Bernardinho – Sua história e importância para o vôlei brasileiro

Thiago MacielAbril 24, 20214min0

Bernardinho – Sua história e importância para o vôlei brasileiro

Thiago MacielAbril 24, 20214min0
Neste artigo, te mostro a incrível história de Bernardo Rezende, o Bernardinho, e a sua importância para o voleibol brasileiro.

No último dia 12, o treinador Bernardinho foi confirmado como novo técnico da seleção francesa masculina depois dos Jogos Olímpicos de Tóquio. O anúncio foi feito pelo do jornal L´Equipe.

Bernardo foi um marco para o vôlei brasileiro, claro que existem muitos outros personagens que foram importantes no voleibol nacional. Porém não tem como discutir que existe um antes e depois de Bernardinho no vôlei brasileiro. O treinador simplesmente transformou uma força emergente em uma potência mundial que mudou a maneira com a qual o esporte é jogado profissionalmente.

A trajetória do esportista é vitoriosa na beira das quadras. Tanto comandando times femininos quanto masculinos, o “coach” conseguiu conquistar títulos importantes e colocar o Brasil no posto de potência mundial nesta modalidade. Para alcançar resultados tão expressivos, antes, Bernardo teve que incorporar uma mentalidade nova ao que, até então, era feito no vôlei nacional.
Sua forma visionária ajudou a profissionalizar este esporte que, sob sua direção, ganhou uma dimensão ainda maior, como também mais respeito e admiração dos brasileiros, não à toa que o vôlei, é hoje, o segundo esporte preferido da maioria dos brasileiros. O técnico agiu como um verdadeiro coach e isso proporcionou forte crescimento aos atletas, que aprenderam uma nova forma de ver no esporte.

Seleção Feminina

Em 1994, assumiu a Seleção Brasileira Feminina de Vôlei. Foram seis anos treinando as mulheres brasileiras e seis títulos conquistados, além do ouro no Pan-Americano de 1999 e dos bronzes nas Olimpíadas de 1996 e de 2000. De cara, no seu primeiro ano, levou a Seleção ao vice-campeonato mundial e à conquista do Grand Prix.
Uma das principais contribuições de Bernardinho nesse ciclo foi a reformulação da rotina de treinamentos, fazendo sessões mais longas e aumentando o número de compromissos das jogadoras com a Seleção.

Seleção Masculina

O trabalho no feminino credenciou Bernardinho para o posto de técnico da Seleção Brasileira Masculina de Vôlei.

Os homens vinham de uma campanha fraca nas Olimpíadas de Sydney, em 2000, e era entendimento da CBV que havia uma certa lacuna no comando desde a saída de José Roberto Guimarães.

Bernardinho chegou à seleção masculina aplicando a mesma reformulação na preparação que tinha aprimorado na feminina, isto é, aumentando a carga de treinos, a convivência e o entrosamento dos atletas.

Partiu da pressão do novo treinador a inauguração do CT de Saquarema, o centro de excelência do voleibol brasileiro. Desde 2001, é o local de preparação das seleções para os mais diferentes campeonatos.

A reforma nos treinos da seleção masculina não foi apenas por uma questão de ética de trabalho, pela qual Bernardinho é tão reverenciado, sendo inclusive referência para além da esfera esportiva.
O treinador estava também preparando os atletas para a acompanhar a revolução no vôlei mundial causada pela própria Seleção Brasileira.

Na seleção viu o crescimento de Bruninho, melhor levantador do mundo atualmente

Títulos

Bernardinho levou o Brasil a conquistar diversos títulos: “Campeão Sul-americano” – ouro (2001, 2003, 2005, 2007, 2009, 2011, 2013 e 2015), “Copa do Mundo” – ouro (2003, 2007), “Liga Mundial” – ouro (2001, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007, 2009 e 2010), “Pan-americano” – bronze (2003), ouro (2007, 2011), prata (2015), “Jogos Olímpicos” ouro (2004), prata (2008 e 2012) e mais um ouro em 2016, nas Olimpíadas do Rio de Janeiro.

Bernardo
Bernardinho colecionou várias medalhas no comando da seleção brasileira.

Uma vez treinador, sempre treinador

Nos últimos anos, o técnico campeão é  treinador da equipe de vôlei feminina do Sesc-Flamengo, o treinador vai conciliar o trabalho na equipe carioca juntamente com o da seleção francesa masculina.

Bernardinho
treina atualmente o Sesc-Flamengo

Seu jeito explosivo e nada convencional atrai os olhares das pessoas não apenas para a forma de atuar com os seus jogadores, mas também para a forma de conduzir de seu técnico, digamos, um tanto excêntrico.

Entretanto, o mais interessante em tudo isso é que mesmo passando por fases em que sofreu fortes críticas e viveu crises, o treinador soube construir uma base sólida que lhe permite ser um referencial para as novas gerações e também para os atletas que já foram treinados por ele.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter