Wimbledon – Origem e Curiosidades

Thiago MacielMaio 26, 20206min0

Wimbledon – Origem e Curiosidades

Thiago MacielMaio 26, 20206min0
No início do mês de abril foi anunciado o cancelamento do torneio de Wimbledon, uma pena para os amantes do tênis. Mas você conhece a origem do torneio? Suas tradições e principais campeões? Então se liga neste artigo onde te explico tudo.

Origem

O torneio de Wimbledon foi criado em 1877 pelo  All England Lawn Tennis and Croquet Club, sendo o torneio de tênis mais antigo do mundo. O nome do torneio vem dá região em que fica localizado, Wimbledon é um distrito no sudoeste de Londres.

A primeira edição contou com 22 tenistas, na categoria masculina, e teve como seu primeiro campeão o britânico Spencer Gore. Ao passar dos anos mais categorias passaram as ser disputadas, como as duplas masculinas. E em 1884 foi realizado o primeiro torneio feminino de Wimbledon.

Complexo do All England Club

Amadores e Profissionais

Até 1967, apenas tenistas amadores disputavam o torneio, período da chamada “Era Amadora” do tênis. Os atletas eram em sua maioria britânicos.

Em 1968, foi realizado o primeiro torneio de Wimbledon com tenistas profissionais, dando o inicio da “Era aberta” do tênis mundial. Assim estrangeiros como Roger Federer e Martina Navratilova, começaram a acumular títulos na grama sagrada de Wimbledon.

Quais as regras de Wimbledon?

Wimbledon é disputado, nas disputas de simples, por 128 tenistas em cada naipe. O critério usado para a participação é o ranking da ATP, para homens, e WTA, na chave das mulheres. Existe também a possibilidade de convites, os “Wild Cards”, para tenistas que se destacaram em anos anteriores ou mesmo para aqueles que atraiam um bom público. E foi no torneio de 2001, que pela primeira vez um tenista que recebeu um convite da organização sagrou-se campeão, o croata Goran Ivanisevic surpreendeu o mundo e conquistou Wimbledon, vencendo na final o australiano Patrick Rafter.

O torneio masculino é disputado em melhor de cinco sets. Já o feminino numa melhor de três sets. Até a edição de 2018, os sets iniciais previam a disputa de um “tie break” para definir o vencedor, o que não ocorria no último set. O set e o jogo somente acabavam quando um dos jogadores abrisse uma vantagem de dois games sobre o adversário.

Essa regra serviu para registrar o jogo mais longo da história do tênis. A partida entre o americano John Isner e o francês Nicolas Mahut durou 11 horas e 5 minutos, começando no dia 22 de junho de 2010 e só terminando dois dias depois, pois havia a necessidade de paralisar a partida por falta de iluminação natural. O jogo, que terminou com a vitória de John Isner, registrou 980 pontos em 183 games. O placar final ficou em 3 sets a 2 com parciais de 6-4, 3-6, 6-7 (7), 7-6 (3) e 70-68 para o americano.

Com isso, já na edição de 2019, houve uma mudança nas regras do torneio em relação ao “tie break”. Caso a partida chegasse ao último set e ocorresse um empate de 12 a 12 em games a decisão, do set, iria para o “tie break”. E já no primeiro ano da nova regra a final entre o suíço Roger Federer e o sérvio Novak Djokovic  “inaugurou” o “tie break” no quinto set. No fim, vitória de Djokovic na final mais longa da historia de Wimbledon, com 4 horas e 57 minutos de jogo.

Tradições e Curiosidades

 Wimbledon é conhecido por suas tradições e características que não acontecem nas outras competições de tênis.

Aqui segue algumas delas:

Os jogadores só podem usar roupas e acessórios de cor brancos, detalhes coloridos não podem passar de um centímetro de diâmetro. A obrigatoriedade de usar roupas brancas em Wimbledon está ligada ao fato de o suor ficar menos aparente em vestimentas dessa cor. A tradição já dura 140 anos.

Também não é permitido patrocínio ou propaganda em Wimbledon. Seja nas quadras ou nos acessórios dos jogadores.

Comer morangos com creme em Wimbledon é uma tradição desde 1877, seguida tanto por jogadores quanto por expectadores. Estima-se que durante o torneio são consumidos 34 mil quilos de morango e 10 mil litros de creme.

Vai um Morango com creme ai?

A tradição dos jogadores curvarem-se diante do Camarote Real acabou em 2003, a não ser que A Rainha Elizabeth II ou seu filho, príncipe Charles, estejam presentes.

Também existe um falcão, chamado Rufus, nos arredores do complexo para espantar os pombos que podem vir a ser uma dor de cabeça para a organização. Rufus possui até uma credencial cedida pelos organizadores do evento.

Rufus – falcão espanta pombos de Wimbledon

Principais campeões

Masculino :

  • Roger Federer – 8 títulos na era aberta
  • William Renshaw – 8 títulos na era amadora
  • Pete Sampras – 7 títulos na era aberta
  • Novak Djokovic – 5 títulos na era aberta
  • Lawrence Doherty – 5 títulos na era amadora
  • Bjorn Borg – 5 títulos na era aberta
  • Reginald Doherty – 4 títulos na era amadora
  • Anthony Wilding – 4 títulos na era amadora
  • Rod Laver – 4 títulos (2 na era amadora e 2 na era aberta)

Feminino :

  • Martina Navratilova – 9 títulos na era aberta
  • Helen Wills Moody – 8 títulos na era amadora
  • Dorothea Lambert Chambers – 7 títulos na era amadora
  • Steffi Graf – 7 títulos na era aberta
  • Serena Williams – 7 títulos na era aberta
  • Blanche Bingley Hillyard – 6 títulos na era amadora
  • Billie Jean King – 6 títulos (4 na era aberta e 2 na era amadora)
Federer e Navratilova são os maiores campeões da grama sagrada

Infelizmente, por conta da Pandemia do Coronavírus, o torneio não será realizado este ano. É primeira vez depois de 75 anos, quando foi paralisado pela 2° guerra mundial, que ocorre o cancelamento. Aliás, Wimbledon só não foi disputado nos períodos que ocorreram as duas grandes guerras.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter