23 Out, 2017

Flu Samorin – Conheça o projeto pioneiro do Fluminense na Europa

Sávio AzambujaSetembro 22, 20173min0

Flu Samorin – Conheça o projeto pioneiro do Fluminense na Europa

Sávio AzambujaSetembro 22, 20173min0
A Eslováquia foi a porta de entrada para o Fluminense na Europa, e o clube carioca inovou ao fechar parceria com o STK Samorin, que passou a ser uma filial tricolor no velho continente.

O Fluminense tem uma das mais completas academias de formação de jogadores do Brasil e agora o trabalho da base do clube não termina no Rio de Janeiro. Pensando no desenvolvimento final dos jovens talentos, o tricolor carioca criou um projeto mais amplo, que visa aperfeiçoar a formação dos atletas. A criação de uma equipe filial do Fluminense na Europa é um projeto pioneiro dentro do mercado brasileiro de futebol. O STK Fluminense Samorin possibilita uma grande evolução e considerável vantagem competitiva no processo de captação, retenção, desenvolvimento, transição e exposição de atletas.

Participam deste processo na Eslováquia jogadores formados no Fluminense mas que já ultrapassaram a idade para atuar nas categorias de base. A ideia da diretoria tricolor é que a filial funcione como uma “pós-graduação” para eles.

O plano é que o jovem jogador saia do Rio de Janeiro e encontre uma estrutura de primeiro mundo para completar todo o ciclo de desenvolvimento dele como atleta. Assim, é possível que eles cheguem à primeira equipe do Fluminense muito mais preparados e com rodagem internacional.

Apesar da cidade de Samorin possuir apenas 15 mil habitantes, ela foi escolhida para abrigar a X-Bionic Sphere, que é um dos maiores centros poliesportivos da Europa, com mais de 1 milhão de metros quadrados, e que fechou parceria com o Flu Samorin. O time faz uso de várias áreas: três andares de academia com aparelhos modernos para musculação e aeróbico, galpão de ginástica olímpica para alongamento, piscinas coberta e descoberta para fisioterapia, quadras de areia onde é praticado o futevôlei, entre outras.

Além disso, a possibilidade ilimitada de estrangeiros no elenco, o baixo custo do futebol no país, a localização geográfica e o fato da Eslováquia ter uma das ligas com mais jovens na Europa fizeram com que o país se tornasse o destino ideal para o projeto tricolor.

Com objetivo de subir para a primeira divisão até 2021, o Flu Samorin disputa atualmente a Liga II do campeonato nacional. Logo que o projeto começou, em 2015, o clube disputava a terceira divisão e o acesso foi conquistado na primeira temporada em que o projeto entrou em vigor com grande atuação de diversos atletas cariocas.

O objetivo, claro, é conquistar o acesso à Série A, porém os voos planejados para o futuro próximo vão bem além disso. O objetivo é colocar o time na Liga Europa – torneio de clubes do continente que fica logo abaixo da Liga dos Campeões – em até quatro anos.

Atualmente, o Flu Samorin conta com oito jogadores do clube carioca, alguns com passagens pelo profissional e outros ainda do sub-19. São eles: Breno Santos (lateral direito), Fernando Neto (meia), Leonel (atacante), Matheus Pato (atacante), Nascimento (volante), Gabriel Silveira (lateral-direito), William Henrique (atacante) e Schutz (atacante).

É a terceira leva de atletas que seguem para o projeto de desenvolvimento na Europa e os jogadores foram selecionados de acordo com sua capacidade para, futuramente, atuar no primeiro time do Fluminense. Além disso é fundamental que os atletas possam ajudar o STK Fluminense Samorin em seus objetivos, retornando ao Brasil ainda mais qualificados tanto como pessoas, quanto como jogadores de futebol.

Atualmente, no elenco principal do Fluminense, o técnico Abel Braga tem à sua disposição quatro jogadores com passagens de destaque pelo Flu Samorin. São eles: Marlon Freitas, Luquinhas e Peu. Antes, Luiz Fernando tinha tomado o caminho de retorno.

Após terminar em terceiro lugar na última edição da segunda divisão do Campeonato Eslovaco, o Flu Samorin não vive boa fase na atual temporada. Ocupa a lanterna do torneio com apenas uma vitória em sete jogos. Porém o projeto, iniciado há dois anos, é um trabalho de médio e longo prazo e que tem tudo para render ótimos frutos para ambos os clubes.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter