‘B’ é, naturalmente, a equipa com mais vitórias (11) e menos empates (apenas 1) e o Real SC a equipa com menos vitórias (3) e mais derrotas (13). O Penafiel está a realizar uma excelente campanha, tendo todas as possibilidades neste momento para lutar pela subida de divisão e, como tal, é a equipa com menos derrotas da competição (4).

FC Porto ‘B’, líder da II liga

No fundo, a estatística apresentada aqui pelo FairPlay comprova aquilo que é dito sobre a Ledman. Uma competição atípica, imprevisível, caraterizada pelo futebol no seu estado mais puro. A segunda metade da época adivinha-se espetacular, podendo qualquer uma das equipas da primeira metade da tabela assumir uma posição de subida de divisão.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter