As melhores mentiras no Futebol: Rex Secco, outro “wonderkid” falso!

Francisco IsaacDezembro 18, 20193min0

As melhores mentiras no Futebol: Rex Secco, outro “wonderkid” falso!

Francisco IsaacDezembro 18, 20193min0
Um nome pomposo, uma viralização desta personagem desconhecida mas que estava a caminho do Arsenal e, finalmente, um banho de água-fria! Esta é a história de Rex Secco uma invenção do Twitter!

Sabes de algumas maiores “tangas” perpetuadas no Desporto-Rei? Desde jogadores fictícios (Tó Madeira!), a selecções-fantasma a conversas paralelas enganadoras, fomos em busca de 5 das melhores mentiras do futebol! 

O MAU USO DO TWITTER, AS FAKE NEWS E REX SECCO: PORQUÊ SEMPRE O ARSENAL?

Lembram-se de Masal Bugduv, o suposto novo wonderkid que assinou um contrato com o Arsenal prometendo ser a nova coqueluche dos gunners mas que afinal se tratou de uma brincadeira por parte de um hacker? Em caso de desconhecimento, podem ler toda a história neste artigo (Masal Bugduv). Em caso positivo, se achavam que não podia haver melhor, revelamos outra história do mesmo timbre que merece ser relembrada.

Estamos em 2015, mais precisamente em Setembro desse ano, e de repente o twitter do Arsenal FC entra num estado de loucura pois foi anunciado nesta rede social um novo reforço para o emblema inglês… Quem? Rex Secco! O desconhecido jovem de 16 anos estaria prestes a assinar pelo clube londrino a troco de 34M€, mexendo por completo com adeptos e fãs, surgindo logo no imediato várias questões, como: “quem é este miúdo?”, “como é que vamos gastar 34M€ por um perfeito desconhecido?” ou – e a melhor para nós – “Não quisemos pagar 25M€ pelo Cavani, mas 34M€ por um jogador sem créditos firmados já dá! #Wengerout?”.

Mas quem era realmente Rex Secco? Qual era o clube? Bem, o jogador com esse nome icónico nunca existiu, sendo um simples anagrama para “Soccerex” criado pelo CEO e fundador da empresa Social Chain, Steven Barlett. A Social Chain era e é reconhecida por criar excelentes campanhas publicitárias e de comunicação nas redes sociais (e não só), conquistando um engagement extraordinário, tendo os seus serviços sido contratados por diversos clubes do universo desportivo para dinamizar os seus canais no facebook, twitter ou youtube.

Barlett, que tinha e tem um sentido de humor muito especial, decidiu que uma forma de provar os créditos firmados da sua empresa passava por criar, promover e alcançar altos números de alcance e engajamento em redor uma notícia falsa sem que a maioria das pessoas questionasse a sua veracidade.

E qual foi o “projecto” para levar a cabo esta missão? Criar Rex Secco, anunciá-lo como reforço do Arsenal e publicar a história em alguns canais geridos pela Social Chain, destacando a idade do jogador, os dados estatísticos da sua contribuição dentro de campo, entre outros pormenores que excitaram uns quantos adeptos e elevaram a ira de outros (relembrar que o Arsenal de Wenger passou alguns Verões sem efectuar uma contratação bombástica)… o engajamento e alcance das publicações foi de um tremendo sucesso.

Passado um dia do “pânico e horror” lançados pelo anúncio de Rex Secco no Arsenal, Steven Barlett deixou cair a charada em directo no Soccerex, provando que bastava uma empresa de conteúdos digitais reconhecida lançar a notícia em vários canais para esta se tornar viral. O Twitter foi assim vítima de uma fake news totalmente genial e, infelizmente, os adeptos do Arsenal foram novamente vítimas de um player scam. E tudo porquê? Porque Barlett queria provar que conseguia engajar milhões de pessoas em redor de uma notícia falsa.

Esta é a história de Rex Secco, o wonderkid de 16 anos que afinal não passou de um anagrama de Soccerex em Setembro de 2015. As melhores reacções podem ser relembradas neste artigo do Sportzwiki: Twitter Rex Secco.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter