Bola de Xeque #6 – Top 5 das melhores da história do voleibol feminino

Thiago MacielAgosto 15, 20208min0

Bola de Xeque #6 – Top 5 das melhores da história do voleibol feminino

Thiago MacielAgosto 15, 20208min0
Nesta sexta edição do Bola de Xeque preparamos um Top 5 das melhores da história do voleibol feminino.

Dando continuidade ao nosso ranking dos melhores do vôlei internacional. Elaborei um Top 5 com os melhores jogadoras da história do voleibol, esse ranking foi baseado no histórico de cada atleta e foi constituído se utilizando de critérios estatísticos e de desempenho das atletas tanto em competições de clubes quanto em jogos por suas seleções. Um detalhe importante é que para formação do ranking só foi considerado atletas que já encerraram sua passagem pelas quadras.

O TOP-5 DO BOLA DE XEQUE

5° Hélia “Fofão” Souza(BRA)

Helia Souza, mas você pode chamar de Fofão, tem uma das mais brilhantes carreiras da história do vôlei. Amada em todo o mundo, ela fez seu apelido, seu número 7 e sua incrível história ser reconhecida por todo o mundo como  uma das melhores de todos os tempos.

Fofão é uma jogadora que obteve sucesso em todos os estágios da sua carreira. Ela ganhou títulos em todos os países que jogou, pela seleção brasileira, mantendo a consistência de seu jogo até o fim de sua carreira. Por exemplo, após se aposentar da seleção, Fofão continuou jogando. E aos 45 anos conquistou seu terceiro título de Superliga e ainda foi premiada como a MVP das finais. Prêmio, este que foi muito comum em sua trajetória no voleibol, pois Fofão ganhou mais de 20 prêmios individuais, a maioria de melhor levantadora ou MVP.

Fofão foi duas vezes a melhor levantadora em Jogos Olímpicos, tendo cinco participações nos jogos, tem em seu currículo nada mais que 7 medalhas de ouro em Grand Prix, um recorde da competição. Entretanto, tem apenas uma medalha de ouro que Fofão não possui, uma do Campeonato Mundial, onde foi duas vezes medalhista de prata.

A falta dessa medalha não torna sua carreira menos brilhante, e Fofão está sem dúvidas entre as melhores da história. Sua habilidade como levantadora, suas medalhas e sua consistência durante toda sua trajetória falam por si só. E sempre que houver uma discussão sobre as melhores do voleibol, seu nome estará presente.

Fofão com a sua tradicional camisa 7 pela seleção brasileira

4° Mireya Luis(CUB)

Mireya Luis pode facilmente ser chamada de prodígio. Com apenas 15 anos ela já era parte da seleção cubana de vôlei. E não era uma seleção qualquer, e sim uma das equipes mais dominantes do cenário do vôlei internacional e Mireya foi fundamental para esse sucesso.

Pela seleção cubana, Mireya e suas companheiras são as únicas jogadoras de vôlei a conquistarem três medalhas de ouro em Jogos Olímpicos. Mireya Luis ainda possui dois mundiais, e acumula alguns títulos de Grand Prix, Copas do Mundo e Jogos Pan-americanos.

Mireya Luis era uma estrela, colecionou diversos títulos e prêmios individuais. O seu ataque e saque eram sem dúvidas seus melhores atributos.

Com apenas 1,75m, muitos poderiam duvidar se ela poderia ser uma jogadora de voleibol, muito menos uma das melhores da história. Com sua habilidade, a seleção de Cuba dependia fortemente de Mireya Luis para pontuar e a mesma correspondia a altura. Fora das quadras, Mireya Luis também pode ser considerada uma MVP, sempre servindo de exemplo, por suas atitudes, e uma referência para o seu país.

Mireya Luis, a pequena notável cubana.

3° Inna Ryskal(RUS)

Nos anos 70 nenhuma mulher foi tão dominante quanto Inna Ryskal.

Inna começou sua trajetória, aos 16 anos, já na seleção principal da União Soviética, e não demorou muito para ser um sucesso. Em 1962, fazia parte da seleção da URSS, vencedora da medalha de prata no mundial daquele ano. Ryskal ganhou mais duas medalhas em mundiais, sendo um ouro e mais uma prata.

A União Soviética de Inna era um time quase imbatível, dominando os oponentes num estilo de jogo onde se destacava a força do ataque. A estratégia da URSS se concentrava quase que totalmente em Inna Ryskal, que era a peça chave da equipe.

Embora ela tenha ganho inquestionavelmente títulos o suficiente, Inna não é uma das melhores só por causa disso, e sim pelo seu imparável poder de ataque.

Nenhuma jogadora de vôlei tem mais medalhas olímpicas que Inna Ryskal, ao todo foram quatro medalhas, duas de ouro e duas de prata.

Inna foi o grande destaque do voleibol nos anos 70.

2° Lana Ping(CHI)

O apelido de Lana Ping fala muito sobre a sua carreira. A “Iron Hammer” era uma atleta excepcional, que tinha um poderoso ataque como também era muito inteligente e atlética, uma combinação que transformou numa das melhores de todos os tempos.

Uma verdadeira líder em quadra, Ping foi capitã da seleção da China que ganhou sua primeira medalha de ouro em Olimpíadas, ela foi eleita a MVP do torneio.

Sua liderança ficaria mais evidente quando anos mais tarde a mesma começou sua trajetória como treinadora.

Em ampla ascensão na carreira, Lana, aos 25 anos, se aposentou para se tornar treinadora. Lana Ping ainda retornou as quadras alguns anos depois para jogar um Mundial, sediado na China.

Caso não tivesse se aposentado de forma tão precoce, o impacto de Lana PIng no voleibol teria sido ainda maior. Se aposentou como uma lenda na China e amada pelo seu país. Ping conquistou um Mundial, uma Olimpíada e foi duas vezes campeão da Copa do Mundo.

Não sendo o bastante, Lana ainda é um sucesso como treinadora. Em 1995 começou a treinar a seleção da China. E com apenas três anos como treinadora foi eleita, pela FIVB, melhor treinadora do ano em 1996.

Em 2008, treinando a seleção dos Estados Unidos ganhou a medalha de prata nas Olimpíadas de Pequim. E em 2016, guiou a seleção da China a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

Apesar de se aposentar muito cedo, sua trajetória no voleibol é suficiente para colocá-la entre as melhores do voleibol. Em adição a isso, sua importância continua crescendo no esporte, por ser uma das melhores treinadoras do mundo.

Lana Ping hoje é treinadora da fortíssima seleção chinesa.

1° Regla Torres(CUB)

Quando procuramos uma das melhores atletas de todos os tempos, um nome que não podemos esquecer é o da cubana Regla Torres.

Em sua espetacular carreira, Torres foi a melhor jogadora de um dos melhores times da história, a seleção cubana, que ganhou três medalhas de ouro olímpicas e dois títulos mundiais, todos de forma consecutivas. Respaldada pelas suas conquistas no voleibol, Regla Torres foi eleita, pela FIVB, a melhor jogadora do século 20.

Sua trajetória no voleibol começou cedo, aos 16 anos já jogava pela seleção cubana. Sua agilidade parecia de uma atleta já experiente, e aos 17 ganhou a primeira de três medalhas de ouro em Olimpíadas e com apenas de 19 anos ganhou seu primeiro mundial e foi eleita MVP deste torneio.

Do mesmo modo que Cuba criava sua dinastia colecionado medalhas, Regla Torres continuava ganhando prêmios individuais. O seu talento no voleibol era visível com os vários prêmios que ela ganhou. Ela era premiada em diversas categorias, mostrando o quão completa ela era. Assim conquistava prêmios de melhor saque, melhor bloqueio, melhor recepção ou melhor ataque.

Ao todo foram 14 medalhas, sendo 11 de ouro. A sua carreira foi caracterizada pelo equilíbrio entre seu talento individual e o sucesso da seleção, um balanço que não é tão fácil de encontrar. Assim, Regla Torres, a melhor entre as melhores, fica com o Top 1 deste ranking e seus títulos e conquistas falam por eles mesmos.

Regla Torres é a melhor jogadora de vôlei da história.

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter